29/05/2024 - Edição 540

Campo Grande

Campo Grande enfrenta surtos de viroses respiratórias e intestinais, alerta secretaria

Dados revelam aumentos nos atendimentos aos adultos e crianças nos postos de saúde da capital. Secretaria reforça orientações para saúde dos moradores

Publicado em 24/04/2024 9:47 - José Câmara - G1MS

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Campo Grande enfrenta surtos de viroses respiratórias e intestinais, de acordo com a secretaria municipal de Saúde (Sesau). Os números de atendimentos nos postos de saúde públicos da capital aumentaram em 46% entre os adultos e 28% na ala pediátrica, se comparados os pacientes dos dias 21 e 22 de abril deste ano.

Diante do aumento no número de pessoas procurando o atendimento médico as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Pronto Atendimento (UPA), a Sesau alerta para situação de surto e reforça as orientações em relação aos cuidados e formas de prevenção das doenças.

Conforme a secretária municipal de Saúde, Rosana Leite de Melo, neste momento é preciso o reforço da higiene pessoal e etiqueta respiratória, associada à vacinação contra Gripe e Covid-19. A secretária também alerta para o uso de máscara para pacientes sintomáticos.

“O uso de máscaras de proteção facial continua sendo recomendado para sintomáticos respiratórios, indivíduos com fatores de risco, em especial imunossuprimidos, idosos, gestantes e pessoas com múltiplas comorbidades”, complementa.

Aumento dos casos

Segundo a secretaria, o aumento dos casos de doenças respiratórias tem provocado uma sobrecarga no serviço de saúde do município.

Na Urgência e Emergência houveram aumentos expressivos na demanda, conforme Rosana Leite. Somente na segunda-feira (22), foram registrados 6.455 atendimentos nas seis Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e quatro Centros Regionais de Saúde (CRSs).

Em relação ao dia anterior, foram 854 pacientes adultos atendidos, enquanto que no dia 22 de abril foram 1.593. Já em relação ao atendimento infantil, foram 638 no dia 21 de abril e 658 no dia 22.

Em relação a situação, a Sesau informou que realizou reforço do quadro funcional das unidades, reorganização do fluxo de atendimento, além da tratativa para ampliação no número de leitos hospitalares.

Recomendações

Em nota, a Sesau determinou algumas recomendações à população. Veja as orientações abaixo:

– Intensifique a higienização das mãos no dia a dia com água e sabão ou álcool em gel;

– Evite tocar nos olhos, nariz e boca sem ter higienizado as mãos;

– Sempre que tossir ou espirrar, proteja a boca e o nariz com um lenço de papel ou use o antebraço (dobra interna do cotovelo). As mãos são importantes veículos de contaminação;

– Não compartilhar objetos de uso pessoal, como copos, talheres, garrafas, toalhas;

– Mantenha os ambientes bem ventilados e evite aglomerações;

– Recomenda-se o uso de máscaras para pessoas com sintomas gripais;

– Crianças com sintomas gripais, como tosse, coriza, congestão nasal, febre, dor de cabeça e dor de garganta, devem ficar em repouso, consumir alimentação balanceada, aumentar a ingestão de líquidos e evitar contato com os colegas;

– Não leve a criança para a escola quando ela estiver doente, a fim de evitar a transmissão;

– Mantenha atualizada a caderneta de vacinação.

Prefeitura reforça equipes nas unidades para atender demandas de viroses e quadros respiratórios

Para desafogar as unidades e garantir o atendimento à população, a Prefeitura de Campo Grande estabeleceu medidas emergenciais, incluindo o acionamento imediato da Equipe Móvel de Ação em Crise (EMAC), com o envio de um número expressivo de profissionais para reforçar o quadro funcional dessas unidades.

A EMAC é composta por profissionais lotados na Rede Municipal de Saúde que ficam de sobreaviso e são acionados pela Coordenadoria de Urgência da Sesau para fazer o reforço nas unidades, que estejam sobrecarregadas e, consequentemente, com maior tempo de espera por atendimento. O monitoramento das 10 portas de urgência e emergência é feito pela equipe técnica da coordenação com base nos dados analíticos e situacionais em relação ao fluxo de atendimento.

A Prefeitura, por meio da Sesau, adotou diversas medidas para assegurar a assistência adequada à população. Entre elas, a reorganização do fluxo de atendimento, e o reforço no quadro funcional com acionamento da EMAC. Na segunda-feira, por exemplo, foram deslocados 20 profissionais da EMAC para às unidades durante o período diurno, sendo 15 clínicos e 05 pediatras. Somados aos 72 médicos escalados, as seis UPAs e quatro CRSs concentraram 91 médicos ao longo do dia.

A secretária municipal de Saúde, Rosana Leite de Melo, alerta para um aumento no número de casos de viroses respiratórias e gastrointestinais, o que reforça a importância dos cuidados diários e a manutenção da chamada etiqueta respiratória.

“É importante que a população entenda que estamos registrando muitos casos de doenças respiratórias e que aquelas medidas já conhecidas, como a higienização adequada das mãos, uso de máscaras em casos de pessoas com sintomas, além da vacinação, por exemplo, precisam ser reforçadas. É fundamental que haja esse cuidado”, disse.

A secretária lembra que aquelas pessoas que apresentam sintomas leves podem procurar uma das 74 unidades básicas e de saúde da família espalhadas pelas sete regiões urbanas e distritos de Campo Grande. “Estas unidades estão preparadas para dar um atendimento adequado a este paciente. Em caso de necessidade, diante do agravamento do quadro, aí sim recomendamos buscar as UPAs e CRSs, que são unidades onde o atendimento preferencial é para casos de maior gravidade”, conclui.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *