13/04/2024 - Edição 540

Entrevista

‘Vergonhoso’, diz viúva de vítima da ditadura sobre Lula enfraquecer ações nos 60 anos do golpe

Suzana Lisboa foi companheira de Luiz Eurico Tejera Lisboa, cujo corpo foi o primeiro a ser encontrado entre os desaparecidos da ditadura

Publicado em 13/03/2024 9:15 - ICL Notícias

Divulgação Guilherme Santos/Sul21

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Entrevistada pelo ICL Notícias na terça-feira (12), Suzana Lisboa fez parte do movimento estudantil gaúcho e foi militante da Ação Libertadora Nacional (ALN). Ela viveu na clandestinidade entre 1969 e 1978 e foi companheira de Luiz Eurico Tejera Lisboa, cujo corpo foi o primeiro a ser encontrado entre os desaparecidos da ditadura. Suzana critica duramente a decisão do presidente Lula de cancelar as manifestações dos ministérios em repúdio ao golpe militar de 1964, que em 2024 completa 60 anos.

“Queremos justiça quanto àqueles que torturaram, que vazaram os olhos, que arrancaram cabeças, que esconderam os corpos e que nos torturam até hoje com essa dúvida. Eu sou uma das pouquíssimas que teve a sorte de achar o seu desaparecido, eu tenho um túmulo para prantear. Centenas de familiares não têm. Ele (Lula) não sabe o que é isso”, lamenta Suzana. “Eu estou engasgada com essa decisão dele, estou envergonhada”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *