13/06/2024 - Edição 540

Ogroteca

Sea of Stars

Uma delícia de jogo

Publicado em 15/09/2023 1:13 - Fernando Fenero

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Jogo videogames desde o final da década de 80, passei por diversas gerações e confesso que ainda não superei os 16bits da Guerra dos Consoles da quarta geração, entre Sega Mega Drive e Super Nintendo. E nessa luta pelo consumidor, que foi lançado o Dream Team de Chrono Trigger, um dos melhores jogos daquela década, e um tipo de RPG que não vemos muito por aí.

Na primeira vista, Sea of Stars era isso, uma cópia, um sucessor espiritual de Chrono Trigger, então peguei para o Nintendo Switch, mas logo após o lançamento acreditei que era um jogo que merecia ser jogado no Steam Deck, então fiz uma nova compra.

Fiz isso porque o jogo é uma delícia. Desde um roteio bem água com açúcar, mas de um jeito bom, não tem como não se encantar com os personagens e com a jornada que vão percorrer. Jogabilidade excelente, está muito bem traduzido, a trilha sonora é fantástica… posso elogiar Sea of Stars o dia todo, é o jogo que minha criança interior queria jogar, e o único que passa a frente de Starfield nesse momento.

Em Sea of Stars, o jogador conhece a história dos Heróis do Solstício, o representante do verão e do inverno, que são lutadores mágicos que protegem o mundo, ao lado deles, o personagem mais interessante do jogo: Garl, um cozinheiro que acompanha o grupo, e com seu coração enorme conquistas as pessoas por onde passa, além de ser dele a melhor trilha sonora do jogo.

O jogo da Sabotage Studio foi lançado para Windows, Xbox (Series S, Series X e One) Playstation (4 e 5), Nintendo Switch e para Steam OS.

Leia outros artigos da coluna: Ogroteca

Fernando Fenero


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *