25/04/2024 - Edição 540

O Som e a Fúria

Do Carnaval

Honestamente não sei o que é pior, ir para o beleléu macetando ou orando

Publicado em 20/02/2024 11:13 - Felipe Chaves

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Meninos eu vi, dois trios elétricos encontram-se em meio ao carnaval, em um deles Baby do Brasil, artista incrível, integrante dos Novos Baianos – Acabou Chorare é o disco que mais gosto da MPB. Do outro lado Ivete Sangalo, rainha máxima do carnaval, o diálogo é digno de um sanatório geral:

“O apocalipse está chegando, devemos estar preparados para o arrebatamento,” diz a Baby

Ivete de bate e pronto responde: “Vou esperar o fim do mundo macetando”.

Honestamente não sei o que é pior, ir para o beleléu macetando ou orando.

Alguns dias atrás fui a Salvador, tenho um primo que mora lá, ama aquela cidade tanto quanto o mais convicto dos soteropolitanos. Me ligou dizendo que estava me esperando em um bar no Rio Vermelho. Que lugar incrível, onde se encontram pessoas de todas as tribos, credos e cores. Brindamos por isso até não existir mais saldo no pix.

Hora de ir embora. Apesar dos meus aplicativos estarem em ordem alfabética, não consegui encontrar a letra “u”. Por conta disso decidi voltar a pé. No meio do caminho encontrei uma bar aberto no exato momento em que estavam repondo as geladeiras, a sede falou mais alto que o meu bom senso: “Tem uma cerveja bem gelada?”

“Claro que tem, pai”.

Me vendeu um latão de Itaipava quente, não chamei o Uber, só o Hugo.

Durante o caminho tive medo de perder meu celular, se bem que provavelmente o gatuno saberia usar esse aparelho muito melhor do que eu. Não recordo como cheguei em casa provavelmente por que meu santo é forte. Por falar nisso fui num terreiro, jogaram búzios pra mim, disseram que sou filho de Oxalá e Yemanjá. “Ganhei” uma guia azul celeste linda, cor do Grêmio, a única recomendação é não usa-la quando for beber, nunca consigo usar essa guia.

Caindo na real, sábado de carnaval fiquei esperando o desfile da Grande Rio. Paola Oliveira é maravilhosa, onça com olhos de led. Como diria o extraordinário compositor: “Diga aí, diga lá, você já foi pra Bahia nega não? Então vá, então vá…. Diga lá, diga ai , você já foi até o Rio nega, não? Tem que ir, tem que ir”.

Leia outros artigos da coluna: O Som e a Fúria

Felipe Chaves


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Uma resposta para “Do Carnaval”

  1. Lucia Maria knebel disse:

    Adorei. Ler as tuas crônicas é maravilhoso, faz o meu dia mais feliz.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *