22/07/2024 - Edição 550

Mato Grosso do Sul

Enfretamento a dengue baixa índice do Lira em Três Lagoas

Publicado em 10/07/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Secretaria Municipal de Saúde de Três Lagoas aposta nas ações de enfrentamento e controle da dengue, executadas  pelo Departamento de Vigilância e Saneamento, através do trabalho diário e incessante das equipes de Educação em Saúde, Agentes de Combate a Endemias e a equipe de Bloqueio Químico (borrifação). A ação baixou para 1,1%  o Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes Aegypti (LIRA) no município, que em maio era de 1,6%.

Segundo critérios de avaliação, adotados pelo Ministério da Saúde no controle da dengue, o LIRA identifica os criadouros predominantes e a situação de infestação do Município, com a presença do vetor, de dois em dois meses.

Quando o extrato do LIRA identifica menos de uma casa  infestada de criadouros para cada 100 pesquisadas, o índice (até 0,9%) é considerado satisfatório.  Quando as equipes de Saúde identificam de uma a três casas infestadas a cada 100 propriedades pesquisadas, o índice é avaliado como sendo uma situação de alerta.

“Isso quer dizer que, qualquer descontinuidade nas ações de enfrentamento e controle pode alterar o quadro para uma situação de risco de surto da dengue em determinado Bairro ou em toda a Cidade. Acreditamos que, graças à dedicação e trabalho das nossas equipes de Vigilância e Saneamento, com o apoio e participação de toda a população, não mais teremos o inquietante surto de dengue, em Três Lagoas, como tivemos, infelizmente, no passado”, explicou a secretária de Saúde de Três Lagoas, Eliane Brilhante.

O risco de surto da doença surge quando se localizam e identificam  focos da presença dos mosquitos Aedes Aegypti e criadouros em mais de três residências a cada 100 pesquisadas pelo LIRA.

Alerta

Apesar da estiagem, normalmente desfavorável à proliferação do mosquito Aedes Aegypti, os Agentes de Combate a Endemias têm encontrado mosquitos e larvas, nos quintais e dentro das residências que visitam periodicamente, alertou o coordenador de Educação em Saúde, Fernando Garcia Brito.

 “Infelizmente, isso quer dizer que grande parte dos moradores não está fazendo a sua parte e não fica atenta à limpeza dos seus quintais e casas. Uma simples tampinha de garrafa plástica ou de vidro, sacolinha de supermercado, caixa d’água destampada  ou qualquer objeto que possa armazenar água são perigosas situações favoráveis à proliferação do mosquito da dengue”, alertou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *