23/02/2024 - Edição 525

Ágora Digital

Barrado no baile

O jornalista Victor Barone resume as notícias que marcaram a semana

Publicado em 11/12/2023 12:56 - Victor Barone

Divulgação Esta é uma imagem ilustrativa criada por IA - Victor Barone/Midjourney

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Bolsonaro, querendo ser o rei da festa na Argentina, pintou como o primeiro gringo a bater um papo com Javier Milei antes da posse do novo presidente hermano. Parece que a viagem a Buenos Aires foi mais uma tentativa de brilhar do que qualquer coisa com mais substância. Quem chegou antes dos outros líderes da extrema direita internacional? Ele mesmo, Bolsonaro.

O cara não perde a chance de um banho de multidão, né? Em frente ao Congresso, onde a galera estava sedenta para ouvir Milei e bater palma para os convidados, lá vem o Bolso estendendo a mão, ouvindo um coro gritando seu nome. Teve até exposição ao sol, mas o presidente queria mais! Num movimento ousado, tentou se infiltrar na foto oficial de Milei com os chefes de Estado.

O resultado? Um “deu ruim” monumental, com Luis Lacalle Pou (Uruguai), Santiago Peña (Paraguai), Gabriel Boric (Chile) e Daniel Noboa (Equador) achando inadequado o ex-capitão marcar presença na foto. Ah, Bolsonaro, tentando roubar a cena onde não foi chamado!

E a diplomacia brasileira entrou em cena na cerimônia de posse na Argentina, com o chanceler Mauro Vieira representando o Brasil e trocando cumprimentos com Milei na Casa Rosada, o quartel-general do governo argentino.

Vieira, fazendo o papel de pacificador, declarou que o governo Lula está de braços abertos para colaborar com a Argentina. No entanto, a resposta veio com uma pitada de humor por parte de Milei, que cutucou: “Mas no futebol, sempre ganhamos de vocês”.

Gente de bem… A celebração internacional contou com a presença de figurões da extrema-direita como Viktor Orban, o primeiro-ministro da Hungria, Volodimir Zelenski, o presidente da Ucrânia, e até o rei da Espanha, Felipe 6º. Uma mistura inusitada de líderes que, por alguns momentos, compartilharam o mesmo palco.

E Bolsonaro inda foi escorraçado de um restaurante portenho…

AS TIAS DO ZAP

Bom, pessoal, dá uma olhada nessa história que rolou ontem nos arredores do Congresso argentino durante a posse do controverso Javier Milei. As “tias do zap” estavam mais animadas que festa de São João. E olha só, a vibe era tanta que algumas dessas senhoras já estão pensando seriamente em fazer as malas e se mandar pra Buenos Aires para viver sob um governo de extrema direita. Karen, uma dessas tias fervorosas, soltou a pérola: “Viemos em quatro tias do zap especialmente para a posse do Bolsonaro argentino, nosso novo herói”. “Tias e tios do zap”, como eles mesmos se apelidam, deram as caras lá no meio da multidão argentina, balançando bandeiras brasileiras e fazendo um auê. Mas o motivo desse entusiasmo todo? Segundo Karen, o Brasil tá ficando meio complicado. Agora, se o Bolsonaro voltar, aí a história é outra, segundo ela. E olha que o Bolsonaro tá inelegível até 2030, viu?

DINOSHOW

A saga bolsonarista continuou no Brasil, com manifestações fervorosas contra a indicação de Flávio Dino para o Supremo. A galera na Avenida Paulista mandando recados em faixas, alertando que “senador que vota em comunista vota contra o Brasil e contra a liberdade”. Os oradores, em estilo dramático, falando do apocalipse se Dino entrar no STF, como se fosse uma perseguição aos “patriotas conservadores”. Mas olha só, no auge da movimentação, só 5,6 mil almas estiveram por lá, segundo o Monitor do Debate Político no Meio Digital da USP. Parece que a “onda” não era tão grande assim. No plenário, Dino precisará de 41 votos de um total de 81. Deverá ter entre 50 a 52. A conferir.

MIM NÃO É JUIZ LADRÃO

O senador Sergio Moro, em pleno depoimento ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) na quinta-feira (7), no âmbito de uma ação que deve resultar na cassação de seu mandato, cometeu mais um erro crasso de língua portuguesa, aumentando sua lista de gafes bizarras. Em dado momento, o ex-juiz federal se referiu a gastos “com mim” – em vez de “comigo”. Logo na sequência, atropelou novamente o português: “Não só mim”, quando o correto é “não só eu”.

ANIMADOR DE FESTA

O deputado federal bolsonarista Abilio Brunini (PL-MT) enfrenta denúncias desde 2020, indicando que cinco de seus parentes ocupam cargos fantasmas na Assembleia Legislativa do Mato Grosso. Seu adversário político, Emanuel Pinheiro (MDB-MT), revelou a presença da mãe, madrasta, irmã, irmão e prima de Brunini em cargos comissionados. Em um encontro com o repórter Guga Noblat, Brunini foi ironicamente questionado sobre seu jogo favorito do Super Mario, referindo-se ao caçador de fantasmas do jogo. O deputado, visivelmente desconfortável, respondeu evasivamente, enquanto o repórter destacava a ironia em meio às acusações de empregos fantasmas envolvendo a família de Brunini.

LINCHAMENTO

O bairro de Copacabana, no Rio de Janeiro, enfrenta uma onda de violência com assaltos cometidos por gangues de adolescentes, levando grupos de moradores autodenominados “justiceiros” a agir por conta própria. Em um episódio lamentável, um vendedor de balas, Matheus Almeida, foi erroneamente confundido com um criminoso e brutalmente espancado pelos “justiceiros”. Em entrevista à TV Globo, Matheus, com o rosto deformado, reiterou sua integridade como pai de família e trabalhador. A Polícia Civil está investigando o caso e as ameaças nas redes sociais, destacando que a “justiça com as próprias mãos” é crime no Brasil, conforme o artigo 345 do Código Penal.

BANDIDOS DE FARDA

O ex-policial militar e fundador da escola AlfaCon, Evandro Guedes, foi flagrado em um vídeo minimizando a pena por violar sexualmente corpos de mulheres mortas. No registro, ele faz comentários debochados sobre o crime de vilipêndio de cadáver, mencionando casos fictícios. Guedes admite a ilegalidade, ironizando as consequências e sugerindo métodos para ocultar o crime. Após a repercussão, ele negou a defesa do crime, alegando ter dado um exemplo. Em 2020, a AlfaCon anunciou a saída de Guedes, mas ele aparece em anúncios mais recentes.

Guedes já era conhecido por declarações controversas. Em outubro de 2020, um vídeo o mostrava fazendo comentários machistas, racistas e defendendo violência contra civis. No registro, ele faz afirmações sexistas sobre homens que ingressam na Polícia Rodoviária Federal, sugerindo que seriam desejados por mulheres. Guedes também orgulhosamente admite ter sido violento durante seu tempo na Polícia Militar. Vale destacar que Guedes mantém proximidade com a família Bolsonaro, tendo aparecido em vídeos ao lado do ex-presidente Jair Bolsonaro e seu filho Eduardo.

Diante da viralização do vídeo, Evandro Guedes tentou se explicar mas deu declarações tão repugnantes quanto às de 2019. Ele disse, entre outros absurdos, que se a pessoa está morta, “não é uma mulher”, e que na verdade reproduziu o que chama de “ficção jurídica”.

BOM DE PORRADA

O ex-presidenciável Ciro Gomes (PDT) assistia a um show do cantor Dudu Nobre, em Fortaleza (CE) quando foi chamado de “bandido” por um sujeito e acabou revidando com um tapa na cara.

O homem se aproximou de Ciro com a câmera na mão e perguntou enquanto filmava:

“Diz para nós como é que rouba a população sem ser preso.”

Ciro respondeu sem se exaltar:

“Quem deve saber isso é bandido, eu não sou, não.”

A seguir, o sujeito insistiu: “tu é bandido.”

Ciro Gomes então não teve dúvidas e enfiou um tapa na cara do homem.

“Tu deu na minha cara, seu racista?”, perguntou o homem.

Ciro Gomes respondeu que “sim” e ainda explicou:

“Dei (…) para você aprender a me respeitar.”

O sujeito ainda diz que vai chamar a Polícia Militar. “Ciro Gomes deu na minha cara”.

EXTREMA DIREITA EM AÇÃO

O prefeito Beto Pagnussatt, do Patriota, cancelou um evento musical em Toledo, Paraná, alegando motivos técnicos. O cantor Chico César denunciou censura. A extrema-direita local, liderada pelo vereador Marcelo Marques (Patriota), pressionou pela decisão do cancelamento, alegando que o artista era apoiador do ex-presidente Lula. O vereador elogiou o prefeito pela decisão, mencionando a homenagem de Lula a Chico César com a Ordem do Rio Branco.

Em outro incidente, a porta-bandeira da Portela, Vilma Nascimento, sofreu abordagem racista no aeroporto de Brasília, levando à demissão de quatro funcionários da Dufry Brasil, empresa responsável. O vídeo do incidente viralizou, causando indignação. Personalidades como Paulinho da Viola e a ministra Anielle Franco expressaram solidariedade a Vilma. A Portela se apresentou nos minidesfiles no Rio de Janeiro em homenagem ao Dia Nacional do Samba, após o ato considerado racista.

MICHEQUE

O Partido Liberal recebeu uma pesquisa interna sobre a popularidade da ex-primeira-dama Michelle Bolsonaro e suas chances de concorrer a diversos cargos nas eleições de 2026. Uma informação vazada revela que, se a eleição para o Senado pelo Paraná ocorresse hoje, Michelle seria eleita com 40% dos votos válidos, o que é relevante devido à possível cassação do mandato do senador Sérgio Moro (Podemos). A presidente do PT, deputada Gleisi Hoffmann, já considerou candidatar-se à vaga de Moro, mas enfrentaria um desafio significativo caso Michelle também entre na disputa.

MACHÃO

O vereador Pedro Aureliano (Cidadania-PB) admitiu durante uma sessão da Câmara de Piancó que agride mulheres.

FRASES DA SEMANA

“No curto prazo, a situação vai piorar. Depois desse ajuste macro, a situação começará a melhorar”. (Javier Milei, o novo presidente da Argentina)

“Se tiver que fazer deficit, vamos ter que fazer. Senão a gente não ganha a eleição em 2024. É claro que o governo Lula tem uma responsabilidade fiscal, mas temos um problema”. (Líder do governo José Guimarães durante a Conferência Eleitoral do PT para 2024)

“Por quê um partido que muitas vezes pensa que tem toda a verdade do planeta só conseguiu eleger 70 deputados? Por que tão pouco? Se a gente é tão bom, por que tão pouco? É preciso que a gente tente encontrar a resposta dentro de nós”. (Lula, durante encontro nacional do PT)

“Todos os sistemas preventivos falharam no combate à corrupção. Isso acabou criando um vácuo muito grande e gerou uma polarização, o ódio e um surgimento, não só no Brasil, de uma extrema direita com sangue nos olhos e antidemocrática”. (Alexandre de Moraes, ministro do STF)

“Assim, o reconhecimento, em definitivo, do Sport Clube Recife como único campeão legítimo do torneio brasileiro de futebol 1987, conduz à inexorável improcedência do pedido formulado na ação principal.” (Ministro Dias Toffoli ao negar o último recurso do Flamengo e confirmar o Sport como único campeão brasileiro de 1987)

“Trata-se de um pedido [de impeachment] constrangedor, para quem escreveu e assinou, não para mim. Assinou apenas por oposição política. Uma peça jurídica de 5ª categoria, se fosse uma prova da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), a pessoa que a fez não seria aprovada”. (Ministro Silvio Almeida (Direitos Humanos) ao falar do pedido de impeachment contra ele feito por deputados oposicionistas).

“Creio ser bem difícil. Senado nunca barrou um nome. Vale ver se seu senador ao menos declarou voto contra (o voto é secreto). Pressione-o. Sempre há esperança”. (Eduardo Bolsonaro em uma rede social desesperançoso sobre barrar a indicação de Flávio Dino para o STF)

[A Alemanha] precisa se voltar para o Brasil. Sobretudo neste momento em que o Brasil está trabalhando a questão de energia limpa, de renovação, transição energética, Amazônia, biodiversidade. O Brasil é a bola da vez, é só investir (Palavras de Lula na Alemanha)

Leia outros artigos da coluna: Ágora Digital

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *