17/07/2024 - Edição 550

Ponte Aérea

Inaceitável

Putin exige mais terras ucranianas para acabar com guerra, Kiev rejeita termos

Publicado em 14/06/2024 11:44 - Raphael Tsavkko Garcia

Divulgação Reprodução

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Rússia: “vocês me dão um pedaço da Ucrânia e a garantia de que eu vou continuar interferindo no resto, em troca eu paro de matar”.

Ucrânia: “quero meu território de volta e o direito à soberania”.

Lula e PT: “a Ucrânia tá gostando da guerra e não quer a paz”.

Trata-se de um plano de rendição, não uma negociação para paz. Putin não quer paz, quer conquistar territórios e controlar o futuro da Ucrânia lhe negando soberania.

Mas é bom observar que Putin está admitindo abertamente que não é capaz de tomar toda a Ucrânia pela força. De certa forma, ele está admitindo a derrota enquanto tenta garantir uma “pequena” vitória (de acordo com seu plano original).

Putin exige:

– A Ucrânia deverá retirar-se integralmente das regiões de Luhansk, Donetsk, Zaporizhzhia e Kherson. Não apenas das áreas ocupadas pela Rússia nesses oblasts, mas sim da totalidade dos territórios, incluindo os não ocupados por tropas russas;

– A Ucrânia deverá desistir da sua intenção de entrar para a OTAN e para a União Europeia;

– O governo de Volodymyr Zelensky deverá se demitir e uma nova eleição, “coordenada pela Rússia”, deverá ser realizada na Ucrânia para a eleição de um novo governo “pró-russo”;

– Os soldados ucranianos deverão ser desmobilizados e as armas ocidentais deverão ser entregues para a Rússia.

Nenhum país do mundo aceitaria esses termos.

RAPHAEL TSAVKKO GARCIA

É jornalista, editor e Ph.D em Direitos Humanos pela Universidade de Deusto.

Facebook

Linkedin

Twitter

Site

Medium

Leia outros artigos da coluna: Ponte Aérea

Raphael Tsavkko Garcia


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *