22/02/2024 - Edição 525

Entrevista

Alcides Bernal fala de suas propostas para Campo Grande

Publicado em 19/09/2016 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Alcides Bernal nasceu em 14 de julho de 1965, na cidade de Corumbá. Mudou-se para Campo Grande aos 15 anos para cursar a faculdade de Direito. Apaixonou-se pela capital do Estado e dela fez seu lar. Militou na política estudantil, de classe e comunitária. Bernal é advogado por formação e  tem no rádio a sua paixão. Por muitos anos foi o locutor de maior audiência do rádio, com os programas Refazenda e Cruzando Fronteiras. No rádio desenvolvia um importante trabalho social e foi então que sentiu a necessidade de ir além e candidatou-se a um cargo eletivo. Foi eleito vereador por dois mandatos, sendo o mais votado de Campo Grande. Em 2010 foi eleito Deputado Estadual.  Em 2012, venceu as eleições para prefeito e concorre a reeleição pelo PP.

 

Tradicionalmente a Saúde no país tem sido tratada sob a ótica “hospitalocêntrica”, com foco nos hospitais, na remediação da doença já instalada, ao invés do modelo que foca a prevenção. Que modelo de Saúde pretende adotar em Campo Grande?

Campo Grande tem hoje uma população de 863.982 pessoas, porém a secretaria municipal de saúde tem emitidos mais de 1,5 milhões de cartões SUS, ou seja, o sistema municipal atende praticamente o dobro da população. Essa situação se agrava quando o sistema, já sobrecarregado, absorve o interior, principalmente na questão dos leitos hospitalares.

Nossa administração vem desenvolvendo algumas ações para melhorar esta situação, com destaque para o Consulta Única, que já atendeu mais de 40 mil mulheres, oferecendo consulta médica, exames, inclusive de ultrassom, além de encaminhamento para cirurgias; Fila Zero, que tem por objetivo zerar as filas de espera por exames e consultas de alta complexidade, por meio de mutirões e o Terceiro Turno, que consiste na abertura das Unidades Básicas para atendimento noturno.

Para os próximos 4 anos, o planejamento é ampliar os programas e fortalecer a atenção básica. Na infraestrutura vamos ampliar a capacidade de atendimento da unidades básicas, concluindo as obras em andamento. Também pretendemos retomar o projeto do Hospital Municipal, interrompido com a nossa saída do mandato.

Que mudança fundamental pretende adotar na Rede Municipal de Ensino para oferecer uma Educação de qualidade aos jovens da capital?

Em janeiro de 2014 iniciamos uma importante mudança em relação à educação em nosso município ao transferirmos a administração dos Ceinfs da Secretaria de Assistência Social para a Secretaria de Educação. Essa mudança possibilitou o rompimento do uso político das vagas e também a melhoria da qualidade da educação de nossas crianças. É importante frisar que Campo Grande foi a última capital do país a fazer esta mudança e ela só foi feita em nossa gestão.

Ao retornarmos em 2015, o foco foi na recuperação do nosso município, principalmente no sentido da valorização dos profissionais de educação que tiveram suas promoções cortadas e estavam com salários parcelados.

Tomamos algumas medidas necessárias à melhoria da qualidade do ensino, como o fortalecimento das APMs; a troca de diretores escolhidos por critérios políticos por outros que passaram por uma avaliação técnica rigorosa; realizamos concurso público e já chamamos 567 professores.

Para o próximo mandato projetamos o investimento na qualidade do ensino, com a criação de uma escola em tempo integral em cada região da cidade (Meta 6 PNE e PME); uma nova escola agrícola; incremento das atividades extracurriculares nos contraturnos, fortalecendo o vínculo dos estudantes com a escola; apoio às atividades que elevem a qualidade de aprendizagem dos alunos, com estímulo à participação em olimpíadas, concursos e outras atividades.

A valorização do profissional também está em nosso programa, iremos, com responsabilidade, pagar o piso salarial para 20h para professores e também realizar eleições diretas para diretores e adjuntos.

O Transporte começa a ser um ponto de estrangulamento em Campo Grande. Que medidas pretende tomar para fazer frente a este desafio?

Já estamos tomando algumas medidas necessárias nesse sentido, implementando uma central de monitoramento do trânsito e do transporte público. Também estamos investindo na melhoria dos terminais de ônibus para garantir mais conforto aos passageiros.

Uma das principais ações deste programa é a implantação de mini terminais nos bairros, que serão estrategicamente posicionados nos principais corredores dos bairros e integrarão vários serviços de transporte, como ônibus, táxis, mototáxis e bicicletários. Inicialmente, os mini terminais serão implantados nos bairros Cidade Jardim, Parati, Coophavila, Rita Vieira, Novos Estados, Serradinho, Rodoviária Antiga, Coophasul, União, Nova Lima e Canguru. Estes mini terminais vão se tornar referências urbanas, integrando os bairros e criando novas linhas, itinerários e operações entre as regiões. 

Iremos implantar corredores exclusivos para a circulação de ônibus visando a redução do tempo de viagem no transporte público, onde os estudos detectarem essa necessidade.

E como forma de melhorar o transporte em Campo Grande, vamos atualizar o Plano Diretor de Transporte e Mobilidade Urbana e a Pesquisa de Origem e Destino.

Que ações serão efetivadas para a geração de emprego e renda em Campo Grande?

A principal contribuição que a administração pode dar para o desenvolvimento econômico de Campo Grande é investir em infraestrutura de transporte, segurança, saúde e educação, de forma a propiciar aos investidores, vantagens competitivas para desenvolvimento dos seus negócios.

Outra forma de contribuir é investir na capacitação dos servidores e melhoria nos processos de atendimento para diminuir os custos necessários para os empresários cumprirem com as obrigações determinadas pelo poder público.    

Em uma cidade de quase um milhão de habitantes é natural que a questão da segurança pública necessite de atenção redobrada. Que medidas pretende tomar nesta área?

A valorização da Guarda Civil Municipal é fundamental para melhorarmos a segurança, para isso vamos elaborar o Estatuto da Guarda Civil Municipal.

Também temos como proposta criar as Patrulhas Escolar, da Saúde e da Mobilidade, o Ciclopatrulhamento, o Patrulhamento Montado e implantar a Ronda Ostensiva Municipal e o fortalecimento da Patrulha Maria da Penha.

Vamos ampliar a estrutura do Canil Municipal e oferecer o adestramento gratuito de cão guia para deficientes visuais.

Vamos investir em tecnologia de comando, controle, comunicação digital e atendimento de despacho operacional, que possibilitem o efetivo controle de todas as ações de campo executadas pela Guarda Civil Municipal integrando com as demais secretarias, também em tecnologia de monitoramento eletrônico de proteção patrimonial com resposta dedicada e integração com as viaturas de patrulha de campo

Pretendemos ampliar a capacidade operacional da Central de Videomonitoramento, com a instalação de mais 42 câmeras e o aumento da malha de fibra ótica do município, além de investir na aquisição de armamento e na qualificação permanente do efetivo da Guarda Civil Municipal para o porte de arma de fogo

Uma das principais preocupações dos brasileiros na atualidade é a Transparência na gestão e o combate a Corrupção. Como pretende encarar estes aspectos vitais para a administração pública?

Nosso plano de governo é baseado em três eixos, entre eles o eixo Governo com Transparência, que dará o norte às ações de governo e deverá ser levado a todas as secretarias e autarquias municipais, garantindo o acesso aos dados e ações a todos os cidadãos de forma rápida, segura e claro, transparente.

Neste eixo estão previstas algumas ações, como a criação da Controladoria geral do Município, a ampliação do Sistema de Controle Interno e a criação do Programa de Transparência na Administração Municipal com objetivo de garantir maior participação popular.

Também iremos fortalecer a Corregedoria Geral do Município para prevenir e combater atos ilícitos e ampliar o atendimento das demandas da Ouvidoria Geral, disponibilizando acesso virtual direto.

Outra proposta que refletirá na transparência das ações é implantação de um Datacenter com tecnologia de infraestrutura específica, como instrumento de garantia da operacionalidade, segurança, disponibilidade e controle dos sistemas dos órgãos públicos municipais e do Instituto Municipal de Tecnologia da Informação e também a modernização dos sistemas de planejamento, da gestão e automação dos processos de orçamento, execução orçamentário-financeira, fluxo de caixa, controle social do gasto público, sistemas de custos e gestão da dívida pública, da legislação e do ordenamento dos processos institucionais.

Que peso tem em sua concepção de governo a participação popular na gestão? Que mecanismos práticos pretende adotar para facilitar a participação popular na gestão?

Um governo sem diálogo com a sociedade não é um governo completo. Por isso é necessário aumentar os canais de comunicação e interlocução com a comunidade nos bairros, que permitam o recebimento de demandas bem como, receber solicitações de acesso à informação nos termos da Lei Federal nº 12.527-2011 e encaminhar ao setor responsável.

Vamos garantir a participação da sociedade no processo de definição do orçamento do município, assegurando a inclusão de ações e propostas apresentadas e assegurar as condições mínimas para a participação popular nas instâncias de controle social das políticas públicas, apoiando a criação de novos espaços institucionais; além de qualificar dirigentes e lideranças dos movimentos populares para empoderamento acerca da construção do processo orçamentário, envolvendo PPA, LDO e LOA.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *