19/07/2024 - Edição 550

Ágora Digital

Vão-se as joias e os dedos irão também…

O jornalista Victor Barone resume a semana política

Publicado em 14/03/2023 12:43 - Victor Barone

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Bolsonaro mentiu. Disse que não pedira nem recebera presente em joias de quem quer que fosse. Agora, pretende devolver os ‘anéis’ para salvar os dedos. Punir exemplarmente o ex-presidente fugitivo é fundamental para fortalecer a combalida democracia brasileira.

Flagrado na mentira, deve responder pelo menos a estas perguntas:

* Onde está o presente, avaliado em 400 mil reais? Nos Estados Unidos, onde ele se refugiou desde o final de dezembro, ou em algum depósito no Brasil?

* Pretende devolvê-lo? Quando? Ou só o fará se a Justiça mandar?

* O presente entrou no país ilegalmente, sem ter sido declarado à Receita Federal. O que tem a dizer a respeito?

* Quando soube, e por meio de quem, que o presente de Michelle, no valor de 16,5 milhões de reais (foi isso mesmo o que você leu: 16,5 milhões de reais), havia sido apreendido pela Receita? E por que tentou reavê-lo?

* É verdade que pressionou a Receita para que liberasse as joias de Michelle? Ainda se empenhará para que elas sejam liberadas?

* Michelle afirmou que jamais foi informada sobre as joias supostamente destinadas a ela. Por que não a informou?

* O Fundo Mubadala de Investimentos, o segundo maior dos Emirados Árabes Unidos, já comprou o Porto do Açu, no Rio, metrô, uma estrada no Brasil e, recentemente, uma refinaria no Recôncavo Baiano. As joias têm algo a ver com isso? Alguma espécie de retribuição, de agrado à moda árabe?

Responda, Bolsonaro, responda. Os brasileiros têm o direito de saber.

Por Ricardo Noblat

PASSADORES DE PANO

Um naco da extrema direita está dando duro nas redes sociais para minimizar que Jair Bolsonaro teria surrupiado um estojo com produtos de luxo de, pelo menos, R$ 400 mil. Ironicamente, o grupo é o mesmo que costuma celebrar quando alguém que furtou um bife por causa da fome é espancado no supermercado.

PATENTE ALTA

É militar de todas as patentes envolvido até a testa no escândalo das joias…

PARCERIA ANTIGA

Quem já foi capaz de condenado e preso chefiar um partido de dentro da cela e negociar ministérios e cargos de segundo escalão para correligionários, não se deixará abater por dificuldades menores. É o caso de Valdemar Costa Neto, presidente do PL, que no momento abriga Bolsonaro, sonhando com Michelle em 2026.

Ele encomendou duas pesquisas de opinião que já estão sendo feitas para medir o estrago provocado pelo escândalo das joias em Bolsonaro, em Michelle e no PL. E também para avaliar as chances de Michelle substituir o marido como candidata a presidente da República em 2026. Michelle é seu objeto de desejo.

Por tudo que ele escuta em rodas de ministros de tribunais superiores e de advogados experientes, Costa Neto parece convencido de que a Justiça eleitoral tornará Bolsonaro inelegível por crime contra a democracia. Antes das eleições de 2026, teremos as municipais do próximo ano para prefeito e vereador.

Michelle já entrou em campo para ajudar Costa Neto. Formarão um belo par. Bolsonaro não está gostando do que vê nem um pouquinho.

Por Ricardo Noblat

CONSEQUÊNCIAS

O escândalo das joias sauditas reabriu a conta dos passivos de Bolsonaro. Depois da derrota para Lula, até os aliados passaram a dar de barato que o capitão terá os direitos políticos cassados pela Justiça Eleitoral, ficando fora do baralho de 2026. Entretanto, o Partido Liberal do ex-presidiário Valdemar Costa Neto esperava promover uma transfusão do prestígio do ex-presidente para candidatos do partido às eleições municipais de 2024.

É DELA

O ex-ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, afirmou com todas as letras: “isso tudo vai entrar lá para a primeira-dama”. As imagens foram gravadas em 26 de outubro de 2021, às 17h40, pelo circuito interno de câmeras do aeroporto.

O deputado federal, Nikolas Ferreira (PL-MG), ferrenho apoiador do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), usou o seu discurso na tribuna da Câmara dos Deputados para atacar mulheres trans, no Dia Internacional das Mulheres. Utilizando uma peruca loira, o deputado bolsonarista debochou da comunidade trans afirmando que a partir daquele momento ele se sentia uma mulher. No seu discurso, Nikolas alega que as mulheres brasileiras perdem espaço “para homens que se sentem mulheres”. Em sua “performance”, o deputado ainda faz um alerta para as possíveis punições que ele mesmo pode receber por proferir um discurso conscientemente transfóbico.

Um grupo de deputadas uniu-se em apoio a um pedido de cassação do seu mandato. O pedido foi formalizado pelo Gabinete Compartilhado, que é formado pelas deputadas Tabata Amaral (PSB-SP), Duda Salabert (PDT-MG) e Camila Jara (PT-MS) e pelos deputados Duarte (PSB-MA), Pedro Campos (PSB-PE), Amor Mandel (Cidadania-AM), além do senador Alessandro Vieira. Mas, segundo Tabata Amaral, a maioria da bancada feminina apoiou a iniciativa. “Quando se ataca uma mulher, atacam-se todas”, disse Tabata.

Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, antecipou o que deverá acontecer com o deputado federal bolsonarista Nikolas Ferreira (PL), o mais votado de Minas Gerais, ao escrever há dois dias nas redes sociais: Reprimenda. Que por sinal, Lira já aplicou. Cassação de mandato? Esqueça.

TIRO NO PÉ

Lula havia declarado que o deputado Juscelino Filho só ficaria no Ministério das Comunicações se conseguisse “provar sua inocência”. Após se reunir com o chefe, o ministro dos cavalos correu às redes sociais para alardear que havia esclarecido o que chamou de “acusações infundadas”. Anunciou que viajará com Lula a Manaus e Santarém ainda neste mês.

Por Josias de Souza

BANANINHA FAZENDO BABANICES

O deputado Eduardo Bolsonaro (PL-SP) tuitou uma crítica ao preço dos combustíveis para atingir o governo atual, mas usou – aparentemente sem perceber – uma foto de 2022, quando o presidente era o pai dele, Jair. Depois de ser alvo de ironias, ser xingado de “burro” e virar trending topics com os termos “apagou” e “bananinha” no Twitter, ele apagou a postagem.

NAZISTA REINSCIDENTE

O deputado estadual João Henrique Catan (PL) fez apologia a Hitler no plenário da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Ele fazia críticas ao fato de a Assembleia ser de maioria governista. A reclamação surgiu a partir da dificuldade que teria, como oposição, em conseguir informações do Executivo, o que, segundo o parlamentar, seria algo parecido com que o ditador alemão Adolf Hitler fez até o parlamento alemão sucumbir. Por isso, teria utilizado o livro como exemplo.

FALSOS PROFETAS

O pastor Sandro Rocha, líder da Igreja do Porto de Cristo, com sede no município catarinense de São João Batista, a 70 quilômetros de Florianópolis, é um evangélico diferenciado. Enquanto supostamente prega a palavra de Cristo em suas lives no Youtube, mantém no cenário itens como fardas militares e a bandeira dos Estados Unidos. O religioso afirma ter um canal direto de comunicação com Deus e Jesus Cristo. Por meio dele, recebe anunciamentos, visões e profecias sobre o futuro político do Brasil.

Nem sempre dá certo. Há três anos, por exemplo, o pastor gravou vídeo anunciando uma revelação que acabara de receber: a de que o então presidente Jair Bolsonaro (PL) sofreria nos dias seguintes àquela gravação um novo atentado contra sua vida, dessa vez por meio de tiros de arma de fogo, cinco ao todo. Mas Bolsonaro não morreria, pois um segurança entraria em sua frente e receberia três dos projéteis. Outras duas balas acertariam o então presidente, que viria, apesar dos ferimentos, a sobreviver. Na mesma revelação divina, o pastor teria sido informado por Deus que deputados e juízes estariam por trás do atentado. Veja abaixo.

Já no dia 1 de setembro de 2021, o pastor profetizou uma guerra civil no Brasil, com milhares de mortes, tudo porque as forças do comunismo estariam dispostas a qualquer coisa para tirar Bolsonaro do poder. “Acorda enquanto é tempo! Porque os dias maus estão vindo sobre a nação brasileira. Isso não é uma brincadeira, eu sou uma pessoa responsável. E olha que muita coisa que Deus me falou, eu não conto, porque eu não posso, Deus não me autorizou”. Essas são apenas duas das dezenas de profecias do pastor bolsonarista que não se concretizaram. Ainda assim, Deus continua falando com ele, na esperança de em algum momento acertar uma.

No último dia 7, em uma live que já foi assistida por mais de 280 mil pessoas, o pastor Sandro revelou a última informação que sua fonte divina lhe soprara: Luiz Inácio Lula da Silva está morto, já está “no quinto dos infernos”. Em seu lugar, foram colocados dois impostores, que agora ditam as regras no Palácio do Planalto. A live se estendeu por mais de uma hora, com muitos xingamentos, ofensas e delírios. Tudo em nome de Jesus.

https://youtu.be/NmpcLvUs7Os

BOQUINHA

Bolsonaro sai da Presidência, mas sua família jamais abandona o déficit público. A boquinha que garantiu contracheque mensal de R$ 9,5 mil para Jair Renan no Senado preserva a tradição. O filho Zero Quatro foi empurrado para dentro da folha da República pelo senador Jorge Seif, que foi chefe da Secretaria da Pesca na gestão Bolsonaro. Trata-se de uma ação do tipo uma mão suja a outra.

Político profissional, Bolsonaro desfrutou de 32 anos de mandatos. Elegeu três filhos. Juntos, construíram o conglomerado da rachadinha. Passaram pelos gabinetes da família, entre ex-mulheres, parentes e laranjas, 102 pessoas, que se deixaram extorquir, cedendo parte do salário.

Enquanto o pai esteve na presidência, Jair Renan dedicou-se ao empreendimento mais próspero de Brasília: o tráfico de influência. Agora, o Zero Quatro se exibe nas redes sociais como influencer digital. Na prática, a situação de Jair Renan ficou inalterada. Manteve-se no mesmo ramo de atividade —o ramo da má influência. E continua retirando o sustento do bolso do contribuinte.

Por Josias de Souza

SAUDADES DOS CUBANOS

Duas médicas foram exoneradas após a divulgação de um vídeo em que elas aparecem zombando dos gritos de uma criança que aguardava atendimento. O caso aconteceu no Hospital Raimunda Francisca Dineli da Silva, em Maués, no interior do Amazonas. O vídeo foi publicado nas redes sociais pelas próprias médicas Beatriz Almeida e Sofia Rodrigues Gonçalves. Elas eram recém-contratadas. Na gravação, ambas fazem brincadeiras com a situação de um paciente. A criança havia sido atingida por um raio durante forte chuva no município de Maués.

RACISTA

Um aluno de 17 anos da rede pública do Distrito Federal deu para a professora de português, uma mulher negra, uma esponja de aço. Ele entregou o pacote e disse ser em homenagem ao Dia Internacional das Mulheres. O caso ocorreu no Centro de Ensino Médio 9, em Ceilândia e foi gravado pelos colegas do estudante. Nas imagens, é possível ver quando o aluno, de 17 anos, entregou o pacote. A professora ainda exclama: “Gente, recebi um presente!”. Ao abrir o pacote, ela fica constrangida. Uma aluna diz para ela não aceitar o presente, mas a professora diz “tudo o que vai volta” e agradece ao aluno que entregou a esponja de aço enquanto alguns estudantes dão gargalhadas. “Algumas pessoas viram ela chorando depois”, conta um estudante do CEM.

GENTE DE BEM

As três estudantes da universidade particular Unisagrado, de Bauru (SP), que debocharam de uma colega de faculdade por ter mais de 40 anos cometeram crime e podem responder na Justiça pelo episódio.

Injúria: que é ofender a dignidade ou a honra de alguém. A pena pode ser de detenção, de um a seis meses, ou multa.

Difamação: que é ofender a reputação de alguém, mesmo que o fato seja verídico. A pena pode ser de detenção de três meses a um ano, e multa.

Violência psicológica: que é causar dano emocional à mulher mediante constrangimento e ridicularização, entre outros pontos. A pena é de reclusão de seis meses a dois anos e multa.

As três estudantes de biomedicina da Unisagrado publicaram o vídeo na última sexta-feira (10) no Twitter, que teve milhões de visualizações. Nele, uma delas ironiza: “Gente, quiz do dia: como ‘desmatricula’ um colega de sala?”. Logo depois, outra responde: “Mano, ela tem 40 anos já. Era para estar aposentada”. “Realmente”, concorda a terceira. A estudante que grava o vídeo diz a seguir: “Gente, 40 anos não pode mais fazer faculdade. Eu tenho essa opinião”. Elas chegam a dizer que a mulher “não sabe o que é Google”.

GENTE DE BEM 2

Um estudante de medicina de 34 anos está sendo investigado pela Polícia Civil de Santa Catarina por fazer ameaças e injúrias homofóbicas contra dois homens. O caso aconteceu no dia 28 de outubro – há dois dias do segundo turno das eleições -, mas só veio à tona recentemente. As ameaças e falas homofóbicas foram gravadas em vídeo por um colega de faculdade do estudante de medicina – as identidades não foram reveladas pela polícia.

FRASES DA SEMANA

“Esse cara tem que explicar os juros. Vai ficar assim até o final do ano? Isso acaba com as possibilidades de investimento privado. O embate com Campos Neto é político, não econômico. Ele representa um projeto que não foi eleito nas urnas.” (Gleisi Hoffmann, presidente do PT)

“Se ele [Bolsonaro] fosse líder da oposição, teria de estar fazendo oposição aqui no Brasil. Ele é um turista nos Estados Unidos. Você só faz oposição presente.” (Marcos Pereira, deputado e presidente do Republicanos, partido ligado à Igreja Universal e que apoiou Bolsonaro)

 “O que eu acho estranho é que qualquer um pode se sentir mulher, menos eu”. (Nikolas Ferreira, bolsonarista, deputado federal mais votado em Minas Gerais, que na semana passada discursou na Câmara de peruca loura e atacou os trans)

“É algo que está fora do que vivemos, como se estivesse trazendo de volta a ditadura comunista de 1917 ou a ditadura hitlerista de 1935. […] Com muito respeito, não me resta outra alternativa do que pensar em um desequilíbrio da pessoa que dirige a Nicarágua”. (Papa Francisco)

“Bolsonaro já está dizendo: ‘Não recebi e não pedi’, e que teria achado estranho o comportamento de Bento Albuquerque. Ele está entregando o almirante”. (Hamilton Mourão, general, ex-vice-presidente da República e agora senador pelo Rio Grande do Sul)

“Não é homem, é um moleque”. (Tabata Amaral, deputada federal, PSB-SP, sobre seu colega Nikolas Ferreira, PL-MA, que em discurso na Câmara, usando uma peruca, ofendeu as mulheres trans no Dia Internacional das Mulheres. Tabata pedirá a cassação do mandato dele)

“Estou sendo acusado de um presente que eu não pedi, nem recebi. Não existe qualquer ilegalidade da minha parte. Nunca pratiquei ilegalidade.” (Bolsonaro, no último dia 4/3/2023, meses depois de já ter recebido o pacote de joias enviado pela ditadura da Arábia Saudita)

“Ninguém ganha presente de R$ 16 milhões, e a Presidência da República não adotou os procedimentos cabíveis para incorporação ao patrimônio público, razão pela qual os auditores da Receita Federal [apreenderam as joias]”. (Fernando Haddad, ministro da Fazenda)

“Traidor da Constituição é traidor da Pátria. Conhecemos o caminho maldito: rasgar a Constituição, trancar as portas do Parlamento, garrotear a liberdade, mandar os patriotas para a cadeia, o exílio e o cemitério.” (Ulysses Guimarães, presidente da Assembleia Constituinte, 1988)

“Me acusam, me crucificam por um presente que não recebi, nem a primeira-dama. Até o valor foi uma surpresa para mim, 16 milhões, é o que dizem.  Querem me comparar com Lula. Não dá para me comparar com Lula, Lula é imbatível. Não tenho nada”. (Bolsonaro, o pobretão)

Leia outros artigos da coluna: Ágora Digital

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *