25/02/2024 - Edição 525

Mato Grosso do Sul

Governo se aproxima de zerar obras inacabadas, afirma Reinaldo Azambuja

Publicado em 12/01/2018 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Concluir todas as 215 obras inacabadas no Estado. Este foi um dos compromissos do governador Reinaldo Azambuja (PSDB) ao assumir seu mandato em janeiro de 2015. Segundo levantamento do Governo do Estado, em três anos de gestão o governador já entregou 208 obras, ou seja, 97%. Os investimentos somam R$ 734,8 milhões em infraestrutura viária e obras civis, em todos os municípios.

“Um dos instrumentos para superar a crise é investir na conclusão de obras inacabadas, independente de quem as iniciou”, afirmou Reinaldo Azambuja, ao lançar o programa Obras Inacabadas Zero. “Agora, a gente avança para concluir essas edificações e mostrar para a população que nós temos respeito com o dinheiro público”, completou o governador.

Das sete obras ainda não concluídas, duas estão em execução: a pavimentação das rodovias Passo do Curê (MS-178/BR 267) e da MS-382 (centro de Bonito-Gruta do Lago Azul). Os três presídios em construção em Campo Grande aguardam recursos federais para terem sequência, bem como o segundo trecho da MS-382 (Bonito-Serra da Bodoquena). A retomada do Aquário do Pantanal depende de ajustes judiciais.

Hospitais: novos projetos

Os hospitais regionais de Dourados e Três Lagoas, anunciados pela gestão anterior, tiveram seus projetos refeitos e fazem parte do programa de Governo de Reinaldo Azambuja, dentro do plano de estruturação e regionalização da saúde em Mato Grosso do Sul, que se iniciou em 2015 com a Caravana da Saúde. Serão investidos R$ 115 milhões nos dois complexos, entre recursos estaduais e federais.

Orçada anteriormente em R$ 68,4 milhões, a obra do Hospital Universitário de Três Lagoas já está em execução desde abril deste ano, ao custo de R$ 56,4 milhões, com conclusão prevista para março de 2019. A unidade, que atenderá também a população de Água Clara, Bataguassu, Brasilândia, Santa Rita do Pardo e Selvíria e o curso de Medicina da Universidade Federal de MS (UFMS), terá 138 leitos.

“Além de construirmos um hospital que beneficiará a população de toda a Costa Leste, como ponto de atendimento de referência em média a alta complexidade, servirá também para a formação dos novos profissionais da área da saúde”, afirmou Reinaldo Azambuja, ao visitar a obra em setembro. “Vamos entregar o hospital equipado e a gestão será em parceria com a prefeitura, já que a saúde é municipalizada”, acrescentou.

O empenho do governador e da bancada federal foi fundamental para resgatar a verba destinada pelo Ministério da Saúde para a construção do Hospital Regional da Grande Dourados (HRGD), que centralizará o atendimento a 34 municípios da região e faixa de fronteira. Com a equação financeira resolvida e o novo projeto finalizado, Reinaldo Azambuja autorizou em novembro o processo licitatório da primeira etapa da obra orçada em R$ 59 milhões.

Infraestrutura viária

Dentro do programa de Obras Inacabadas Zero, o Governo do Estado retomou 19 projetos de pavimentação de rodovias abandonadas pelas gestões anteriores, concluindo e entregando 274 km de importantes vias de integração regional e escoamento da produção. A melhoria da infraestrutura viária incluiu também a restauração de 102 km de rodovias que se encontravam em situação precária, como a ligação entre Batayporã e Anaurilândia (MS-276).

Foram cumpridos os contratos firmados em 2014, de pavimentação e restauração asfáltica urbana em 35 localidades. O total de investimento em infraestrutura foi de R$ 490 milhões, incluindo ainda a construção de pontes e pórticos e a retomada da última etapa da obra do anel rodoviário no distrito de Indubrasil, na Capital. A indústria Premier Outlet aguardava apenas a construção da rotatória, em execução, para iniciar suas atividades em 2018. 

No setor de obras civis, os projetos retomados e concluídos são referentes aos contratos herdados da administração anterior desde o ano de 2010, como a reforma e ampliação do prédio do Complexo Regulador de Saúde e a revitalização do Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande. São 134 contratos, totalizando investimento de R$ 243,8 milhões, dos quais R$ 25,9 milhões referentes a serviços em execução.

Dentre estas obras, foram executadas e entregues, em 36 municípios, novas edificações, ampliações e reformas de prédios escolares, hospitais, bibliotecas, delegacias de polícia, quartéis do Corpo de Bombeiros, praças, ginásios de esportes, novos blocos da Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (Uems), na Capital e no interior; agências fazendárias, agências de trânsito e laboratórios científicos.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *