24/05/2024 - Edição 540

Mato Grosso do Sul

Bombeiros de MS chegam a 210 mil atendimentos em três anos, seis novos quartéis e duas unidades em construção

Com atuação integrada, Governo trabalha para prevenir incêndios florestais no Pantanal

Publicado em 18/04/2024 1:53 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Nos últimos três anos, o CBMMS (Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul) atendeu 210.737 mil ocorrências, a maioria delas envolvendo pessoas com mais de 66 anos. Emergência clínica, remoções ao Pronto Socorro e acidentes de trânsito estão no topo de lista de chamados. Cenário que exige um atendimento cada vez mais presente na capital e em cidades do interior, por isso a constante expansão com recursos do Governo do Estado.

Desde 2021 entraram em funcionamento seis novos quartéis dos bombeiros em Mato Grosso do Sul. As unidades mais recentes ficam em Rio Brilhante, Santa Rita do Pardo, Bela Vista, Ribas do Rio Pardo, Bonito e Miranda, onde foi inaugurado o quartel mais novo, em 22 de fevereiro.

Durante passagem de comando da corporação, em 2023, o governador Eduardo Riedel falou sobre a importância da expansão no atendimento. “É obrigação do Estado fazer isto se tornar realidade. Da nossa obrigação vamos fazer acontecer, com muita dedicação, comprometimento e respeito às instituições”, declarou.

Os bombeiros ainda contam com bases em Sidrolândia, Nova Alvorada do Sul, Três Lagoas, São Gabriel do Oeste, Paranaíba, Coxim, Chapadão do Sul, Ivinhema, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Costa Rica, Dourados, Corumbá, Ponta Porã, Aquidauana, Anastácio, Jardim, Naviraí, Caarapó, Mundo Novo, Maracaju, Porto Murtinho e Amambai.

Em Campo Grande são nove quartéis. Além da capital, estas unidades atendem também cidades da região metropolitana: Bandeirantes, Corguinho, Dois Irmãos do Buriti, Jaraguari, Rochedo e Terenos.

“Em comparação nacional, o Corpo de Bombeiros Militar cobre cerca de 95% do país, contemplando mais de 5 mil municípios. Já no Mato Grosso do Sul, o CBMMS atende diretamente mais de 85% da população, com presença em praticamente todas as cidades com mais de 20 mil habitantes. Sendo assim, estamos entre os estados brasileiros com maior cobertura, refletindo nossa eficiência e significativa abrangência”, explica o coronel Frederico Reis Pouso Salas, comandante-geral do Corpo de Bombeiros.

Investimentos em andamento

Em Nova Casa Verde, distrito de Nova Andradina são R$ 982 mil usados na construção de um batalhão com 423 m² seguindo todas as normas técnicas, inclusive de acessibilidade.

Na cidade de Água Clara a obra de R$ 3,2 milhões entrou nos últimos meses e deve terminar em 31 de agosto deste ano. São 726 m² de área construída em um terreno de quase 5 mil m². A obra também segue o módulo de construção padrão do Estado e as necessidades da região em relação ao atendimento.

Para a continuidade da construção do batalhão de Fátima do Sul foi aberto novo processo de licitação. São 724 m² em um terreno de 4 mil m².

Assim a quantidade de quartéis dos bombeiros em Mato Grosso do Sul passará de 38 para 41 unidades, aumentando a cobertura em todo o Estado com unidades localizadas em pontos estratégicos para facilitar o tempo de resposta e o deslocamento, tanto em ocorrências quanto em atividades de fiscalização.

Ainda segundo o comandante-geral, a expansão dos quartéis em Mato Grosso do Sul é crucial para garantir a segurança e a proteção da população em todo o estado. “Estamos conduzindo um estudo abrangente que leva em conta fatores como densidade populacional, distâncias e riscos específicos. A implementação da Rota Bioceânica aumentará o fluxo de veículos em diversas cidades, o que reforça a necessidade de cobertura do Corpo de Bombeiros Militar em todas as áreas afetadas direta e indiretamente por essa rota. Estamos comprometidos em assegurar que todas as cidades ao longo das rotas estaduais sejam contempladas com unidades do CBMMS”, detalha o coronel Frederico Reis.

Ocorrências

Em 2022 foram 98.666 mil atendimentos em todo o estado, quase a metade deles (45 mil) envolveram vítimas. A faixa etária mais atendida foi acima dos 61 anos, com 12 mil registros. Campo Grande concentrou 25 mil atendimentos, a maioria de emergência clínica, incluindo mal súbito (11.522 mil). Em seguida vêm as remoções ao Pronto Socorro (9.039) e sinistros de trânsito (6.686).

No ano passado, o CBMMS atendeu a um total de 89.724 ocorrências em todo o estado, das quais 43.793 envolveram vítimas. A faixa etária acima dos 66 anos liderou os atendimentos, com 9.736 ocorrências, em seguida vieram 4.795 chamados envolvendo pessoas dos 21 aos 25 anos. Na capital, foram 22.736 atendimentos, sendo emergência clínica a ocorrência mais comum, totalizando 9.656 registros, seguidos por remoções ao Pronto Socorro (9.109) e sinistros de trânsito (6.373).

Nestes primeiros meses de 2024, o CBMMS já atendeu a 22.347 chamados em todo o Estado, metade deles (11.140) envolveram vítimas. A faixa etária mais atendida nesse período foi acima dos 66 anos, com 2.522 ocorrências, em seguida vieram 1.208 atendimentos envolvendo pessoas de 21 aos 25 anos. Na capital, foram 4.972 registros, sendo remoção ao Pronto Socorro a ocorrência mais frequente, com 2.810 atendimentos, seguidos por emergência clínica (2.549) e sinistros de trânsito (1.608).

Governo de MS trabalha para prevenir incêndios florestais no Pantanal

Para preparar as ações que serão colocadas em prática durante a temporada de incêndios florestais em Mato Grosso do Sul, que este ano tem previsão de ocorrer de forma intensa – especialmente no Pantanal – por conta da estiagem e chuvas abaixo da média, o Corpo de Bombeiros atua de forma integrada em todo o Estado.

No Pantanal, o trabalho voltado a mapear os pontos de acesso e facilitar a locomoção dos militares – em caso de ocorrência de incêndios – teve início este mês. Uma das frentes de atuação é na manutenção, reparos e limpeza do entorno das pontes em vias de acesso as fazendas e áreas onde normalmente o fogo provoca estragos.

Esta semana, uma das seis guarnições que estão na região pantaneira – na MS-325, região do Carandazal (Nabileque) –, atuou na preparação de uma ponte para ser usada como acesso à região. No local, o Corpo de Bombeiros fez a limpeza das cabeceiras e também a sinalização adequada.

O trabalho também foi concentrado no Parque Estadual das Nascentes do Rio Taquari e em toda a região foi realizada a avaliação dos acessos e pontes, além de teste operacional de embarcação no Rio Paraguai.

Os bombeiros estiveram em Costa Rica e ainda nas bases avançadas Jatobazinho, São Lourenço e Redário – em Corumbá –, onde fizeram a limpeza e manutenção de pontes na Estrada Parque a partir do Buraco das Piranhas, até o Porto da Manga.

Na região oeste do Estado, no Parque Estadual das Várzeas do Rio Ivinhema, os bombeiros fizeram queima controlada na estrada de entrada do local – nos dias 11 e 13 de abril – para diminuir o acúmulo de biomassa que serve de combustível para o fogo em caso de incêndio florestal.

Trabalho

As equipes do Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul, também realizam atividades de educação ambiental e prevenção aos incêndios florestais nas comunidades tradicionais, propriedades rurais, além dos parques estaduais, localizados no Pantanal.

O trabalho começou no dia 2 de abril, quando as seis guarnições, formadas por 24 bombeiros com o suporte de uma equipe composta por mais 15 profissionais responsáveis pelo gerenciamento, logística e monitoramento dos dados do SCI (Sistema de Comando de Incidentes) estabelecido em Campo Grande e Corumbá, deixaram a base operacional, na Capital, para os diferentes locais que serão atendidos nesta etapa.

A atividade de orientação e educação é realizada anualmente, porém em 2024 o trabalho foi antecipando em pelo menos um mês devido ao alerta climático, com possibilidade de ocorrência de incêndios florestais intensos em todo o Estado e especialmente no Pantanal.

Em paralelo ao trabalho preventivo – com orientação e educação ambiental –, também são instaladas bases avançadas, de combate aos incêndios florestais, na região pantaneira, para facilitar o deslocamento das equipes e a resposta no controle das chamas, especialmente em áreas de difícil acesso.

“O Pantanal é o bioma que temos mais dificuldade de acesso. Por isso vamos estabelecer as bases avançadas pela primeira vez, é uma novidade este ano. Precisamos diminuir o tempo de resposta”, explicou a tenente-coronel Tatiane Inoue, diretora de Proteção Ambiental do Corpo de Bombeiros Militar, responsável pelo monitoramento e ações de combate aos incêndios florestais no Estado.

As primeiras bases avançadas foram instaladas às margens dos rios Paraguai e São Lourenço, na divisa com o Mato Grosso. O Corpo de Bombeiros está preparado para instalar outras bases, totalizando 13 locais onde as equipes estarão de sobreaviso para as ações de combate a incêndios florestais.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *