18/05/2024 - Edição 540

Campo Grande

Com emergência declarada, Campo Grande amplia público alvo de vacina contra a gripe

As doses estarão disponíveis nas Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSFs) e Unidades Básicas de Saúde (UBSs), a partir das 14h

Publicado em 02/05/2024 9:37 - Semana On

Divulgação Tomaz Silva - Abr

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A partir desta quinta-feira (2), a Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) passa a vacinar contra a gripe todas as pessoas com mais de seis meses de idade. A vacinação começa a partir das 14h.

Com isso, as doses estarão disponíveis nas mais de 70 unidades básicas e de saúde da família espalhadas pelas sete regiões urbanas e distritos de Campo Grande. Para encontrar um ponto mais perto da sua casa, basta clicar aqui.

Ontem, a Prefeitura decretou situação de emergência por conta do elevado número de casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAGs) registrados, o que tem levado a sobrecarga dos serviços de saúde e maior demanda por internação hospitalar.

A secretária municipal de Saúde, Rosana Leite de Melo, destacou a importância da vacinação como principal estratégia de proteção contra o vírus, considerando o aumento de doenças respiratórias no município.

“A imunização é nossa principal aliada, por isso quero convocar todos os campo-grandenses para garantir essa proteção tão importante para a saúde coletiva. Nós estamos passando por um período de aumento de casos e é fundamental que toda a população busque se vacinar”, afirmou.

Vacina abaixo da meta

Até agora, Campo Grande vacinou aproximadamente 66 mil pessoas, o que representa pouco mais de 16% da população-alvo da campanha, estimada em 360 mil pessoas. O município recebeu aproximadamente 225 mil doses da vacina contra a gripe e terá disponível 160 mil doses para atender toda a população.

As vacinas contra a influenza são trivalentes, produzidas pelo Instituto Butantan e distribuídas para toda a rede pública de saúde. A composição varia anualmente conforme as cepas do vírus predominantes.

Neste ano, as vacinas possuem três tipos de cepas de vírus combinadas: A (H1N1); A (H3N2) e B (linhagem B/Victoria), conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Crianças de até 9 anos são mais da metade dos casos na capital

Entre janeiro e abril de 2024, Campo Grande registrou 1.033 casos. Do total de casos de doenças respiratórias registrados este ano, 51% são de crianças de zero a 9 anos.

Os dados são do painel de monitoramento da Sesau e mostram que são 537 casos de SRAG em crianças de até 9 anos e outros 256 em idosos com mais de 60 anos, os dois grupos de risco para doenças respiratórias.

Este ano, os casos de SRAG em Campo Grande começaram a aumentar em abril, sendo que em 2023 a gravidade dos casos aconteceu a partir de março. Os vírus causadores das SRAG também são diferentes, pois em 2023 houve um surto do sincicial respiratório e, este ano, sequenciamento mostra rinovírus e influenza.

No ano passado, Mato Grosso do Sul viveu uma crise grave de síndromes respiratórias, principalmente em bebês. Nos quatro primeiros meses de 2023, foram registrados 1.346 casos de SRAG em Campo Grande e 128 mortes, sendo 15 de crianças até 9 anos.

Neste ano, Campo Grande acumula 68 mortes em decorrência das SRAG, sendo três de crianças até 9 anos e 42 de idosos com mais de 60 anos. Os dados são do painel de monitoramento da Sesau.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *