13/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Eduardo Romero cobra reforma dos terminais

Publicado em 04/09/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O vereador Eduardo Romero (PT do B) voltou a pedir ao Executivo Municipal que institua o Fundo Municipal do Transporte Coletivo, sob o risco de que a próxima passagem passe para a casa dos R$ 3. O parlamentar alerta que setembro é mês véspera das discussões da nova tarifa, mesmo que ela não vigore neste ano é urgente o funcionamento do Fundo.

Sobre o Fundo Municipal do Transporte Coletivo, o vereador lembrou que é autorizativo da Casa de Leis e que sua cobrança como parlamentar não é uma crítica ao setor privado (Consórcio Guiacurus) ou ao Poder Público, mas uma tentativa de entendimento dos dois envolvidos para resolver a problemática do transporte coletivo que atualmente tem valor de R$ 2,70 pra ônibus convencional.

O objetivo do Fundo é subsidiar as gratuidades do transporte, já que as passagens ditas gratuitas são custeadas pelos pagantes que arcam, conforme o Consórcio Guaicurus, com quase 30% dos usuários entre estudantes, idosos, deficientes e outras 11 categorias como carteiros e militares.

O objetivo do Fundo é subsidiar as gratuidades do transporte, já que as passagens gratuitas são custeadas pelos pagantes que arcam com quase 30% dos usuários entre estudantes, idosos, deficientes e outras 11 categorias como carteiros e militares.

“Não questionamos gratuidades, que são direitos adquiridos. Queremos que o Fundo seja instituído para que os pagantes não sejam penalizados e arquem com toda a conta”, destaca Eduardo Romero.

O vereador também lembrou durante a sessão que a reforma dos terminais de ônibus não ocorreram conforme prometido pelo Executivo Municipal. Funcionários foram designados para fazer levantamento, mas de fato a reforma não ocorreu.

Um levantamento em todos os terminais e no ponto de integração Hércules Maymone verificou as más condições que vão desde vazamentos, banheiros com louças quebradas, pichações, bebedouros quebrados, falta de sinalização, falta de acessibilidade e segurança. O material foi encaminhado pra vários órgãos como prefeitura, Consórcio Guaicurus, Agereg, Ministério Público Estadual.

Levantamento

O Levantamento do Sistema Municipal de Transporte Coletivo de Campo Grande, apresentado pelo vereador Eduardo Romero (PT do B) na sessão ordinária do dia 11 de fevereiro, elencou uma série de responsabilidades compartilhadas no cuidado com os terminais, conforme pactuado na cláusula 12 do contrato 082/2012 (Contrato de Concessão). Além das condições físicas das plataformas, itens de segurança também são obrigatórios, como a presença de brigadistas em todos os terminais.

Uma vez por semana, o vereador, que é presidente da Comissão de Meio Ambiente, utiliza o transporte coletivo como meio de transporte, alternando com a bicicleta, o carro e carona amiga, com o objetivo é incentivar práticas sustentáveis e sentir de perto a realidade dos sistemas de transporte em Campo Grande.

Novos terminais

Em 2011 projeto apresentado ao Governo Federal já previa a construção de quatro novos terminais em Campo Grande: nos bairros Parati, Tiradentes, São Francisco e na avenida Dos Cafezais, na região do Paulo Coelho Machado. No ano passado a proposta foi aprovada pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da Mobilidade Urbana. R$ 180 milhões já estão empenhados para serem investidos em Campo Grande.

“Sabemos que a prefeitura está planejando a construção de mais quatro terminais. Este é o momento de identificar as fragilidades para que os projetos arquitetônicos beneficiem o conforto e acessibilidade dos passageiros. Nossa campanha visa sugerir melhorias e aprimorar os terminais, uma vez que acreditamos que isso aumenta o conforto dos usuários, incentivando a população a utilizar o transporte público”, destaca Eduardo Romero.

Bicicletários

Em agosto do ano passado, o vereador Eduardo Romero apresentou Projeto de Lei tornando obrigatória a instalação de bicicletários nos terminais e adaptação de chuveiros e vestiários em prédios públicos. O projeto foi aprovado por unanimidade na Casa de Leis e sancionado em setembro do ano passado. Para o vereador, tendo força de Lei, a construção dos novos terminais, prevista para este ano, já pode abranger um novo conceito. “Estas condições valorizam a mobilidade urbana sustentável e cria hábitos saudáveis na população, começando pelos servidores municipais. Entendemos que a colocação de bicicletários gratuitos é uma estratégia para o desenvolvimento da cidade”, defende Eduardo Romero.

Eduardo Romero explica ainda que o projeto é para instalação de bicicletários e não paraciclos. O bicicletário envolve infraestrutura, com grades, um local coberto e segurança. Já o paraciclo é um local para guardar bicicleta, mas o espaço é aberto e não há monitoramento do local, portanto a utilização ocorre por conta da responsabilidade do próprio usuário.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *