22/05/2024 - Edição 540

O Som e a Fúria

Muito antes das águas

Felipe Chaves rememora Porto Alegre em um texto de esperança poética

Publicado em 13/05/2024 12:14 - Felipe Chaves

Divulgação Band.com.br

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Na juventude, entre Damas da noite, Ipês e Pés de Amora, acreditava ter nascido na beira do rio, não exatamente o ato de ser parido, e sim, muito mais, no despertar sutil da consciência.

Saindo da Matriz em direção ao Bom Fim, ou indo atrás das gurias, hora na Goethe, hora na Cidade Baixa, isso muito antes da enchente cobrir a nossa casa. Pelas ruas do centro, num frio que doía os ossos, procurava discos e livros nos sebos e briques da vida.

Ainda penso quem, além de mim, escutou as canções ou folheou as mesmas páginas amareladas, isso muito antes da enchente levar as nossas coisas.

Percorri a cidade toda até as entranhas, nos pontos de ônibus, de manhã cedinho, para matar aula e ir tomar café em frente à casa Mario Quintana, fingindo ser também um poeta, isso muito antes da enchente carregar os nossos sonhos.

A certeza no amanhã renova esperança, a reconstrução é um processo difícil mas necessário, o progresso inevitavelmente deve ser sustentável, não é hora de procurar culpados e sim fazer mea culpa.

As mudanças climáticas afetarão todos que são feitos de carne e osso, independente do posicionamento político ou religioso. Para que possamos reconstruir as nossas ruas, casas e sonhos, não existe outro caminho que não seja o reflorestamento, a reciclagem, a preocupação com a biodiversidade e a diminuição na emissão de gases tóxicos.

Quando fiz uma apresentação no Araújo Vianna, liguei para o meu avô pedindo emprestado uma “calça de gaúcho”. Recebi pelo correio um poema dele intitulado “calça de gaúcho é bombacha”. Ainda hoje, estando longe e depois de tanto tempo, brinco com a Fernanda que, mesmo vendado, consigo chegar por instinto em qualquer lugar de Porto Alegre.

“Deu pra ti baixo astral”

Leia outros artigos da coluna: O Som e a Fúria

Felipe Chaves


Voltar


Comente sobre essa publicação...

4 respostas para “Muito antes das águas”

  1. ANA CLAUDIA KNEBEL CHAVES CARDOSO disse:

    Que lindo ❤️

  2. Lucia Maria knebel disse:

    Que texto lindo. Estou emocionada.

  3. Maria disse:

    Muito lindo esse testo Felipe.

  4. Eliane Cardoso disse:

    Muito bom, querido afilhado! Pura emoção 💓

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *