24/07/2024 - Edição 550

Vale um Play

Já imaginou confrontar o seu outro eu?

Publicado em 30/05/2014 12:00 - Rafael Naruto

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Sei que falar de jogos não é bem o foco da coluna e que eu deveria escrever mais sobre os aplicativos para Google Chrome, mas infelizmente esse jogo tem consumido muito do meu tempo livre. Lançado primeiro para Playstation 2, no PSVITA ele obteve melhorias e ainda opções de conteúdo online, shows e muito mais.

Há mais ou menos 2 meses estou nesse jogo extremamente viciante, faz demais de tempo que não me apego a um game e o que mais chama atenção é a profundidade psicológica da história, tramas inteligentes, personagens carismáticos em que você como player começa a se importar com eles.

Tudo começa quando você é transferido para uma cidade do interior e no percurso você é conduzido para um mundo entre o sonho e a realidade em que é descoberto um poder de invocar “Personas” e conforme os links sociais esse poder pode se desenvolver ainda mais. Até aí, não encontrei nada de muito novo, uma vez que eu também joguei as versões anteriores.

Mas ao chegar na cidade e conhecer pessoas a trama se torna tão inteligente que prende sua atenção. Um dos pontos altos do jogo é o confronto com as “Shadows”. Uma extensão da personalidade que muitas vezes é abafado pela moral social. Todos os personagens são demais de humanos com relação aos sentimentos e emoções se aproximando muito do real.

De certa forma, até mesmo eu, consegui me entender um pouco melhor com o correr do game, fazia mesmo muito tempo em que eu não me importava tanto com personagens e histórias assim.

Persona 4 Golden possui uma trilha sonora perfeita para todas as situações, controles de respostas rápidas, batalhas empolgantes, um belo cenário, conteúdos extras que deram tão certo que podemos conferir um anime e extensões como o Persona 4 Arena. Se você ainda não conhece esse jogo ou do nome Persona, sugiro que pesquise hehehe.

Na história, ao aceitar o seu outro eu, os seus sentimentos confusos se transformam em “Personas” e assim, um novo poder surge e é notável a mudança de personalidade dos personagens do jogo ao ponto de você conseguir assimilar traços com amigos do mundo real. As cenas cômicas são demais de engraçadas e eu desde a semana retrasada me senti demais com vontade de comentar sobre esse jogo.

Decidi escrever, depois que muitos amigos, colegas e alunos passaram a curtir o desenho, jogo e trilha sonora depois que comentei sobre esse incrível game que vai com certeza Vale um Play para todos.

Prepare-se para enfrentar o seu outro eu, passar por lendas urbanas, mistérios inteligentes e revelações inesperadas…

Leia outros artigos da coluna: Vale um Play

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *