20/05/2024 - Edição 540

True Colors

Transexuais militares são tema de ensaio fotográfico emocionante

Publicado em 15/08/2017 12:00 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Ser trans não é fácil, o preconceito e a intolerância são grandes. Ser transexual e servir ao exército é algo ainda mais difícil. Em um ambiente extremamente conservador, transexuais precisam esconder sua identidade de gênero na tentativa de amenizar a violência.

Foi com o objetivo de retratar essa dura realidade de transexuais no exército que o artista e fotógrafo norte-americano Jeff Sheng produziu o ensaio fotográfico “Transgender Military” (transgêneros militares, em português).

O fotógrafo clicou trans que foram membros do serviço militar norte-americano em 2013. Os retratos são delicados e mostram as pessoas sozinhas, com a roupa oficial do exército e em cenários que remetem à solidão. Nas imagens, aparecem de costas ou com o rosto oculto por uma sombra.

Ao site “Huffington Post”, Sheng explica que a identidade daqueles que posam para as fotos foi preservada por segurança, já que na época, 2013, eles não poderiam revelar ao exército que eram trans. Ele acredita que um dia poderá fotografar essas pessoas novamente, mas sem que seja preciso ter medo de revelar as identidades.

“A minha esperança é que eles fossem plenamente aceitos nas forças armadas e que fossem permitidos a servir abertamente para aqueles que são gays, lésbicas e bissexuais”, diz. Diferente da transexualidade, ter relacionamentos homoafetivos é algo mais aceito entre os militares – não que seja algo simples.

Sheng dedica seu trabalho ao movimento contemporâneo que luta pelos direitos da população LGBT . Além de “Transgender Military”, o fotógrafo produziu uma série de fotos com retratos de gays e lésbicas que também serviram às forças armadas.

Cenário atual

Recentemente, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou que pessoas trans estão proibidas de exercer qualquer cargo nas forças armadas do país. “Nossos militares devem estar focados na vitória decisiva e esmagadora e não podem ser sobrecarregados com os tremendos custos e perturbações médicas que os transexuais podem gerar”, afirmou em sua conta no Twitter.

Isso significa um retrocesso nos direitos da população trans norte-americana, uma vez que durante a gestão do ex-presidente Barack Obama o Departamento de Defesa dos Estados Unidos estava trabalhando para garantir transexuais no exército. 

Leia outros artigos da coluna: True Colors

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *