22/04/2024 - Edição 540

Mundo

Vaticano confirma que madre Teresa virará santa por cura de brasileiro

Publicado em 18/12/2015 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O Vaticano confirmou nesta sexta-feira (18) o reconhecimento, pelo papa Francisco, de um segundo milagre atribuído à madre Teresa de Calcutá –a cura de um brasileiro–, o que permite que ela seja considerada uma santa. A cerimônia de canonização deve ser realizada em setembro de 2016 em Roma.

O milagre ocorreu em Santos (SP) em dezembro de 2008. O homem, hoje com 42 anos e cuja identidade não foi revelada, estava em estado terminal e em coma devido a um câncer no cérebro. Prestes a ser operado, o médico encontrou o paciente acordado na sala de cirurgia, sentado e sem nenhuma sequela do tumor no cérebro.

Segundo testemunhas, os familiares do homem fizeram por meses orações à madre Teresa de Calcutá para pedir por sua recuperação depois da descoberta do câncer em estágio avançado. A mulher do paciente era devota fervorosa da beata.

De acordo com o "Avvenire", a cura milagrosa foi reconhecida em uma reunião de especialistas convocada há três dias pela Congregação para as Causas dos Santos, o que possibilita a canonização.

O milagre

Em dezembro de 2008, o padre Elmiran Ferreira deixou sua pequena paróquia, em São Vicente, na Baixada Santista, para ministrar a extrema unção a um paciente em estado terminal. "Ele falava coisas sem nexo e já não reconhecia mais ninguém", lembra Ferreira.

À época com 35 anos, o paciente estava passando a lua de mel em Gramado (RS) quando teve de ser levado às pressas de volta a Santos. No hospital, ele foi diagnosticado com hidrocefalia (acúmulo de líquido dentro do crânio) e com oito abscessos espalhados pelo cérebro.

Seu quadro era agravado pela saúde debilitada, uma vez que havia sido submetido a um transplante de rim anos antes. "As esperanças eram mínimas. Cheguei a administrar-lhe a unção dos enfermos", acrescenta o padre.

Ferreira diz ter sido procurado pela mulher do paciente, que, muito abalada, pediu seu auxílio. Segundo ele, a família costumava frequentar as missas em sua igreja.

"Eu disse a ela que deveríamos orar e pedir a Deus por um milagre. Também lhe entreguei uma relíquia de Madre Teresa de Calcutá, que vinha com um santinho da madre, uma oração e um pedaço de seu hábito. Ela colocou o objeto embaixo do travesseiro do marido", lembra.

"Foi sem dúvida um milagre divino, por intermédio de Madre Teresa. Rezamos muito a ela", acrescenta.

O padre então relatou o caso às freiras que lhe haviam dado a relíquia. Foi a origem do processo, de cerca de 400 páginas, que resultaria na confirmação do milagre atribuído a Madre Teresa.

Meses depois, o colegiado formado por sete médicos decidiu, por unanimidade, que a cura da doença era "cientificamente inexplicável".

Além de Ferreira, outras 14 testemunhas foram ouvidas por representantes do Vaticano, que foram a Santos em junho deste ano para recolher documentação e provas da graça divina.

O padre diz que o milagre renovou a fé do paciente. "Ele agradece até hoje pela graça divina. E ficou muito feliz por ter sobrevivido".

A vida de Madre Teresa

Nascida Ines Gonxha Bojaxhiu em 1910, na atual Macedônia, a religiosa fundou sua própria congregação em 1950 e dedicou sua vida aos pobres e aos enfermos, principalmente na cidade indiana de Calcutá. Em 1979, ela recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

"Lia a bíblia, com certeza, mas seu principal compromisso era com os pobres", disse à emissora NDTV a irmã Sunita Kumar, membro da congregação de madre Teresa.

"Estou muito feliz que isto tenha acontecido enquanto estou viva", disse ela à AFP depois de receber a notícia de que sua antiga superior será canonizada.

Madre Teresa, que morreu em 1997, era conhecida como "santa das sarjetas" e foi beatificada pelo papa João Paulo 2º em 2003 após o reconhecimento de seu primeiro milagre: a cura de uma mulher de 30 anos de Bangladesh que sofria de um tumor abdominal. A beatificação é o último passo antes da canonização.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *