21/07/2024 - Edição 550

Poder

Um dia após reforma ministerial, presidente nacional do PP ataca Lula

Como ficou a troca de ministérios do governo

Publicado em 08/09/2023 9:05 - Lucas Neiva (Congresso em Foco), DW - Edição Semana On

Divulgação Reprodução

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Um dia após o presidente Lula anunciar os deputados André Fufuca (PP-MA) e Silvio Costa Filho (Republicanos-PE) como novos ministros, em uma acomodação do centrão liderado pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o presidente nacional do PP, senador Ciro Nogueira (PI), usou suas redes sociais para tecer críticas a Lula e ao público que acompanhou o desfile de 7 de Setembro na Esplanada dos Ministérios, a quem chamou de “companheirada de aluguel”.

“O 7/9 é um retrato do Lula 3: o presidente desfilou para ninguém, foi aplaudido pelos áulicos de sempre e vai dizer que foi tudo ótimo. Só um detalhe: KD O POVO NO 7/9, Lula? O rei está nu. Sem povo, só com o aplauso da companheirada de aluguel”, escreveu Ciro Nogueira em uma rede social.

O presidente Lula (PT) participou do evento, mas não se manifestou publicamente. Um forte esquema de segurança foi montado na Esplanada dos Ministérios, onde ocorreu o desfile. O presidente do Senado Rodrigo Pacheco (PSD-MG) e a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Rosa Weber, acompanharam a cerimônia ao lado de Lula, na tribuna de honra.

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), não acompanhou o desfile em Brasília. A primeira dama, Janja, escolheu um vestido vermelho para a cerimônia. Durante parte do percurso, ela saudou o público fazendo o “L” com a mão.

Poucas horas antes, na noite de quarta-feira (6), Lula acertou a primeira parte da reforma ministerial, que busca incluir o PP e o Republicanos na base do governo na Câmara dos Deputados. André Fufuca, que lidera a bancada do PP, ficará com o Ministério do Esporte, enquanto Silvio Costa assume o lugar de Márcio França na pasta de Portos e Aeroportos. França é um dos principais quadros do PSB, um dos principais partidos na base do governo, e será realocado ao futuro Ministério da Micro e Pequena Empresa, que será desmembrado do atual Ministério da Indústria e Comércio, hoje sob o comando do vice-presidente Geraldo Alckmin.

As mudanças se deram após semanas de discussões intensas dentro do governo a fim de acertar o espaço cobrado por Arthur Lira e aliados no governo. De um lado, apesar de Ana Moser, que comandava o Esportes, não possuir filiação partidária, a ministra recebeu apoio de entidades da sociedade civil para permanecer no cargo. Do outro, Márcio França não apenas resistiu à saída do cargo, como seu deslocamento trouxe insatisfação à bancada do PSB na Câmara, cujos deputados se queixaram de não terem sido consultados no processo de negociação.

A expectativa do governo é que, com as mudanças, seja possível aumentar a bancada governista em até 90 deputados, alcançando assim uma maior segurança na votação de seus projetos de lei e medidas provisórias.

Como ficou a troca de ministérios do governo Lula

O presidente Lula formalizou o convite aos deputados federais André Fufuca e Silvio Costa Filho para assumirem os ministérios do Esporte e dos Portos e Aeroportos, respectivamente.

As negociações vinham ocorrendo há meses e marcam a entrada no primeiro escalão do governo das siglas Republicanos e PP -, este último tendo como principal expoente o presidente da Câmara, Arthur Lira.

As duas legendas, integrantes do chamado Centrão, fizeram parte da coligação com o PL de Jair Bolsonaro para reeleição à Presidência, em 2022. Os novos ministros devem tomar posse após o retorno de Lula da cúpula do G20, na Índia.

Republicanos e PP estão entre as maiores bancadas parlamentares na Câmara dos Deputados, onde o governo busca consolidar uma base de apoio para aprovação de projetos.

Atualmente, o governo tem uma base de cerca de 250 deputados na Câmara, incluindo os partidos de esquerda, e de parte das bancadas de PSD, União Brasil, MDB, siglas com cargos de comando na Esplanada dos Ministérios. A mudança pode contribuir com até 49 votos do PP e 41 do Republicanos, chegando a 340 deputados.

Quarta mudança ministerial

Fufuca assume o lugar de Ana Moser, enquanto Costa Filho sucede a Márcio França (PSB), que assumirá uma nova pasta a ser criada, batizada de Ministério das Micro e Pequenas Empresas. O destino de Ana Moser não foi informado.

As novas mudanças representam a quarta troca ministerial promovida por Lula em seu atual mandato, em menos de um ano. Em julho, ele já havia anunciado mudança no Ministério do Turismo, com a saída de Daniela Carneiro (União Brasil-RJ) e a indicação de Celso Sabino (União Brasil-PA), que tomou posse há cerca de um mês. A medida havia sido uma exigência da cúpula nacional do União Brasil para se manter na base do governo, após divergências internas com a ex-ministra.

Em abril, o general Gonçalves Dias pediu afastamento do cargo de ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) da Presidência da República, no contexto da divulgação das imagens da invasão no Palácio do Planalto, no dia 8 de janeiro.

Em uma rede social, André Fufuca agradeceu o convite e a confiança do presidente Lula. “O grande desafio que se mostra será colocar o Esporte definitivamente como política de Estado, por sua inegável importância social e cultural. Vou me debruçar sobre estratégias, planos e metas em busca de resultados, com o compromisso de continuar pautando minhas ações no diálogo, respeito, equilíbrio e responsabilidade, com o objetivo maior de beneficiar todos os brasileiros e brasileiras”, disse.

Silvio Costa Filho também comunicou o convite para a nova função à frente da pasta dos Portos e Aeroportos. “Vamos juntos dialogar com os trabalhadores e trabalhadoras, com o setor produtivo nacional, governadores e governadoras de Estado, prefeitos e prefeitas do Brasil para que, de maneira coletiva, possamos avançar na agenda do desenvolvimento econômico e social do país”, afirmou em sua rede social.

Em nota publicada no site do Ministério do Esporte, Ana Moser lamentou o pouco tempo para a implantação de uma política pública de esporte inclusiva. Segundo ela, as ações executadas no período e as entregas previstas pela pasta foram apresentadas ao presidente.

“Tivemos pouco tempo para mudar a realidade do Esporte no Brasil, mas sei que entregamos muito, construímos muito e levamos a política do presidente Lula aos que tivemos contato de norte a sul deste país. Continuarei lutando e contribuindo para uma política pública de esporte que seja para todas, todos e todes. Agradeço aos que estiveram comigo percorrendo este caminho curto e árduo”, afirmou Moser.

Quem são os novos ministros?

Nascido em Santa Inês, interior do Maranhão, e formado em Medicina, Fufuca, de 33 anos, entrou para a política antes de terminar o curso acadêmico, sendo eleito deputado estadual aos 21 anos. Em 2014, ele foi eleito deputado federal, tendo sido desde então reeleito duas vezes. Atualmente, ele está filiado ao PP e é o líder da bancada do partido na Câmara.

Filho do ex-deputado federal Sílvio Costa e formado em Pedagogia, Costa Filho, de 41 anos, já foi vereador do Recife, deputado estadual e secretário de Turismo de Pernambuco. Ele iniciou a carreira política em 2004, com apenas 22 anos. Em 2018, ele foi eleito deputado estadual e reeleito no ano passado. Apesar de ser filiado a um partido da até então base bolsonarista, Costa Filho apoiou em 2022 a candidatura de Lula à presidência.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *