25/05/2024 - Edição 540

Ponte Aérea

Direitos humanos para humanos direitos, versão Silvio Almeida/Lula/PT

Raphael Tsavkko Garcia comenta os tropeços da esquerda com um olhar canhoto

Publicado em 08/09/2023 11:13 - Raphael Tsavkko Garcia

Divulgação Tânia Rêgo - Abr

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Direitos humano para humanos direitos versão Silvio Almeida/Lula/PT.

Ou melhor, direitos humanos “sul global” – pra justificar apoio do Lula à Rússia, Cuba, Venezuela….

Não existe direitos humanos “do sul global”. Direitos humanos são uma coisa só. Mas aparentemente Bolsominions e Lulaminions não conseguem entender. Tentam moldar para fazer caber suas visões de mundo limitadas e francamente canalhas.

Esse trecho me deixou genuinamente assustado:

“O governo tem sido cobrado por entidades da sociedade civil a tomar uma postura mais vocal contra as violações cometidas na Venezuela, Arabia Saudita, El Salvador ou Irã. O Brasil usará seu assento no Conselho para pressionar por reformas nesses casos?

Nós usaremos nosso assento, primordialmente, para promover a cooperação e o diálogo. O sistema de direitos humanos nas Nações Unidas não pode tornar-se, apenas, um palco para avaliação seletiva da observância dos direitos humanos por determinados países e fazer vista grossa para violações ocorridas ou causadas por aqueles países que compõem o que Ailton Krenak chama de “clube da humanidade”.”

Nenhuma crítica, apenas a tergiversação típica dos canalhas tentando justificar crimes e usando os direitos humanos para defender os amigos. Ou melhor, isso não é direitos humanos.

Quando Silvio Almeida assumiu eu sabia que não iria me decepcionar – eu já esperava o pior. O intelectual da tese porca de “racismo estrutural” – copiada dos EUA como todo identitarismo torpe – também é o intelectual dos direitos humanos para humanos amigos do Lula.

UM BOLSONARISTA NO STF

Lula nomeou um bolsonarista pro STF, mas um bolsonarista amigo com a promessa de que protegeria Sua Lulidade em qualquer eventualidade.

Às favas com a impessoalidade – e com qualquer verniz de progressismo. Lula só pensa em si e isso ficou claríssimo.

Mas a água bateu na bunda, mesmo seus apoiadores mais fanáticos tem dificuldades em justificar e apoiar Zanin. Ou talvez o PT não tenha pago gente suficiente pra defender a figura. Nunca saberemos.

O fato é que Lula percebeu que nem com a máquina foi capaz de vender Zanin como minimamente aceitável e… resolveu mostrar todo seu autoritarismo e defender voto secreto no STF. Defender a total falta de transparência, os conchavos ainda mais escondidos e distantes do povo.

A nomeação do Zanin foi um desastre tão grande que fez Lula, na defensiva, propor a absurda e inacreditável tese de que os votos dos ministros do STF deveriam ser secretos, como disse um amigo no Twitter.

E Lula nem pisca. Democracia nunca foi seu forte. Nunca passou de discurso fraco pra enganar trouxas. O interessante é ver mesmo seus apoiadores ensaiando uma crítica – tímida, Lula meramente “errou”, foi um “deslize” – que é bem aquém da gravidade da declaração.

Mas é o Lula, não é mesmo?

O fato é que a mera existência de tímidas críticas já demonstram o tamanho do absurdo que foi proposto. Críticas ou tentativas de “ensinar” a Lula o seu erro – como se ele tivesse errado e não estivesse deliberamente defendendo uma agenda autoritária.

Mas provavelmente ficaremos nisso. Os neoPTcostais logo voltarão à formação e tudo seguirá na mesmice de sempre. Até o próximo absurdo, os próximos panos, etc… Criticar o Lula é pedir pro Bolsonaro voltar, não é mesmo? Não é hora de criticar!

Até a nomeação de outro horror para o STF, outro desqualificado amigo do presidente mais interessado em salvar a si mesmo do que realmente nomear ministros progressistas, defensores dos direitos humanos…

É o que temos.

Leia outros artigos da coluna: Ponte Aérea

Raphael Tsavkko Garcia


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *