29/02/2024 - Edição 525

Campo Grande

Rotatória da Mato Grosso

Publicado em 04/05/2017 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com objetivo de colocar em pauta o tema da segurança viária, o movimento internacional Maio Amarelo traz à tona importantes estatísticas sobre acidentes de trânsito que tem preocupado as autoridades. Apoiador da ação, o Governo do Estado vem desenvolvendo diversas investimentos nos 79 municípios nas áreas de engenharia de trânsito, educação e inteligência. Em Campo Grande, uma das principais obras financiadas pelo Estado é o reordenamento do trânsito na rotatória da avenida Mato Grosso.

Baseada em estudo técnico, a intervenção tem como objetivo dar mobilidade e organização no trânsito local. O governador Reinaldo Azambuja destaca que o problema de tráfego na rotatória da confluência das avenidas Mato Grosso e Nelly Martins (Via Parque), se arrasta há anos como um esforço diário para muitos moradores da região e servidores públicos, que usam a rota para acesso ao Parque dos Poderes.

“É um problema diário para muitas pessoas. Essa obra reflete o nosso comprometimento com a expansão da cidade, haja vista que o crescimento populacional e o aumento da frota são fatores preponderantes do aumento do fluxo no local. Para reverter esse quadro estamos empenhados em tirar essa obra do papel para oferecer um trânsito mais seguro e menos estressante à nossa população”, afirma.

De acordo com a Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), a confluência registra três horários de engarrafamento: pela manhã, almoço e ao final da tarde. Segundo os técnicos, em média o tempo do percurso de 600 metros a 1 quilômetro, gira em torno de 14 minutos. Com a obra finalizada, a estimativa é que o tempo passará para, no máximo, cinco minutos. O fluxo diário da via é de 18.320 veículos indo para o centro da cidade e 17.990 veículos para o Parque dos Poderes.

O servidor público aposentado, Jorge Macedo de Araújo, 59 anos, disse que transita pelo local diariamente e a reorganização do tráfego vai fazer a diferença em seu itinerário. “Essa rotatória no horário de pico vira um verdadeiro caos. O pessoal sai do Parque e dos bairros e desce todo mundo junto, não usam as vias alternativas. Acho que a ação que está sendo executada vai melhorar bastante o trânsito, os sinaleiros e o alargamento das vias vão desafogar bem, principalmente com a via que abriram ali na lateral. Com a mudança os carros não vão mais trancar o trânsito, mas esperar a hora certa de cruzar a avenida”, disse.

Para a dona de casa, Tereza Maria Cremonini Genevro, 66 anos, a rotatória estava impossível. Ela mora há 30 anos na Chácara dos Poderes e utiliza a via todos os dias. “Levo minha neta para o colégio, venho fazer mercado, pagar contas. O fluxo de carros, motos, caminhões aqui aumentou bastante nos últimos anos, por causa do hospital, dos bairros que tiveram aumento de moradores. Acredito que a obra vai melhorar e muito a nossa vida, porque do jeito que estava é muito difícil, praticamente impossível de passar”, declarou.

André Leal Barbosa de Moraes, 28 anos, é farmacêutico e trabalha próximo a entrada do bairro Carandá Bosque. “Subo pela avenida Mato Grosso todos os dias. Em horário de pico já cheguei a demorar 40 minutos da rotatória até a farmácia ao lado do posto de combustíveis. Então, acredito que aumentando a quantidade de faixas como está sendo feito, o escoamento dos veículos será muito mais rápido. Os sinaleiros serão as principais ferramentas para acabar com os carros que desembocam na Mato Grosso e trancam o trânsito. Sem contar que a reorganização ainda previne acidentes”, falou.

Financiamento estadual

Por meio do Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul (Detran-MS), o Governo do Estado realizou o primeiro repasse financeiro à prefeitura em 2014, assinou três termos aditivos, e em março de 2017 aditou o convênio em 25%, que passou de R$ 1.327.991,81 para R$ 1.653.763,30, devido à ampliação do projeto.

A obra prevê a instalação de quatro conjuntos de semáforos nas áreas de intervenção, equipados com controladores de tempo conforme o fluxo de veículos. Também haverá a abertura de trecho como opção de acesso ao Parque dos Poderes e à região do bairro Carandá Bosque, além de intervenções na drenagem e abertura de uma faixa adicional na avenida Mato Grosso, no acesso à rotatória.

Números de acidentes

Houve uma diminuição do número de acidentes de trânsito em Mato Grosso do Sul, saindo de 31,9 mil em 2013 para 24,6 mil em 2016. Em Campo Grande, o número de acidentes fatais reduziu de 116 em 2013 para 83 em 2016.

Para o diretor presidente do Detran, Gerson Claro, a diminuição se deve às campanhas educativas e ao comprometimento dos motoristas. “Reduzimos as estatísticas em 33%, mas esse número ainda está muito aquém do que desejamos. O Maio Amarelo não é um movimento do Estado e sim da sociedade que é quem precisa fazer a diferença. Hoje, 90% dos acidentes tem como fator preponderante as falhas humanas, por isso a campanha da escolha faz a diferença. Eu escolho andar na velocidade permitida ou a 190km/hora, beber e dirigir, por exemplo. O poder público não quer multar ninguém, mas que as pessoas passem a obedecer as Leis e tenham consciência que está na hora de mudar o comportamento”, ponderou.

Como parceiro da ação, o governo traz uma programação extensa em todos os 79 municípios de prevenção aos acidentes de trânsito. São palestras, ações educativas, blitzes informativas, entre diversas outras, com participação dos Centros de Formação de Condutores, Polícia Militar, igrejas, sindicatos, associações, empresas privadas, num total de 150 entidades, que ao lado dos Detrans e Agetrans de todo Brasil estão unidos para envolver a sociedade por um trânsito mais seguro


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *