25/05/2024 - Edição 540

Campo Grande

Com faturamento anual de R$ 195 milhões, Consórcio Guaicurus se nega a renovar a frota na capital

Sucateados há anos, terminais General Osório e Nova Bahia devem passar por reforma

Publicado em 16/05/2024 10:32 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Apesar de um faturamento anual de R$ 195 milhões e de receber R$ 43,2 milhões em subsídios do município de Campo Grande e do governo de Mato Grosso do Sul, o Consórcio Guaicurus anunciou que não planeja adquirir novos ônibus este ano. Essa decisão foi comunicada em meio a um reajuste tarifário em março, elevando o preço da passagem de ônibus de R$ 4,65 para R$ 4,75.

João Rezende, diretor-presidente do Consórcio, disse que não há previsões imediatas para a compra de novos veículos. “Nesse momento, não temos aquisição de novos ônibus. No momento adequado, teremos, mas para esse ano ainda não”, afirmou.

O aumento dos subsídios do ano passado para este ano é significativo, subindo cerca de R$ 6,2 milhões, o que representa um acréscimo de 16,7%, alcançando o valor projetado de R$ 43,2 milhões para 2024. Quando questionado sobre a possibilidade de um novo aumento da tarifa ainda neste ano, Rezende evitou comentar, indicando que qualquer decisão sobre tarifas futuras será tratada legalmente. “Para esse assunto temos um jurídico”, disse ele, sugerindo que a questão continuará sendo disputada na Justiça.

A qualidade do serviço oferecido tem sido criticada pelos usuários, que enfrentam problemas com ônibus antigos e atrasos frequentes. Apesar dessas deficiências, o Consórcio beneficia-se de significativos incentivos financeiros. Recentemente, a prefeita Adriane Lopes aprovou um aumento no repasse para o Consórcio, que passou de R$ 16 milhões para R$ 19 milhões ao ano. Somando-se aos subsídios estaduais, o total pode chegar a R$ 31,5 milhões em 2023.

Além disso, o Consórcio está isento do pagamento do ISS (Imposto Sobre Serviço), o que representa uma renúncia fiscal de aproximadamente R$ 11,793 milhões este ano por parte da prefeitura de Campo Grande.

Os passageiros, que já enfrentaram um aumento nas tarifas este ano, podem ter que suportar outro reajuste. Paulo Vitor Brito de Oliveira, diretor operacional da empresa, mencionou que a renovação da frota, que é uma obrigação contratual, está condicionada ao equilíbrio econômico-financeiro do contrato, que, segundo ele, depende da implementação de uma “tarifa técnica” de R$ 7,79. “A renovação da frota, que hoje o Consórcio está impedido de fazer, é pelo desequilíbrio econômico-financeiro do contrato”, explicou Oliveira ao Jornal Midiamax.

Prefeitura vai reformar pela primeira vez terminal General Osório e Nova Bahia

A Prefeitura de Campo Grande, por meio da Agência Municipal de Transporte e Trânsito e da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, assinou na quarta-feira (15), a ordem de serviço para início das obras de reforma dos terminais de transbordo do transporte coletivo General Osório e Nova Bahia.

Sucateados há anos, os terminais são alvos de constantes reclamações dos usuários. No terminal General Osório, construído em 1991, será investido R$ 1.466.202,35 e no Nova Bahia, construído em 2000, investidos R$ 985.320,35. A obra tem previsão inicial de ser executada em até 180 dias, conforme o contrato.

Segundo a Prefeitura, será feita a pintura geral, reforma de toda rede hidráulica, elétrica, assim como a implantação do Sistema de Proteção Contra Descargas Atmosféricas, requalificação da cobertura (substituição de telhas, calhas, etc), recuperação da estrutura dos banheiros e demais mobiliários vandalizados, implantação de piso tátil, acessibilidade e instalação de mapas táteis para orientar os usuários com deficiência visual, bicicletário, construção de guaritas, construção de posto da guarda civil metropolitana, instalação de gradis para fechamento dos terminais e demais melhorias necessárias para a circulação dos passageiros e trabalhadores do transporte coletivo.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Uma resposta para “Com faturamento anual de R$ 195 milhões, Consórcio Guaicurus se nega a renovar a frota na capital”

  1. JOCELAINE MARIA Junges disse:

    Tem que melhorar o atendimento pra pessoas Idosos e PCD Pessoas com deficiência 👩‍🦽

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *