21/02/2024 - Edição 525

O Som e a Fúria

Por mais amor neste grão de areia perdido no cosmo

Felipe Chaves faz um “canto” de Natal, de esperança e fé na vida

Publicado em 24/12/2023 12:07 - Felipe Chaves

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Então é Natal, e o que eu espero são pratos fundos pra matar nossa fome, copos cheios pra saciar nossa sede, abraços feitos de esperança, rostos repletos de sorrisos, chorar quando for preciso chorar, ter a sorte de poder olhar dentro dos teus olhos, saúde pra seguir em frente e amor acima de tudo. Pés no chão e sonhar alto sempre, dias de sol, dias em que a chuva precisa cair, assim como eu preciso sempre de você.

Quero que Deus seja plural, Jesus, Alá, Buda, Krishna ou Oxalá, homem, mulher, velho, criança, preto, branco ou multicolor, mais amor, menos vingança, nas vitórias, nas derrotas, no fundo, no raso, no tudo, no nada, ontem, hoje, amanhã e depois, o que importa é saber fazer as pazes com os outros e essencialmente consigo mesmo.

Que as estradas sejam feitas para a andança, que o céu esteja propício para alçar voo, que as diferenças nos aproximem, que tudo que existe dentro de nós sirva para sermos ligação, nunca muro, por menos fronteiras, menos trincheiras, por portas e janelas abertas, pelos nove meses para nascer, pelas mudanças das marés, pelas fases da lua, mais jardins menos asfaltos, pelo cheiro das flores na primavera, pelo calor do verão, pelas flores que secarão no outono, no frio do inverno, nos espinhos, nas rosas, nas orquídeas, mais aceitação, menos julgamentos, desejo a leveza, saber apreciar a jornada e não o  fim, saber se entregar, saber levantar a cabeça, saber seguir em frente, saber recomeçar.

Somos feitos de erros e acertos, por mais horizontes e menos telas, pela aceitação, pela desconformidade, pela rebeldia, pela experiência, pelos cabelos brancos, pelos recomeços, por inteligências menos artificiais, números quando precisarmos de números, alma quando precisarmos de alma, pelos batimentos cardíacos, pela cura, pelo corpo, pelo espírito, pela fé, pelo ceticismo, pelos pais e pelas filhas.

Leia outros artigos da coluna: O Som e a Fúria

Felipe Chaves


Voltar


Comente sobre essa publicação...

4 respostas para “Por mais amor neste grão de areia perdido no cosmo”

  1. Lucia Maria knebel disse:

    Linda mensagem de Natal. Adorei.❤️

  2. ANA CLAUDIA KNEBEL CHAVES CARDOSO disse:

    Que lindo 💖
    Feliz natal

  3. Roby disse:

    Cara, prefeito!

  4. Fábio disse:

    Que assim seja!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *