25/04/2024 - Edição 540

Poder

Quaest: 50% acha justo prender Bolsonaro

Pedido por anistia vira piada no Planalto

Publicado em 28/02/2024 10:54 - Leonardo Sakamoto (UOL) – Edição Semana On

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Pesquisa Genial/Quaest, divulgada nesta quarta (28), aponta que 47% dos entrevistados acreditam que o ex-presidente participou de um plano para dar um golpe de Estado e evitar a posse de Lula, enquanto outros 40% afirmam que isso não aconteceu.

Ao mesmo tempo, 50% afirmam que seria justo prender Bolsonaro, enquanto outros 39% acreditam que não. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais. Os números foram levantados a partir de entrevistas presenciais com 2.000 pessoas acima de 16 anos de idade, de todas as regiões do Brasil, realizadas entre domingo e ontem. O nível de confiança da pesquisa é de 95%.

Entre os eleitores de Lula no segundo turno de 2022, 77% defendem que Bolsonaro participou da trama golpista, enquanto 83% dos eleitores de Jair sustentam que não.

Essa polarização acompanha os resultados da pesquisa, com exceção da parcela do eleitorado que não votou em ninguém. O não-eleitor e o eleitor independente vêm sendo os fiéis da balança: neste caso, 47% deles acham que o ex-presidente tentou dar um golpe de Estado, frente a outros 32% que dizem que não.

Entre os eleitores de Lula, 79% dizem que seria justa a prisão de Jair Bolsonaro, frente 82% dos eleitores do ex-presidente que afirmam que isso seria uma injustiça. Entre os que não foram votar no segundo turno de 2022, 53% acham que seria justa a prisão de Bolsonaro.

Os evangélicos são o grupo mais contrário à prisão do ex-presidente: 56% desse grupo dizem que seria injusta uma prisão, frente a 36% que dizem que ela seria justa. Junto aos católicos, 55% defendem que a prisão de Bolsonaro seria justa, diante de 34% que apontam injustiça.

E enquanto a maioria dos moradores da região Sul do país defende que Bolsonaro na cadeia seria uma injustiça (53% a 41%) e há um empate técnico nas regiões Centro-Oeste e Norte (44% acreditando ser justa frente a 42%), o Nordeste (61% a 29%) e o Sudeste (49% a 40%) tem a maioria da população apontando que uma prisão seria justa.

Entre que se informam sobre política pelo WhatsApp e pelas redes sociais, 49% acreditam que a prisão de Bolsonaro seria injusta, enquanto 42% e 44%, respectivamente, dizem que seria justa. A situação se inverte, com uma maioria achando justa a prisão, entre quem se informa sobre política pelo rádio (58%), pela TV (58%), pelo jornais impressos (54%), por sites, blogs e portais de notícias (49%) e até por amigos, familiares e conhecidos (59%).

A pesquisa também perguntou se a Justiça acertou em tornar Bolsonaro inelegível – ele foi condenado duas vezes pelo Tribunal Superior Eleitoral e não pode participar de eleições até 2030. No total, 51% afirmaram que sim, a justiça acertou, e 40% dizem que não.

Entre os eleitores de Lula, 81% afirmam que a Justiça Eleitoral acertou e 84% dos eleitores de Bolsonaro afirmam que errou. Entre os que não votaram em nenhum dos dois, 52% dizem que o TSE acertou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *