23/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Vacinação contra a Covid completa três anos em MS, neste 18 de janeiro

Geraldo Resende agiu prontamente para garantir vacinas aos sul-mato-grossenses

Publicado em 18/01/2024 12:39 - Semana On

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Há três anos, no dia 17 de janeiro de 2021, o primeiro avião da Força Aérea Brasileira pousava em Mato Grosso do Sul trazendo 158 mil doses de vacina Coronavac para imunizar o grupo prioritário definido pelo Ministério da Saúde.

Por sua vez, o dia 18 de janeiro de 2021 ficou consagrado como um marco histórico para a imunização estadual. À época do ato simbólico gravado na memória de milhares de sul-mato-grossenses, cada passo da vacina era registrado: desde a chegada na Base Aérea de Campo Grande; logo depois o transporte escoltado pelas ruas da Capital, até chegar à sede da Coordenadoria Estadual de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, à época comandada pelo secretário estadual de Saúde Geraldo Resende, hoje deputado federal.

Para que não houvesse nenhum imprevisto na chegada do imunizante ao Estado, Geraldo Resende foi pessoalmente a São Paulo acompanhar o embarque das vacinas, decolando às 17h de um domingo (17.01.21) em um avião do governo do Estado para buscar as doses da Coronavac.

No dia 18, depois de separadas, foram enviadas, por determinação de Geraldo Resende, quatro doses até ao Hospital Regional de Mato Grosso do Sul para iniciar a campanha de imunização e celebrar o momento histórico. Na ocasião quatro sul-mato-grossenses pertencentes à primeira fase da campanha foram vacinados.

Dois deles eram profissionais da saúde: o médico Márcio Estevão Midom, de 45 anos, e a auxiliar de enfermagem Sandra Maria de Lima, de 52 anos, ambos do Hospital Regional. Também foram vacinadas a indígena Domingas da Silva, de 92 anos, da aldeia Tereré, em Sidrolândia; e a dona Maria Bezerra de Carvalho, de 85 anos, residente no Asilo São João Bosco, no bairro Tiradentes, em Campo Grande.

Vacinação em massa

Em 2 de julho de 2021, Mato Grosso do Sul deu início a um estudo de vacinação em massa da população dos treze municípios que compõem a fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai e a Bolívia, com idade de entre 18 e 50 anos.

“Trabalhamos durante três meses, tivemos o apoio do COSEMS, de todos os agentes políticos, da bancada federal. Procuramos a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o Ministério da Saúde. O pesquisador Júlio Croda, que nos emprestou o seu prestígio e fez toda a tabulação e fez todo o entendimento. Assim, conseguimos as 165.500 doses da vacina da Janssen, dose única. Tenho certeza que a partir de agora este estudo vai servir de referência para o Brasil e para o mundo”, disse o secretário Geraldo Resende, na época.

Encabeçado pelo pesquisador da Fiocruz, infectologista Júlio Croda, por intermédio do grupo VEBRA COVID-19, o estudo teve o apoio da Opas (Organização Pan Americana da Saúde) e é composto por diversas instituições, como Fiocruz, UFMS, Stanford University, Yale university, Instituto de Salude Global de Barcelona, Universidade da Florida, entre outras.

Os municípios que fizeram parte do estudo de vacinação em massa são Mundo Novo, Japorã, Sete Quedas, Paranhos, Coronel Sapucaia, Aral Moreira, Ponta Porã, Antônio João, Bela Vista, Caracol, Porto Murtinho, Corumbá e Ladário.

Em agosto de 2021, o então secretário Geraldo Resende destacou que os números mostraram a importância da vacinação em massa nos municípios de fronteira. “Foi mais uma conquista para Mato Grosso do Sul. A redução expressiva dos casos e óbitos mostra que estávamos certo em realizar a vacinação em massa na fronteira e trouxe benefícios para todo Mato Grosso do Sul”.

Devido a essa e outras estratégias – entre elas uma bem elaborada logística de distribuição das doses aos municípios, além de incentivos financeiros aos municípios que atingissem as metas estabelecidas pela Secretaria de Estado de Saúde – Mato Grosso do Sul liderou, desde o início, o ranking nacional de vacinação contra a Covid-19. Somente em 2 de outubro de 2021 o Estado de São Paulo atingiu o mesmo índice de cobertura vacinal de Mato Grosso do Sul.  Neste dia, taxa de pessoas com vacinação completa nos dois Estados chegou a 57,85% da população com duas doses ou dose única da vacina.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *