23/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Homenagem às mulheres na ALEMS reforça igualdade e resiliência

Na solenidade, mulheres ressaltaram espaços conquistados

Publicado em 07/03/2024 2:07 - Semana On

Divulgação ALEMS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Plenário Júlio Maia sediou na manhã (6) de ontem celebração alusiva ao Dia Internacional da Mulher, por proposição da deputada estadual Mara Caseiro (PSDB), em conjunto com as deputadas Lia Nogueira (PSDB) e Gleice Jane (PT). O Troféu Celina Jallad, instituído pela Resolução 03/2011, é entregue às mulheres na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALEMS), ressaltando a importância da participação das mulheres nos mais diversos cenários. Na política, Celina Jallad foi a primeira mulher a presidir a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR).

A referência à força, resiliência e garra de mulheres que exercem funções majoritariamente ocupadas por homens foi o eixo da comemoração com o tema “Elas Podem”, que contou com a apresentação de música com a cantora Daniele Vicente e da dança Solo de Kitri, com a bailarina Yanni Shamanta. Também aconteceu simultaneamente abertura da Exposição Cultural Um Olhar Feminino, que continua no saguão Nelly Martins até o dia 22 de março. 

O deputado e presidente da ALEMS, Gerson Claro (PP), reiterou que as mulheres alcançam o que quiserem. “É uma honra participar desta sessão solene em alusão ao dia da mulher, intitulada ‘Elas podem’, porque elas podem mesmo. Esta data emblemática que celebra as conquistas lutas e resistências das mulheres ao redor do mundo é uma ocasião para reconhecermos o papel fundamental das mulheres em nossa sociedade e reafirmamos o compromisso em promover a igualdade de gênero e garantir os direitos fundamentais de todas as mulheres, por meio de leis na Assembleia Legislativa. Juntos podemos e vamos construir um futuro igualitário para as mulheres de Mato Grosso do Sul”, destacou.

A deputada Mara Caseiro preside a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e Combate à Violência Doméstica e Familiar. “A sessão solene alusiva ao Dia da Mulher foi pensada e idealizada para celebrar as mulheres que desafiaram normas sociais e estereótipos ao desafiarem e ingressaram em profissões predominantemente masculinas, com o tema ‘Elas podem’, estamos aqui para reconhecermos, não apenas as conquistas das mulheres, mas também as dificuldades, as barreiras e obstáculos superados ao longo do caminho. Que possamos sair daqui estimuladas para continuar a luta da igualdade e equidade entre homens e mulheres”, ressaltou.

A deputada Gleice Jane também compõe a Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e Combate à Violência Doméstica e Familiar.  “Eu considero que estamos no processo de construção desse lugar, as mulheres fazem política em todo o momento. Se somos nós quem ajudamos a eleger e estamos no processo do trabalho de diálogos com as pessoas, a gente precisava ocupar esses espaços a gente ainda vive numa sociedade patriarcal que não reconhece o espaço das mulheres na política, mas ainda precisamos avançar essas cotas no parlamento, caminho grande a percorrer e faço um convite as mulheres a se juntar a nós e fazer esse enfrentamento porque a política pensada sob nosso olhar atende a toda população”, afirmou.

A deputada Lia Nogueira, proponente da solenidade e vice-presidente da Comissão de Defesa dos Direitos da Mulher e Combate à Violência Doméstica e Familiar, ressaltou na tribuna a importância do espaço da mulher na política. “Nós, mulheres, servimos para qualquer que seja o cargo. Não queremos disputar com vocês [homens], queremos estar ao lado, com representatividade, coragem, luta, temos tudo isso. Precisamos trazer isso para nós. O nosso espaço é aqui, é na Assembleia Legislativa, nos governos, nas câmaras de vereadores, nas prefeituras, e não mais como cotas. Que esse ano a gente possa fazer diferente. Esse troféu é de uma importância gigantesca, de uma mulher que fez história em Mato Grosso do Sul e abriu caminho para que tantas mulheres pudessem ocupar esse espaço”, reiterou.

Foram homenageadas com troféu Celina Jallad Maria Lucia Nogueira Fernandes, Aparecida das Graças de Jesus, Carina Giatti Sodré,Talitha Helena de Souza Araújo, Eliana Augusta de Oliveira Gomes, Sonia Silva de Jesus, Camila dos Santos Silveira, Gilda Macedo, Regina Duarte, Marina Ricardo Nunes Silva, Neide Maria Rodrigues, Angelita Aparecida Pimenta dos Reis, Carla Rouledo Moretti Leite, Lucilene Lopes Martins, Patrícia Elias Cozzolino, Cleide Maria da Silva, Maria Tulia Bertoni, Ilda Ferreira dos Santos, Ingrid Delamare Teixeira, Sabrinne Teodoro Azambuja, Anilda Tognon, Délia Razuk repre. Tatiane Fioravante, Leila Aparecida Aivi Rodrigues, Bia Cavassa, Irene Margarida Lajos Kemp, Neide Garrido, Mirani Salviano dos Santos, Vânia Abrão de Melo, Laureci Correa Tomazinho.

Em solenidade na ALEMS, mulheres ressaltam espaços conquistados

Mulheres que participaram da celebração alusiva ao Dia Internacional da Mulher expressaram seu papel no desempenho das diversas atividades e profissões existentes. O tema “Elas Podem” ressaltou a força, resiliência e garra de mulheres que exercem funções majoritariamente ocupadas por homens. O evento foi proposto pela deputada e 3ª vice-presidente da Casa de Leis, Mara Caseiro (PSDB), em conjunto com as deputadas Lia Nogueira (PSDB) e Gleice Jane (PT).

A primeira-dama da Assembleia Legislativa, Katia Claro, destacou as conquistas das mulheres. “Agradeço ao meu marido e presidente desta Casa, grande incentivador dos meus desejos sonhos e projetos. Agradeço as deputadas proponentes, neste dia tão significativo é importante refletirmos sobre as conquistas alcançadas por nós, mulheres, e sobre os desafios que ainda enfrentamos. Sou uma pessoa otimista e acredito no impacto positivo do trabalho de todos os órgãos e entidades que atuam em defesa dos direitos das mulheres e as importantes leis que nasceram nesta casa. Que possamos caminhar juntas fortalecendo laços e lutando por um futuro mais justo, digno e igualitário para as mulheres”, disse.

A primeira-dama do Estado, Mônica Riedel, reiterou a importância da luta pelo coletivo. “Conheci mulheres que me inspiram, e algumas me trazem a experiência do coletivo, com o olhar de valorização do feminino, da mulher, mas trouxeram a experiência do coletivo, hoje como primeira-dama consigo dar visibilidade a ações destinadas a mulher. Parabenizo a todas as mulheres. O que impede de deixar as pessoas mudarem e crescerem, estamos no caminho certo, essa resistência que ainda temos de identificar é atualmente o grande desafio. Precisamos identificar e persistir para avançar a sociedade como um todo para as mulheres. Estamos ainda no caminho e continuar subindo para deixar um patamar e horizonte para nós no futuro”, concluiu.

Em nome das homenageadas, durante a cerimônia, a piloto civil Talitha Araújo falou sobre resiliência. “Em estudo realizado foi demonstrado que mulheres são duas vezes mais interrompidas que homens em conversas neutras. Outro aspecto identificado por essa questão em situações de trabalho além de sofrerem interrupções, elas falam menos. Os homens falam durante 75%, e tem mais possibilidade de falar do que as mulheres, e quando ela fala é provável que eles a interrompam. É cientificamente comprovado que a voz feminina seja mais registrada que a masculina, nesse mundo se você não estiver disposta a falar, a lutar e a se impor, você será engolida. A conquista não se faz pela força, se faz pela sensibilidade”, destacou.

A secretária-adjunta de Educação (SED), Dione Hashioka, fala de sua experiência. “As mulheres realmente tem muito a contribuir. Se a classe política digerisse essa importância, nós teríamos muito mais mulheres na política, mas um passo por vez. Quando fui deputada era só eu, hoje temos 3 deputadas, que com certeza darão um toque feminino nesse grupo tão masculino e fará a política mais humana e transparente para as famílias, atendendo suas necessidades”, relatou.

A coronel do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS), Carla Rouledo Moretti Leite, também homenageada hoje, também foi homenageada hoje. “Muito honrada em estar aqui representando as mulheres do Bombeiro Militar, sou a primeira mulher a ocupar o posto de coronel, e isso é uma vitória de uma carreira iniciada há 25 anos, e posso hoje me orgulhar. Se antes, todos os dias demonstração de empoderamento que poderíamos estar ali, ocuparmos nosso lugar. Essa, agora essa situação normalizou e não se vê uma corporação masculina, me sinto muito orgulhosa das minhas meninas que estão ocupando os espaços e mostrando que são efetivamente poderosas”, considerou.

A secretária de Recursos Humanos da ALEMS, Marlene Figueira, fala sobre a sensibilidade da mulher. “A sensibilidade é muito grande para que haja harmonia e paz dentro de um ambiente de trabalho. E o meu papel como gestora de Recursos Humanos tem sido, um setor com a maioria de mulheres, é muito bom trabalhar porque a gente vê que há um empoderamento delas, uma vontade de vencer, se há um problema tentamos contornar, porque tudo passa nesse mundo. Esse evento é maravilhoso, lembramos de uma mulher muito empoderada [Celina Jallad], maravilhosa, uma mulher que deixou saudade aqui, que nos auxiliou em muita coisa e merece ser lembrada e seguir como exemplo dessas mulheres. Cuidamos com muito carinho, pois fazemos o que amamos”, destacou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *