14/06/2024 - Edição 540

Poder

Dilma conclui reforma ministerial e indica seis novos ministros

Publicado em 14/03/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em meio a uma crise entre partidos da base aliada, a presidente Dilma Rousseff anunciou no último dia 13 a nomeação de seis novos ministros no andamento da reforma ministerial para o último ano de seu mandato. A posse dos novos ministros acontecerá na segunda-feira, 17, às 10 horas.

As nomeações acontecem após duas derrotas do Governo na Câmara Federal, capitaneadas pelo “aliado” PMDB. O partido pleiteava aumentar o seu espaço na Esplanada dos Ministérios com as novas indicações mas manteve os ministérios da Agricultura e do Turismo.

A novidade das reformas é, exatamente, a nomeação para o Ministério do Turismo. Dilma resolveu escolher o gerente de assessoria internacional do Sebrae, Vinicius Nobre Lages para a pasta depois que o nome preferido por ela, Ângelo Oswaldo, do PMDB de Minas Gerais, não foi bem recebido pela cúpula do próprio partido. Ele substituirá Gastão Vieira (PMDB-MA), que deixa a pasta para disputar as eleições.

O PMDB manteve também o Ministério da Agricultura, para onde foi nomeado o secretário de Política Agrícola, Neri Geller. Mesmo tendo dito no início da semana que não indicariam nomes para a reforma, os deputados do PMDB aceitaram a escolha da presidente para a pasta. Antônio Andrade (PMDB-MG) deixa o ministério.

PP nas Cidades

Na cota do PP, Dilma nomeou Gilberto Occhi, atual vice-presidente de governo da Caixa Econômica Federal, para o Ministério das Cidades. O partido chegou a aderir ao chamado "blocão" na Câmara, mas desembarcou da iniciativa após ser contemplado pela reforma. Occhi substitui Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

O PT manteve o Ministério do Desenvolvimento Agrário com a indicação do ex-presidente da Petrobras Biocombustível e ex-ministro Miguel Rossetto. Ele entra no lugar de Pepe Vargas (PT-RS). Rossetto foi ministro da pasta durante o governo Lula, de 2003 a 2006.

O PRB também manteve a sua pasta. Eduardo Lopes (PRB-RJ) assumirá o Ministério da Pesca e Agricultura no lugar de Marcelo Crivella (PRB-RJ). Lopes era suplente de Crivella no Senado.

Dilma nomeou ainda o ex-reitor da Universidade de Minas Gerais Clélio Campolina Diniz para o Ministério de Ciência e Tecnologia na lugar de Marco Antônio Raupp.

Reduzindo a tensão

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse hoje que as mudanças ministeriais devem reduzir as tensões entre o governo e o PMDB, maior partido da base aliada.

"Quando você toma uma definição, há pessoas felizes, outras menos felizes. Mas a tensão tende a baixar, eu espero que isso ocorra. Qualquer processo, quando se conclui, ajuda a dar um encaminhamento, a tensão é própria da definição", avaliou.

Segundo o Gilberto carvalho, os peemedebistas contribuíram para a construção do projeto político do governo para o país.

O ministro disse que as disputas internas são parte do "teatro político, mas não podem atrapalhar o andamento de obras e projetos para o país". Segundo ele, "o que conta mesmo é a direção que está indo o governo, quais são as obras e ações que estamos realizando, qual o projeto que estamos construindo, e o projeto continua. É um projeto que está mudando o país. Isso continua acontecendo. O resto tem um pouco de jogo de cena, um pouco do teatro politico, digamos assim, que é natural".

Carvalho disse que o PMDB é mais que um aliado do governo e que o PT "nunca pensou em governar o país com um partido único". Segundo o ministro, os peemedebistas sempre foram "camaradas" e contribuíram para a construção do projeto político do governo para o país, com o vice-presidente Michel Temer e com os vários ministros da legenda que já passaram pelo governo.

"É natural que haja tensões, momentos mais fortes, mais difíceis. A gente tem de ter maturidade e serenidade, como a presidenta teve, para suportar as interpretações, as ondas e contra ondas e no final a gente acaba sempre se acertando", ponderou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *