22/02/2024 - Edição 525

Legislativo

Emendas de MS ao PPA do governo federal vão beneficiar rodovias no estado

O deputado federal Vander Loubet, coordenador da bancada de MS no Congresso Nacional, confirmou a aprovação das três emendas

Publicado em 11/12/2023 2:15 - Semana On

Divulgação aa

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O deputado federal Vander Loubet, coordenador da bancada de Mato Grosso do Sul no Congresso Nacional, confirmou esta semana que foram aprovadas três emendas da bancada ao Plano Plurianual (PPA) 2024-2027. As três têm como foco rodovias estaduais e federais e somam R$ 300 milhões em investimentos.

Para adequação e duplicação de trechos da BR-262, estão previstos R$ 100 milhões nos quatro anos do PPA. A implantação da rodovia Sul-Fronteira (MS-165) terá outros R$ 100 milhões. E a adequação de trechos da BR-060 também terá R$ 100 milhões.

“Após reunião da bancada, decidimos por priorizar no PPA do governo Lula rodovias estratégicas para nosso estado. Sabemos que essa área tem muitas reivindicações dos setores produtivos e da população de uma forma geral, por isso, entendemos que é importante fazer esse esforço em busca de melhorias”, pontuou Vander.

De acordo com o deputado, por conta do rito que essas emendas seguem, os recursos devem começar a ser liberados a partir de 2025 para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (no caso da BR-262 e da BR-060) e para o Governo do Estado (no caso da Sul-Fronteira).

“O PPA é um plano para quatro anos, então esses recursos vão ser pagos em parcelas durante esse período. O mais importante é a previsibilidade, ou seja, a gente sabe que essas intervenções nas rodovias, que são muito necessárias, vão poder contar com recursos no Orçamento da União, pelo menos até 2027”, explica o parlamentar pantaneiro.

O relatório do projeto de lei (PL) do Plano Plurianual (PPA) 2024-2027 foi aprovado na Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional na última terça-feira (5). Agora, o texto segue para votação no plenário do Congresso Nacional.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *