25/05/2024 - Edição 540

Legislativo

Durante fiscalização, Prof. André Luis elogia ampliação da unidade de saúde do Noroeste

Vereador recebeu queixas acerca de problemas nos banheiros da USF

Publicado em 07/05/2024 3:49 - Semana On

Divulgação Câmara CG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Após receber reclamações da população que utiliza a Unidade de Saúde da Família (USF) do Jardim Noroeste, o vereador Professor André Luis esteve no local, na manhã de segunda-feira (6), para uma fiscalização.

A principal queixa era acerca da falta de descarga nos banheiros, contudo, durante a visita do vereador à unidade, esta situação já havia se normalizado e ambos os banheiros estavam com o dispositivo funcionando.

No entanto, verificou-se a falta de papel toalha, papel higiênico e sabonete para as mãos, o que pode contribuir para a propagação de doenças, especialmente por se tratar de um ambiente com alta circulação de pessoas doentes.

Além de conferir a situação dos banheiros, André Luis aproveitou para conhecer o restante da unidade, que está passando por uma reforma e ampliação. As obras irão proporcionar um atendimento melhor para os pacientes e um ambiente de trabalho mais confortável para os servidores.

Na ampliação, foi construído um anexo com três salas espaçosas e bem estruturadas, que serão equipadas com computadores e ares condicionados. Para esta parte, que deve entrar em funcionamento em breve, serão transferidas algumas salas administrativas e de serviços prestados pela USF.

As salas já existentes, que passaram por reformas, incluindo pintura e troca de alguns equipamentos, serão destinadas para consultórios, aumentando de oito para doze o número de lugares para atender quem precisa de consultas.

Por outro lado, na unidade ainda faltam equipamentos como desfibrilador, e alguns outros estão aguardando manutenção há muito tempo. Além disso, o acolhimento dos pacientes é feito em uma sala compartilhada, situação que pode deixar o paciente desconfortável e quebrar o sigilo médico.

Os problemas também são encontrados do lado de fora. A rua em frente ao prédio não tem asfalto e o calçamento, quando existe ao longo da via, não tem qualquer acessibilidade. A calçada na entrada da USF possui apenas uma pequena rampa sem acabamento, como corrimão ou piso antiderrapante.

A falta de um espaço acessível dificulta a locomoção de gestantes, idosos, pessoas com carrinhos de bebê, pessoas com deficiência ou de qualquer outra que tenha a mobilidade reduzida, colocando em risco a integridade física e saúde de quem busca os serviços do posto.

Por fim, o vereador verificou que a unidade recebe manutenção diariamente por meio de prestadores de serviço de uma empresa terceirizada, os setores são mantidos em ordem e não há lotação, com atendimentos realizados dentro da normalidade.

“A unidade foi recentemente reformada, está em boas condições de atendimento. A unidade está bem, mas o que falta é a questão relacionada à manutenção do banheiro. Falta papel, sabonete, mas isso é obrigação da terceirizada, que precisa fornecer estes materiais”, concluiu André Luis.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *