21/07/2024 - Edição 550

Meia Pala Bas

Censura não é Esporte

Publicado em 08/01/2014 12:00 - Rodrigo Amém

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O final de 2013 foi meio borocochô para o esporte nacional. O Brasileirão foi pro tapetão, o queniano ganhou a São Silvestre de novo e, é claro, teve a perna do Anderson Silva, um banho de água fria naqueles sedentos por uma revanche ufanista. Mas, se a fíbula e a tíbia de Anderson não resistiram, o mesmo não pode ser dito sobre o projeto de lei de autoria do deputado federal José Mentor.

O projeto de Mentor prevê a proibição da transmissão televisiva de lutas marciais “não olímpicas” e violentas no Brasil. É que o deputado acha que MMA não é esporte. "A violência dos golpes, pontapés e socos ficou mais uma vez evidente e isso mostra o quanto o MMA é violento. O MMA não tem nada de esporte. A superação no esporte visa preservar a integridade física do atleta e nesta modalidade isso não acontece", diz Mentor.

Se, pra você, ópera é só gente gorda gritando e funk é um punhado de palavrões no ritmo de uma batida primitiva, agradeça a deus pelo fone de ouvido.

Não escrevo para lembrar que, dentro da definição clássica de esporte: “uma atividade envolvendo esforço físico e habilidade em que um indivíduo ou equipe compete contra outro ou outros pelo propósito de entretenimento.” Mas MMA é esporte, sim.

Meu interesse é na natureza do raciocínio do deputado. O argumento do “não é”, tão utilizado para lidar com aquilo que nos desagrada, só é válido no foro íntimo. Se, pra você, ópera é só gente gorda gritando e funk é um punhado de palavrões no ritmo de uma batida primitiva, agradeça a deus pelo fone de ouvido. Mas isso não lhe dá o direito de proibir a prática ou o consumo cultural alheio. Esporte é cultura. É entretenimento, ainda que não seja a sua forma favorita de manifestação. Nossa sociedade democrática tem o dever de garantir que adultos voluntariamente pratiquem e assistam às modalidades esportivas que lhe derem na veneta. Não dá pra combater a violência física violando direitos humanos. Se MMA não é digno de ser chamado de esporte por ser truculento, o que dizer do projeto de lei do deputado Mentor?

Leia outros artigos da coluna: Meia Pala Bas

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *