22/07/2024 - Edição 550

Ágora Digital

Vem meteoro! Nós merecemos

Publicado em 17/11/2017 12:00 - Victor Barone

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As eleições presidenciais do ano que vem não apontam horizontes límpidos. Pelo contrário. As candidaturas que surgem causam perplexidade e são justificadas por discursos que variam do “menos pior” a “salvação da pátria”. São mais do mesmo, apenas. De Lula a Bolsonaro, passando por Huck, Dória e até pelo cirurgião das estrelas hollywoodianas, Dr. Rey, a impressão que fica é que o Brasil precisa ser atingido rapidamente por um meteoro. Nós merecemos tudo isso.

Juninho Pernambucano zoa Gilmar

Ex-jogador da seleção brasileira de futebol, Juninho Pernambucano fez uma crítica irônica ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes, por meio do Twitter, valendo-se de metáfora futebolística para se referir a decisões do magistrado. A postagem compara o juiz a um zagueiro que, com a tarefa de proteger “seus atacantes”, foi o “melhor da temporada”. Confira.

Vagabundo é o povo

O deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) se envolveu em uma confusão com um casal, na quinta-feira (16), durante uma reunião do PMDB em Campo Grande (MS). O deputado concedia uma entrevista à imprensa e, enquanto falava com os jornalistas, foi “mimado” por um casal que passava de motocicleta: "Ladrão", gritou uma moça da garupa. O peemedebista revidou: “Ladrão é a puta que te pariu”. O parlamentar interrompeu a entrevista e partiu em perseguição ao casal para tirar satisfações, e avisou "quem com o ferro fere, com ferro será ferido".

Marun solidário

O deputado federal Carlos Marun (PDMB) visitou o ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, no Centro de Triagem do complexo penitenciário de Campo Grande. Puccinelli, o filho, André Puccinelli Júnior e outras quatro pessoas foram presas na terça-feira (14) na 5ª fase da operação Lama Asfáltica, por suspeita de corrupção na administração estadual anterior à atual. Todos já estão soltos. O deputado federal tentou desqualificar o trabalho da força-tarefa da operação Lama Asfáltica e a delação premiada do pecuarista Ivanildo Miranda, um dos principais elementos que levaram a fase cinco da Lama Asfáltica e fizeram com que os investigadores apontassem o ex-governador como personagem central nos desvios de recursos públicos do estado. “Quem deleta é bandido”, opinou Marun.

O debacle de Puccinelli

Segundo o pecuarista Ivanildo da Cunha Miranda, o ex-governador André Puccinelli (PMDB) embolsava 30% dos benefícios concedidos a empresas durante seu governo. A afirmação foi feita em delação da Operação Papiros de Lama, 5ª fase da Lama Asfáltica (assista os vídeos). De acordo com a delação, o ex-governador recebeu em propina R$ 150 milhões da JBS, em 13 anos, para conceder R$ 500 milhões em impostos estaduais. O ex-governador e o filho dele, André Puccinelli Júnior, ficaram um dia no presídio e saíram após a concessão de liberdade provisória pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3). Além das prisões, o ex-secretário-adjunto de Fazenda André Luiz Cance e os empresários João Amorim, João Baird, Mirched Jafar Júnior, Antonio Cortez e João Mauricio Cance foram levados coercitivamente para depor na sede da Superintendência da Polícia Federal da capital sul-mato-grossense.

Por um Brasil mais sensual

O famoso cirurgião plástico brasileiro de Hollywood Dr. Robert Rey quer ser presidente da República e avisou que vai "trazer de volta a nossa sensualidade". Durante entrevista ao Programa Fabiola Lyma (assista abaixo) Rey – que aposta do Prona – disse que quer ser o Kennedy brasileiro. Em 2014, ele concorreu a deputado federal pelo PSC, mas não foi eleito —obteve 21.371 votos. Aos 55 anos, sendo mais de 40 deles morando nos Estados Unidos, além de uma breve passagem pela Alemanha, Rey disse estar preparado desde 1986 para o Planalto — cursou mestrado em Políticas Públicas pela Universidade de Harvard, onde também se formou em Medicina.

FHC tenta manter o pássaro voando

Para evitar o descontrole total do racha no PSDB, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) e o ex-governador paulista Alberto Goldman, presidente interino do partido, atuam para garantir a formação de chapa única na convenção em dezembro. A chance de fracassarem é aventada pela primeira vez na história do partido, em meio à divisão que se explicitou na formação da ala que advoga pelo desembarque do governo Temer e aquela que defende a permanência.

Brasileiros imunes à Justiça

Marcelo Bretas, juiz da Lava Jato no Rio de Janeiro, fez uma avaliação ácida da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que transferiu para o Poder Legislativo a palavra final sobre punições cautelares impostas a parlamentares. A despeito de toda a cautela que seu ofício impõe, o magistrado declarou: “Não posso comentar decisões do STF. Mas faço uma análise política do dia a dia das investigações criminais. A impressão que tenho é que essa situação, aliada ao foro privilegiado, poderia criar categorias de pessoas imunes ao Direito Penal.”

Grana do Lula

O Ministério Público Federal (MPF) requereu à Justiça Federal o bloqueio de R$ 23,9 milhões do ex-presidente Lula (PT-SP) e de um de seus filhos, Luis Cláudio Lula, no âmbito da Operação Zelotes. Os procuradores pediram o confisco de bens e dinheiro no valor de R$ 21,4 milhões de Lula e outros R$ 2,5 milhões de Luis Cláudio. A ação diz respeito a um processo contra o ex-presidente por suposto tráfico de influência na compra dos caças Gripen.

Bolsonaro condenado

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve, por unanimidade, decisão da primeira instância que condenou o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) a pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais à deputada Maria do Rosário (PT-RS). A decisão foi tomada no dia 24 de outubro, mas publicada na semana passada. Bolsonaro é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) em duas penais por causa do mesmo episódio, ambas relatadas pelo ministro Luiz Fux.

Segunda instância

A procuradora-geral da República Raquel Dodge enviou manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) favorável à manutenção de prisão após condenação de réus na segunda instância da Justiça. Dodge afirmou que o início da execução da pena ajuda a inibir recursos protelatórios. Raquel já tinha se mostrado favorável à decisão tomada pelo STF em fevereiro do ano passado durante sua sabatina no Senado. Ela afirma que manter os réus em liberdade até a última instância aumenta a sensação de impunidade. Isso se dá porque as defesas costumam apresentar recursos para adiar o cumprimento da pena, às vezes até que o processo acabe prescrevendo, impossibilitando a punição.

Riquinho do RJ

O patrimônio do deputado estadual Jorge Picciani (PMDB-RJ) evoluiu de forma considerável ao longo das últimas duas décadas – e sempre à medida em que ele se tornava um dos políticos de maior destaque no Rio de Janeiro. Entre as eleições de 1994 e 2014, a alta no patrimônio do atual presidente da Assembleia Legislativa (Alerj) foi de 893%. Picciani é alvo da ‘Operação Cadeia Velha’ deflagrada no último dia 14 e teve sua prisão preventiva pedida pelo Ministério Público Federal. Ele e outros dois parlamentares (Paulo Melo e Edson Albertassi, ambos do PMDB) são investigados por corrupção, associação criminosa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Felipe, filho de Picciani, é alvo de pedido de prisão temporária.

Cassados e aposentados

A Câmara dos Deputados desembolsa, mensalmente, cerca de R$ 127,8 mil em aposentadoria para dez ex-deputados federais que tiveram o mandato cassado. O pagamento não é ilegal, e o benefício é abastecido com contribuições dos próprios parlamentares e em parte com dinheiro público. Desse grupo de parlamentares, nove tiveram o mandato cassado por envolvimento em acusações de corrupção ou improbidade administrativa.

Sou não

Luís Roberto Barroso, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), divulgou nota para negar que acalente a pretensão de se candidatar à Presidência da República. A possibilidade foi aventada em artigo do jornalista Elio Gaspari. No texto, o articulista incluiu Barroso no rol de cartas que podem entrar no baralho de 2018. “Li hoje o artigo de Elio Gaspari que, analisando o quadro político, menciona o meu nome como possível alternativa a candidato a Presidente da República”, escreveu Barroso. “Gostaria de afirmar, de forma categórica, que eu vivo para pensar o Brasil e ajudar a aprimorar as instituições, mas sempre dentro da minha missão como professor e, circunstancialmente, como ministro do STF. Em definitivo, asseguro que não passa pela minha cabeça qualquer projeto eleitoral, circunstância que comprometeria a autoridade e a independência de minhas posições”, avisou o ministro.

Violência doméstica

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) denúncia contra o ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Admar Gonzaga. Ele é acusado de agredir a esposa em junho deste ano. O ministro Celso de Mello, relator da ação no Supremo tinha pedido que a PGR manifestasse se havia interesse em dar prosseguimento ao caso ou não. O caso corre no STF porque Admar tem foro privilegiado por ser ministro do TSE.

Perseguido

Desde último dia 16, o PMDB investe em propaganda partidária para fazer a defesa do governo Michel Temer e dizer que "a perseguição" contra o presidente "ultrapassou todos os limites". Em um dos vídeos, um narrador afirma que houve uma "trama" para "derrubar" Temer e que ela foi "desmontada". Hoje, Temer tem cerca de 5% de aprovação, segundo o Datafolha. Ele não é candidato à reeleição, mas quer ser um ativo importante na formação de uma aliança de centro-direita para a disputa pelo Planalto em 2018. A ideia é que o presidente também seja protagonista do programa nacional do PMDB, de dez minutos, que irá ao ar no final deste mês. Confira.

Tadinho do PMDB

O presidente do PMDB, senador Romero Jucá (RR), disse que seu partido poderá lançar candidato à Presidência da República em 2018 se o PSDB e nenhum outro partido da base quiser defender o “legado” do governo Michel Temer. A fala do peemedebista ocorreu ao ser questionado sobre a relação de seu partido com os tucanos. "Se não tiver essa defesa do legado, o PMDB não vai ficar órfão da defesa desse legado. Se não tiver ninguém para defender, o PMDB vai lançar um candidato para defender esse legado", disse.

As garras de Cunha

Lideranças do Centrão defendem que o presidente Michel Temer (PMDB-SP) indique para a vaga de Antonio Imbassahy (PSDB) o chefe de gabinete da Secretaria de Governo, Carlos Henrique Sobral. Um dos principais entusiastas do candidato é o líder do governo no Congresso, deputado André Moura (PSC-SE), articulador de Temer junto aos deputados. Sobral foi assessor especial de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) quando o ex-deputado, hoje preso pela Lava Jato, presidiu a Câmara dos Deputados.

Centrão guloso

O novo ministério de Michel Temer (PMDB-SP), a ser composto até meados de dezembro, refletirá o Projeto Centrão de país. Nele, exacerbam-se as barganhas, o fisiologismo e as diversas modalidades de atentado ao erário, às instituições e ao pudor a que a nação vem sendo submetida. Num instante em que a Polícia Federal vareja as facções do PMDB do Rio de Janeiro e do Mato Grosso do Sul, o presidente da República negocia a entrega de ministérios ao rebotalho do Congresso.

Pergunta incômoda

Como se sabe, não existe pergunta constrangedora. O que há é resposta constrangedora. Alçado à direção-geral da Polícia Federal com o aval da banda investigada do PMDB, o delegado Fernando Segóvia dava uma entrevista quando a repórter Camila Bonfim indagou-o sobre suas vinculações políticas. Segóvia, virando as costas, emendou: ‘Infelizmente, vou ter que sair agora, porque o ministro está me aguardando. Muito obrigado.” Apadrinhado do ministro Eliseu Padilha (RS) e do ex-senador José Sarney (MA), ambos do PMDB, Segóvia descobre da maneira mais dolorosa que, em política, todo mal começa com as explicações.

Bizarro

"Os partidos políticos perderam a sua credibilidade. Eu pertenço a um partido e vou tentar fazer que ele avance, mas sei das dificuldades", afirmou Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP), diante de um auditório lotado na Universidade Columbia, em Nova York. Em resposta a uma pergunta de um estudante sobre o pré-candidato à Presidência pelo PSC, Jair Bolsonaro, FHC disse que a "mídia dá mais espaço para os que são bizarros", mas que "precisamos de alguém que não seja bizarro, que fale com as pessoas".

Globo e eleições

Sem citar Luciano Huck ou sua mulher, Angélica, a Rede Globo vem realizando "várias conversas" com seus funcionários, visando confirmar eventuais candidatos em 2018 e tirá-los do ar. "A Globo tem por hábito, no período que antecede anos eleitorais, conversar com diversos profissionais de seu 'casting' para lembrar a política interna de eleições", afirmou a emissora ao jornal Folha de SP. "Por essa diretriz interna, já em vigor há anos, quem tem a intenção de se candidatar ou de participar de alguma campanha eleitoral deve avisar com antecedência à emissora." A revista Veja publicou que a direção da Globo teve uma "conversa franca" com Huck e decidiu que, se ele quiser se lançar candidato, "terá de sair da emissora até dezembro, sem volta".

Participa ou compete?

Reunido no último dia 9 com Roberto Freire, presidente do PPS, o apresentador Luciano Huck disse que decidirá no mês de dezembro se “participa” ou “compete” nas eleições presidenciais de 2018. Não foi a primeira conversa de Freire com Huck. Eles já tiveram pelo menos três encontros. Freire estendeu o tapete vermelho para que Huck dispute a Presidência da República pelo PPS. Ficaram de se reunir novamente antes do final do ano, para arrepio do senador Cristovam Buarque (PPS-DF), que também quer disputar a presidência.

Os falidos

Depois de posar para fotos ao lado do apresentador Luciano Huck durante a campanha presidencial de 2014, o senador Aécio Neves (PSDB-MG) disse que uma eventual candidatura de Huck à presidência da República representaria a "falência da política". A declaração foi dada no dia 11, quando o tucano participou da convenção estadual tucana em Minas Gerais. "Acho que é um pouco da falência da política, é um pouco do momento de desgaste generalizado pelo qual passa a política. O Luciano é um sujeito muito capaz, inteligente, mas agora é preciso conhecer o que ele pensa sobre as mais variadas questões que demandam a posição de um homem público. O tempo é que vai dizer se ele está ou não preparado para esta missão", disse o senador. Embora os dois tenham um histórico de amizade, incomodou o tucano o fato de o apresentador ter apagado de suas contas das redes sociais fotos em que os dois apareciam juntos. Ele disse a aliados que ficou chateado com a postura de Huck.

Boa oportunidade ao STF

Vêm aí mais duas boas oportunidades para o brasileiro conferir de que lado está o Supremo Tribunal Federal (STF). A presidente Cármen Lúcia marcou para quinta-feira da semana que vem o julgamento que pode limitar a abrangência do foro privilegiado. Depois, em sessão a ser agendada, a Suprema Corte decidirá se mantém ou não a regra que abriu as portas das cadeias para os condenados na segunda instância. Uma combinação malandra de veredictos pode inaugurar uma pizzaria que servirá impunidade a larápios graúdos e avacalhará a Lava Jato.

Pegadinha dos malandros

Em uma manobra pouco republicana e nada cristã, a bancada da bíblia incluiu uma mudança constitucional em uma PEC que pretendia apenas ampliar a licença-maternidade para mães de bebês prematuros. A alteração, feita por uma comissão especial da Câmara, torna ilegal qualquer tipo de aborto, inclusive em casos de estupro e anencefalia do feto. A aprovação da malandragem foi feita durante um rápido intervalo em que a sessão do plenário foi derrubada por falta de quórum e sem a presença da oposição.

Preta, pobre e periférica

A ministra Luislinda Valois (Direitos Humanos) afirmou no último dia 13 que é "preta, pobre e da periferia". A declaração foi dada quase duas semanas depois que a tucana baiana se queixou oficialmente ao presidente Michel Temer (PMDB-SP) dos descontos feitos em seu salário para que não superasse o teto remuneratório previsto na Constituição. "Como mulher preta, pobre e da periferia, conheço o que é viver fora dos grandes centros", disse ela no lançamento do Programa Emergencial de Ações Sociais para o Rio de Janeiro.

Metralha giratória

Ciro Gomes foi filiado de primeira hora do PSDB —em 1990, dois anos depois da fundação do partido, ele se elegeu governador do Ceará pela legenda. No último dia 13, após uma palestra em São Paulo, o hoje pré-candidato à presidência pelo PDT criticou o partido, rival em potencial nas eleições de 2018. "O PSDB já não é mais um partido sério desde o [governo] Fernando Henrique", comentou, após participar de um debate na Fundação Armando Álvares Penteado (FAAP), em São Paulo. Ele respondia a uma pergunta a respeito da crise interna do PSDB, que se divide em relação ao apoio a Michel Temer (PMDB-SP).

Perdão aos paneleiros

Em viagem pela Alemanha, a ex-presidente Dilma Rousseff afirmou, em entrevista à Deutsche Welle no último dia 13, em Berlim, que seu governo foi vítima de um golpe, mas que é hora de "perdoar a pessoa que bateu panela achando que estava salvando o Brasil, e que depois se deu conta de que não estava".

Leia outros artigos da coluna: Ágora Digital

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *