25/05/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Exportações: superávit de MS cresce 16,7% e chega a 1,5 bilhão de dólares no 1º trimestre de 2024

A China continua sendo nosso maior comprador, seguida por Estados Unidos, Holanda, Indonésia e Índia

Publicado em 18/04/2024 11:30 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Mato Grosso do Sul exportou US$ 2,185 bilhões em produtos diversos no primeiro trimestre de 2024. O balanço representa um crescimento de 4,5% em relação ao total exportado no mesmo período de 2023. Já as importações tiveram queda de 15,9% (foram US$ 782 milhões no primeiro trimestre de 2023 e US$ 657 milhões no mesmo período desse ano).

Com isso, o superávit – a diferença entre tudo o que é vendido e o que é comprado do exterior – apresentou um aumento de 16,7%, somando US$ 1,528 bilhão.

Os dados estão na Carta de Conjuntura do Comércio Exterior compilada pela Assessoria Especial de Economia e Estatística da Semadesc (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento, Ciência, Tecnologia e Inovação).

Para o secretário Jaime Verruck, da Semadesc, os números desenham um cenário positivo para o comércio exterior e problemas de logística decorrentes de fatores climáticos podem atrapalhar o ritmo do crescimento das exportações.

“A soja surpreendeu nas exportações acumuladas. Nós estamos com 19% do crescimento em relação ao ano passado, isso é extremamente positivo porque a gente sabe que há, nesse momento, uma retenção da produção por parte do produtor. Esses produtores, em função de queda de preço, estão segurando a safra dentro de seus armazéns, tem pouca comercialização, por mais que o Mato Grosso do Sul já tenha colhido 93% da safra”, destaca o secretário, que continua.

“O que surpreende nesse início de ano é a demanda por minério de ferro, um crescimento extremamente forte em relação ao ano passado. A perspectiva de agora para frente é que a se tenha uma diminuição no ritmo dessas exportações decorrente do nível dos rios, impossibilitando a saída mais significativa de minério de ferro, por mais que o mercado esteja altamente demandante e com preços satisfatórios”, conclui Verruck.

Os principais produtos de exportação do Estado tiveram crescimento tanto no volume quanto no valor apurado no trimestre passado, comparando com o primeiro trimestre de 2023. A venda da soja somou US$ 642.200.455,00, aumento de 19,95%.

Já com a celulose o aumento foi de 12,51%, totalizando US$ 431.998.440,00. As exportações de carne bovina congelada cresceram 9,69% e somaram US$ 252.022.386,00, e de açúcar US$ 163.853.009,00, com o maior percentual de aumento entre todos os produtos da tabela: 67,12%.

Quanto aos principais destinos dos produtos sul-mato-grossenses, a China continua liderando o ranking e ampliou a participação nas compras, chegando a 44,21% do total (US$ 924.576.014,21). Em segundo lugar vêm os Estados Unidos (US$ 124.449.845,00, ou 5,95%); seguidos da Holanda (US$ 116.271.048 – 5,56%); Indonésia (US$ 74.751.410 – 3,57%) e em quinto lugar a Índia (US$ 62.715.937 – 3,00%).

A Argentina teve uma redução de 47,7% no total comprado de Mato Grosso do Sul no trimestre passado, em comparação com o primeiro trimestre de 2023, e fechou a estatística em sexto lugar no ranking com US$ 56.448.036, o que perfaz 2,70% do total das exportações sul-mato-grossenses.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *