21/02/2024 - Edição 525

Saúde

Zika Vírus: cuidados com transfusões de sangue são reforçados em hemocentros

Publicado em 25/02/2016 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Todos os dias pesquisadores descobrem novidades sobre o Zika vírus. Apesar da picada do mosquito, Aedes aegypti,  ser a forma mais comum de transmissão, o Ministério da Saúde recomendou a adoção de medidas de prevenção a todos os serviços de hemoterapia do Brasil para evitar a transmissão do vírus por transfusão de sangue.

Os hemocentros estão recomendando que doadores de sangue comuniquem os sintomas da Zika após o início dos sintomas para prevenir a transmissão do vírus por meio da transfusão sanguínea.

“A principal forma de evitar a transmissão do vírus durante a transfusão, é através da triagem dos doadores que já é feita rotineiramente, entretanto como essa época é mais alarmante, temos feito uma triagem mais intensiva, para pacientes que possam ter tido contato com a Zika, Dengue ou Chikungunya”, explica a responsável técnica pelo Hemorrede do Tocantins, Bárbara Calassa.

Segundo a responsável técnica, os doadores recebem a instrução para que comuniquem ao hemocentro, sobre o aparecimento de sintomas infecciosos, como febre, conjuntivite, mal estar, vômito, diarreia, dores musculares e nas juntas ou manchas pelo corpo, até 7 dias após a doação, devido à latência da doença, e assim poderão acompanhar possíveis receptores desse sangue doado, ou recuperar os hemocomponentes doados, para desprezá-los, evitando assim, a contaminação de outra pessoa.
 
Além disso, os candidatos à doação que já tiverem sido diagnosticados pelo Zika ou os que tiveram diagnóstico negativo, porém apresentam os sintomas da doença, são considerados inaptos para doação por 30 dias, após o desaparecimento total dos sintomas.
 
Calassa lembra que apesar da instrução para os doadores comuniquem os sintomas do vírus, todo sangue doado é testado, antes de ser transfundido: “Os hemocentros fazem uma triagem rigorosa, com todo o sangue e todas as bolsas coletadas, processadas e transfundidas. O controle de qualidade é rigoroso e obrigatório pela vigilância sanitária e pelo Ministério da Saúde, e existem normas rigorosas, seguidas na sua totalidade, para que se ofereça um sangue seguro”, reafirma.
 
O contato para informar o surgimento de sintomas ao hemocentro pode ser feito pelo telefone 0800-6428822.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *