25/02/2024 - Edição 525

Entrevista

Rosana Santos fala de suas propostas para Campo Grande

Publicado em 16/09/2016 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Mulher negra, terapeuta ocupacional, especialista em saúde pública e educadora social. Militante dos direitos humanos, Rosana Santos participou do Instituto Casa da Cultura Afro-Brasileira – representou a instituição no Conselho Estadual dos Direitos da Criança, Conselho Regional da Lagoa e, é membro do Comitê de Enfrentamento e de Defesa dos Direitos Sexuais de Crianças e Adolescentes. Ela é candidata a prefeita de Campo Grande pelo PSOL.

 

Tradicionalmente a Saúde no país tem sido tratada sob a ótica “hospitalocêntrica”, com foco nos hospitais, na remediação da doença já instalada, ao invés do modelo que foca a prevenção. Que modelo de Saúde pretende adotar em Campo Grande?

Pensamos na saúde como: o investimento nas ações de prevenção de doenças e a diversificação das equipes de atendimento. É necessário o fortalecimento e a ampliação dos NASFs, ou seja, profissionais de diferentes áreas de conhecimento, que devem atuar de maneira integrada às Equipes de Saúde da Família e de Atenção Básica para populações específicas. Assim, é imprescindível a abertura de concurso público para mais contratações. As equipes também precisam ser ampliadas nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e deve haver a priorização das equipes dos consultórios de rua. É, também, necessário o fortalecimento dos Centros de Atenção Pssicosocial (Caps), além da realização de trabalhos de redução de danos.

Que mudança fundamental pretende adotar na Rede Municipal de Ensino para oferecer uma Educação de qualidade aos jovens da capital?

Na gestão do PSOL iremos garantir a Lei do Piso, vamos implementar a eleição direta para diretor das escolas e, também, eleições diretas para o Servimed, Funserv e IMPCG. Além disso, pensamos numa gestão que dialogue com as entidades estudantis, de pais e mestres e de professores, propomos uma revisão das diretrizes curriculares e do Plano Municipal de Educação e tornaremos universal a educação de tempo integral.

O Transporte começa a ser um ponto de estrangulamento em Campo Grande. Que medidas pretende tomar para fazer frente a este desafio?

Precisamos pensar uma cidade moderna em que o foco seja o transporte público gratuito. Devemos auditar os contratos do atual consórcio de ônibus, saber o motivo de um transporte tão caro e, reduzir a tarifa gradativamente até a tarifa zero, além de aumentar a frota e a qualidade no transporte. Investiremos na estrutura cicloviária, com ciclopontos e ciclovias interligando bairro. Estações de abastecimento de água, banheiros e estacionamentos de bicicletas, incentivando esse modo de transporte não poluente.

Que ações serão efetivadas para a geração de emprego e renda em Campo Grande?

É preciso fazer uma auditoria da dívida pública. Isso é questionar os pagamentos de juros e amortizações da dívida pública. Assim, podemos pensar, por exemplo, em isenções de impostos para cooperativas, pequenos produtores e fortalecer ações de economia solidária para criar emprego e aumentar a renda. É preciso fomentar a economia local. Também, é necessário incentivar empresas, associações e cooperativas cujo fator social e o fator ambiental sejam priorizados. As empresas devem possuir um comprometimento com a preservação do meio ambiente e com os direitos trabalhistas.

Em uma cidade de quase um milhão de habitantes é natural que a questão da segurança pública necessite de atenção redobrada. Que medidas pretende tomar nesta área?

Segurança pública tem de ser solucionada pela comunidade. O investimento em educação, cultura, esporte e lazer, comprova que se reduz a taxa de violência. A melhoria da infraestrutura de mobilidade urbana e iluminação pública ajudam na segurança. O desarmamento da guarda, juntamente, com uma educação de segurança comunitária pode ajudar a diminuir a violência na cidade.

Uma das principais preocupações dos brasileiros na atualidade é a transparência na gestão e o combate a Corrupção. Como pretende encarar estes aspectos vitais para a administração pública?

Fazendo uma auditoria de todos os contratos e Parcerias Público-Privadas. É importante incentivar a prestação de contas do município com periodicidade. Reduziremos os Cargos de Confiança e promoveremos o ingresso no serviço público por meio de concursos.

Que peso tem em sua concepção de governo a participação popular na gestão? Que mecanismos práticos pretende adotar para facilitar a participação popular na gestão?

Já existem mecanismos como referendos e plebiscitos que tornam a consulta pública mais acessível e a gestão pública mais democrática. Além disso, incentivaremos a deliberação dos conselhos, a visita periódica da prefeita nos bairros. E, promoveremos a discussão do Orçamento Democrático para a cidade.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *