18/07/2024 - Edição 550

Cultura e Entretenimento

Mostra traz as principais obras do cinema sul-mato-grossense

Publicado em 03/10/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O cinema sul-mato-grossense será o tema de uma mostra especial que homenageia o aniversário da divisão do estado. Dos dias 13 a 17 de outubro, o Museu de Imagem e do Som (MIS) apresenta diversos curtas, médias e longas metragens de artistas que fizeram história e estão construindo o novo cinema de MS.

Curador da mostra, o jornalista e produtor audiovisual Airton Raes Fernandes, conta que a intenção da mostra foi fazer um resgate histórico do cinema de Mato Grosso do Sul, ao mesmo tempo em que quis dar espaço para os novos produtores do cinema. “O meu desafio foi colocar filmes que não foram exibidos nos últimos 24 meses. Para trazer ao público novamente esses filmes e dar espaço para os novos produtores do cinema”, diz.

Para tanto, Raes escolheu obras das décadas de 60, 70 e 80 e também de cinematografia mais recente. As mais antigas são “Selva Trágica” (1963) de Roberto Fárias, “Caçada Sangrenta” (1974) de Ozualdo Candeias, “Comitiva Esperança” (1985) de Wagner Carvalho. As obras da cinematografia mais recente são das décadas de 2000 e também de 2010. São os casos dos filmes “500 Almas” (2004) de Joel Pizzini, “A Academia” de Daniele Girelli, “Smile” de Camila Machado e Steffany Santos, “Redhookers” de Larissa Anzoategui, e “Portas” (2014) de José Roberto Bastos.

Caçada Sangrenta, por exemplo, conta o curador, mostra as paisagens do sul de um mato grosso ainda uno. Selva Trágica mostra os dramas vividos pelos trabalhadores nas fazendas de erva-mate. A sensibilidade de Joel Pizzini está retratada em um filme ensaio sobre os índios Guatós. O último dia da mostra, ainda segundo ele, é destinado aos jovens realizadores do Mato Grosso do Sul, que apresentam histórias com um novo olhar.

Confira a programação:

13 de outubro – Segunda-feira, 19h

* A Academia (Dir.Daniele Girelli, Documentário, 20min, 2013)

Documentário sobre a Academia Sul-mato-grossense de Letras

* Caçada Sangrenta (Dir. Ozualdo Candeias, Policial, 90min, 1974)

Produzido por David Cardoso, “Caçada Sangrenta” tem cenas gravadas em Campo Grande, Aquidauana e Ponta Porã. A trama é sobre um escultor, protegido por uma milionária, torna-se suspeito pelo assassinato desta. Foge, com um envolvido com a polícia, pelo interior de Mato Grosso do Sul onde violenta perseguição ocorrerá. Após intenso tiroteio, os dois morrem e aparentemente o escultor reconhece o crime.

14 de outubro Terça-feira, 19h

* 500 Almas (Dir. Joel Pizzini, Documentário, 109min, 2004)

O delicado processo de reconstrução da memória e da identidade dos índios Guatós, atualmente dispersos pela região pantaneira.

15 de outubro Quarta-feira, 19h

* Comitiva Esperança (Dir. Wagner Carvalho, Documentário, 30min, 1985)

Comitiva Esperança – Uma viagem ao interior do Pantanal. Documentário musical que mostra, de maneira poética, o homem no pantanal sul-mato-grossense, resgatando os gestos, os olhares, as falas mais espontânea, os momentos de força e coragem dessas pessoas, procurando revelar, sem preconceitos, a alma do pantaneiro. Um mergulho nos sons e imagens de uma das regiões mais bonitas do Brasil.

16 de outubro Quinta-feira, 19h

* Selva Trágica (Dir. Roberto Fárias, Drama,104min,1963)

Baseado no romance de Hernani Donato, o filme mostra o cotidiano de trabalhadores de uma indústria de erva-mate que são tratados como escravos. Aqueles que tentam escapar recebem drásticas punições.

17 de outubro Sexta-feira, 19h

* “Portas” (Dir. José Roberto Bastos, Experimental, 6 min,2014)

Interpretado por Aline Calixto, a história gira em torno de uma mulher que entra em um vagão de trem e não consegue mais sair.

* Smile (Dir. Camila Machado e Steffany Santos, Drama, 8 min, 2013)

Smile conta a história de uma garota triste, com problemas em família. Ela pega o ônibus todos os dias com o mesmo garoto que vê a tristeza dela e tenta fazê-la sorrir

* "À mesa – Campo Grande de Culturas" (Dir. André Patroni, Kleomar Carneiro e Paulo Higa, Documentário, 25 min,2014)

Documentário que discute a influência das colônias de imigrantes na formação da identidade cultural campo-grandense com foco na gastronomia.

* Redhookers(Dir.Larissa Anzoategui, Terror, 18 min , 2013)

Karen (Monica Mattos), uma jovem ordeira e estudiosa, começa a perceber que há algo de terrivelmente errado com sua irmã Karina (Jacqueline Takara) ou, como é conhecida na noite, Cherry. Para descobrir o que se passa com ela e resgatá-la da misteriosa Lady Shub (Ju Calaf), Karen terá que remexer nos segredos do bordel RedHookers. Nesse ambiente hostil, horror e depravação a aguardam.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *