26/02/2024 - Edição 525

Entrevista

‘Nosso povo nunca aceitou a escravidão como algo natural’, afirma Douglas Belchior

Professor destaca a força do movimento negro na conquista de direitos para toda a população

Publicado em 23/11/2023 9:07 - Brasil de Fato

Divulgação Reprodução

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O avanço nas conquistas de direitos básicos no Brasil passa pela luta do movimento negro. Quem afirma é o professor Douglas Belchior, coordenador nacional da Uneafro.

Para Belchior, as lutas de organizações como a Frente Negra Brasileira, que existiu na década de 1930, e de muitas outras articulações de entidades espalhadas por todo o país foram fundamentais para garantia de direitos de toda a população, com a criação de leis e a instituição de conselhos e secretarias especiais em defesa desses direitos.

“Nosso povo nunca aceitou a escravidão como algo natural, mas, sobretudo a partir da abolição da escravidão, a organização política de pessoas negras fez com que a luta pelo nosso direito à humanidade fosse pressuposto para luta pela humanidade de todos. Então, quando a gente luta pelo direito à humanidade daquele que teve sempre essa humanidade negada, essa luta transborda para direitos coletivos, para avanços coletivos”, avaliou.

“O racismo é um elemento fundamental, fundante da própria nação brasileira. O Brasil é resultado desse processo histórico de quase 400 anos de escravidão. Mas é também um elemento fundamental da nossa característica o traço da luta. Se tem isso tudo de opressão, tem isso tudo também de resistência. O movimento negro chega nesses anos tendo sido fundamental”, prosseguiu.

Para Belchior, a melhora no cenário político com a saída de Jair Bolsonaro (PL) da presidência da República e a volta de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Planalto aumenta a expectativa para colocar as discussões sobre questões raciais no centro do debate político.

“Nosso desafio agora, com um governo popular, progressista, é fazer com que os governantes do nosso campo, que ocupam esses espaços de poder, deem a mesma importância que o debate racial tem no processo eleitoral agora, também, no processo de governo”, disse.

Na entrevista, Belchior celebrou a criação da Bancada Negra na Câmara dos Deputados, algo que é fruto do trabalho incansável de muitas pessoas, como Benedita da Silva (deputada federal pelo PT-RJ) e Paulo Paim (senador pelo PT-RS).

“Nenhum resultado é automático, então é uma vitória imensurável. É emocionante, porque de alguma maneira coroa um processo histórico, e que agora chega nesse degrau de ter uma bancada instituída que, inclusive também precisa ser dito, é muito estimulado pelo exercício que o Movimento [Negro] tem feito nos últimos anos”, concluiu.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *