28/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

Animais atropelados ou capturados na BR-163 serão encaminhados ao Cras

Publicado em 18/03/2016 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Instituto do Meio Ambiente do Mato Grosso do Sul (Imasul) e a CCR MSVias firmaram convênio para recebimento e reabilitação de animais capturados ou atropelados no trecho da rodovia BR-163 no Estado. O acordo envolve o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande, que ficará encarregado dos cuidados dos animais encaminhados pela empresa.

De acordo com o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck, “essa parceria do Imasul com a CCR MSVias é muito salutar, pois vai minimizar a perda de animais silvestres por atropelamento na rodovia BR 163. A CCR se responsabilizará pelo recolhimento desses animais, que serão trazidos para o CRAS, tratados e devolvidos à natureza sempre que possível”. O secretário lembra ainda que este é o segundo convênio firmado entre a empresa e o Imasul – o anterior garantiu o plantio de 241 mil mudas nativas no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, no prazo de três anos.

Segundo o engenheiro Michel Klaime Filho, gestor de Meio Ambiente da CCR MSVia, o acordo antecipa uma necessidade do Programa de Proteção à Fauna, previsto pela Licença Ambiental, cuja titularidade está para ser transferida para a Concessionária. “O Programa prevê duas frentes de trabalho de responsabilidade da Concessionária: uma, o Afugentamento e o Salvamento de Fauna; outra, o Monitoramento e a Mitigação de Atropelamento de Fauna”, explica o engenheiro. “Cabe à CCR MSVia viabilizar a reabilitação, o tratamento e devolução à natureza da fauna capturada ou atropelada, e o CRAS é  a única unidade do IMASUL legalmente instituída para esse fim”.

Além disso, o Centro promoverá a capacitação dos colaboradores da CCR MSVia para manejar adequadamente a fauna silvestre encontrada na rodovia e cooperará, sempre que possível, com as ações que envolvam o manejo.

A diretora de Desenvolvimento do Imasul, Thaís Azambuja Caramori, lembra ainda que a parceria foi concebida não só para a fase de duplicação da BR-263, mas para toda a fase de operação. “Será um trabalho de grande relevância para a preservação da fauna sul-mato-grossense, pois é a nossa maior rodovia, com 870 km de extensão, além de ser a de maior movimento”, finaliza.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *