22/04/2024 - Edição 540

Mundo

Casa Branca responsabiliza Putin por ciberataque nas eleições dos EUA

Publicado em 16/12/2016 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Casa Branca responsabilizou diretamente o presidente russo, Vladimir Putin, pelos ciberataques que interferiram nas eleições presidenciais americanas, elevando a tensão entre as duas maiores potências atômicas do mundo.

"Não acho que estas coisas ocorram no governo russo sem que Vladimir Putin saiba", afirmou nesta quinta-feira (15) Ben Rhodes, o conselheiro de Segurança Nacional do presidente Barack Obama, ao canal de TV MSNBC.

"Tudo o que sabemos sobre como a Rússia funciona e até que ponto Putin controla o governo sugere que, quando falamos de um ciberataque com estas características, estamos falando das mais altas esferas do governo", afirmou Rhodes.

"Em última instância, Vladimir Putin é responsável pelas ações do governo russo", destacou o assessor do presidente.

A CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA) concluiu em um relatório secreto revelado na semana passada pelo jornal "The Washington Post" que a Rússia interveio com ciberataques na campanha eleitoral americana, com o fim preciso de ajudar o republicano Donald Trump a vencer.

Obama afirmou que adotará represálias pelos ciberataques que tentaram interferir nas eleições presidenciais de novembro.

Declarações 'indecentes'

As declarações da Casa Branca acusando a Rússia de ter perturbado as eleições presidenciais dos Estados Unidos através de ciberataques contra contas de e-mail são "indecentes", considerou nesta sexta-feira (16) o porta-voz do Kremlin, Dimitri Peskov.

Em relação à suposta responsabilidade de Moscou nestas ações de hackers, "eles precisam parar de falar sobre isso ou finalmente apresentar algum tipo de prova. Caso contrário, isso parece extremamente indecente", declarou aos jornalistas durante uma visita do presidente Vladimir Putin a Tóquio.

Trump

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar o presidente Barack Obama pela acusação de suposta espionagem eletrônica da Rússia às eleições presidenciais americanas.

Em outubro —antes da eleição—, o governo acusou hackers russos de vazarem comunicações das equipes da campanha eleitoral para o WikiLeaks. A maioria das revelações vinham do Partido Democrata.

Autoridades russas negaram todas as acusações de interferência na eleição dos EUA. O presidente eleito disse que não estava convencido do envolvimento russo, e membros de sua equipe consideraram a acusação ridícula.

Desta vez, Trump insinuou que o governo só acusou Moscou de hackear e revelar informações sobre a campanha dos democratas porque a ex-secretária de Estado Hillary Clinton perdeu a eleição para ele.

"Se a Rússia, ou qualquer entidade, estivesse espionando, por que a Casa Branca esperou tanto para atuar? Por que só reclamaram quando a Hillary perdeu?", disse, em mensagem no microblog Twitter.

As críticas provocaram uma reação enérgica do governo. O porta-voz da administração Obama, Josh Earnest, disse que Trump deveria parar de atacar os serviços de inteligência e apoiar a investigação ordenada por Obama.

"É óbvio que Trump sabia e que isto [a espionagem russa] é um fato. Ninguém na Casa Branca, no Congresso e nos serviços de inteligência acha engraçado que um adversário dos EUA esteja desestabilizando nossa democracia."


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *