23/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Geraldo Resende participa da solenidade de retomada das obras da Universidade Federal de Integração Latino-Americana

“É uma universidade com vocação internacional, que contempla acadêmicos, especialmente os três países da fronteira e, claro, os estudantes sul-mato-grossenses”, afirmou o deputado

Publicado em 29/02/2024 1:26 - Semana On

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Ministério da Educação anunciou nesta quarta-feira (29), a retoma das obras da Universidade Federal de Integração Latino-Americana (UNILA), em parceria com a Itaipu Binacional e o Escritório das Nações Unidas de Serviços e Projetos (UNOPS). O campus da instituição de ensino superior foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer e está sendo erguido em Foz do Iguaçu/PR, fronteira com a Argentina e o Paraguai. As obras estavam paralisadas, mas no ano passado, o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, anunciou que as obras seriam retomadas em 2024.

Presente na comitiva do ministro da Educação, Camilo Santana, o deputado federal Geraldo Resende (PSDB-MS) comentou a respeito da retomada das obras da UNILA. “É uma universidade com vocação internacional, que contempla acadêmicos, especialmente os três países da fronteira e, claro, os estudantes sul-mato-grossenses que desejam estudar nessa universidade em Foz do Iguaçu, onde a diversidade cultural, a mistura de costumes, realidades distintas e professores estrangeiros serão os ingredientes que vão tornar essa universidade como única em toda América Latina, possibilitando uma total integração entre os estudantes entre diferentes países do Mercosul e do Caribe”, disse.

De acordo com o cronograma, a entrega das obras será escalonada em três etapas: a primeira é a construção do restaurante e das edificações auxiliares, previstos para serem entregues em 2025; em seguida será concluído o prédio principal para 2026; e por último, os blocos com as salas de aula que serão entregues em 2027. A obra toda está orçada em 750 milhões.

A reitora da UNILA, Diana Araújo Pereira, declarou que a construção do campus é uma forma de valorizar a educação superior e de cumprir com o sonho que criou a Universidade. “A UNILA nasceu de um sonho de integração, e construir um campus que é um monumento artístico é dar essa universidade as condições reais de consolidação e crescimento”, completou.

Para o ministro da Educação Camilo Santana, se faz urgente terminar as obras da UNILA e entregá-la para o desenvolvimento do ensino superior integrado entre os países latino-americanos e caribenho. “Estamos realizando o sonho do presidente Lula de ofertar a educação superior de qualidade e o fortalecimento da nossa integração regional entre os países, com vistas para o desenvolvimento da América Latina”, afirmou.

UNILA

A Universidade Federal da Integração Latino-Americana conta, com cinco campi e possui 29 cursos de graduação, divididos em quatro institutos: Instituto Latino-Americano de Arte, Cultura e História; Instituto Latino-Americano de Ciências da Vida e da Natureza; Instituto Latino-Americano de Economia, Sociedade e Política; e Instituto Latino-Americano de Tecnologia, Infraestrutura e Território. Também são ofertados pela 12 programas de mestrado e dois de doutorado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *