01/03/2024 - Edição 525

Auau Miau

Férias! Onde vou deixar meu cão?

Publicado em 04/02/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Animais de estimação e férias nem sempre combinam. Quem não tem parentes com que possa deixar os amigões, a saída são os hotéis de animais. Os preços variam de R$ 15,00 a R$ 35,00 a diária, dependendo do porte do animal e da alimentação.

Em Campo Grande (MS), a clínica Bourgelat mantém um hotelzinho há quase trinta anos, e seus hospedes são cães e gatos acima de seis meses. O serviço, que varia entre R$ 35 e R$ 45, conta com canis e gatis azulejados e com grades.

“Cada animal fica individualmente com seu bebedouro e comedouro. A ração oferecida é a do proprietário, pois assim evitamos troca de ração e distúrbios gastrointestinais que possam ocorrer. São dois funcionários fazendo os cuidados do hotel e um médico veterinário responsável. Os animais são soltos individualmente no mínimo duas vezes ao dia”, explica a veterinária Claudia Mendes.

É recomendado aos tutores dos animais que levem brinquedos para deixar uma recordação familiar durante a estadia do bichinho no hotel. “Eu deixo sempre uma peça de roupa e um brinquedo”, diz a dona de casa Regina Eva, que volta e meia apela para os hotéis de animais quando viaja.

Cuidados

Quando o cão fica em hotel para animais é separado de quase tudo que conhece. Isso pode causar nele um certo estresse. Existem diversos cuidados que ajudam a reduzir o desgaste e aumentam as chances de uma estadia mais tranquila fora de casa.

Reforço imunológico

O estresse provocado pela mudança de ambiente pode causar baixa no sistema imunológico do cão e deixá-lo mais suscetível a parasitas e doenças. É importante verificar se a aplicação de vacina e de vermífugo está em dia e se ele está isento de parasitas externos, como pulgas e carrapatos. Caso seja preciso vacinar o cão, providencie para que isso seja feito algumas semanas antes de ele ir para o hotel (informe-se com um médico veterinário). Desse modo, o sistema imunológico do cão não estará sobrecarregado durante a estadia fora de casa.

Adaptação a novo alimento

Os cães se adaptam à ração que consomem, tanto no aspecto enzimático quanto no microbiológico. Ao ser oferecida uma ração diferente, o organismo precisa se readaptar. Embora a tarefa seja tranquila, é conveniente evitar que ocorra juntamente com o estresse causado por estar em local diferente. Portanto, quando faltarem uns quatro dias para o cão ir para o hotel, comece a dar a ele a ração que será servida lá.

Estímulo ao paladar

Se o cão não tem grande apetite e deixa de comer quando está ansioso, procure aumentar a motivação dele nesse aspecto. Alguns dias antes de levá-lo ao hotel, comece a servir um alimento mais palatável. Por exemplo, acrescente um pouco de ração úmida em lata à ração seca. Se der certo, peça ao hotel para manter a estratégia.

Cão habituado a comer perto do proprietário

Muitos proprietários dão comida na boca do cão. Outros ficam por perto enquanto ele come. Costumes como esses fazem o cão aprender que, ao recusar comida, pode receber atenção adicional dos proprietários. Se o seu cão estiver nesse grupo, quando ele se sentir carente no hotel, poderá optar por não se alimentar na ilusão de que você apareça. Para evitar o problema, antes de ele ir para o hotel, acostume-o a comer independentemente da sua presença e da dos demais familiares.

Cão que nunca se afasta do dono

Se você for do tipo que não se distancia do cão – há quem não se separe nem quando vai ao banheiro -, prepare-se para reduzir o estresse dele quando ele tiver de ficar sozinho no hotel. Impeça-o, aos poucos, de seguir você o tempo todo. Tente também aumentar a autoconfiança do cão. Leve-o para passear com guia longa, deixando-o explorar o ambiente livremente, sem chamá-lo de volta a cada 30 segundos! Faça-o ter momentos de prazer na sua ausência. Por exemplo, providencie para que ele saia para passear com um passeador de cães ou para treinar com um adestrador!

A bagagem

Envie ao hotel um pano com o seu cheiro (uma camiseta sua usada, por exemplo) e os brinquedos preferidos do cão, quando ele for para lá. Cheiros e objetos conhecidos ajudam a tranquilizar o cão. É comum, nos primeiros dias, o cão dormir em cima de um pano com odor do dono até se adaptar melhor ao novo local.

Antidepressivos

Exercícios físicos e suplementação alimentar com triptofano (precursor da serotonina) são antidepressivos naturais, que podem ajudar a evitar a depressão nos cães. Recomenda-se começar a suplementação e o exercício físico pelo menos sete dias antes do envio do cão ao hotel, para os efeitos antidepressivos já estarem acontecendo quando ele chegar lá. Tanto a suplementação quanto o exercício devem continuar a acontecer durante, pelo menos, os primeiros dias de hospedagem.

Evitar troca de hotel

Se possível, procure hospedar o cão sempre no mesmo hotel. Assim, a adaptação dele será cada vez mais rápida. Alguns cães se mostram felizes quando chegam ao hotel e reencontram pessoas que conhecem.

Sem culpa

Cães que convivem conosco aprendem a perceber as nossas emoções. Se você ficar apreensivo ou triste antes de enviar o cão ao hotel, poderá aumentar a ansiedade dele (nem sempre o cão entende por que o dono fica ansioso). Aja com naturalidade na partida do cão quando ele estiver indo para o hotel e durante a volta dele para casa.

Resumo
– Ao trocar a ração oferecida em casa pela do hotel, faça-o pelo menos quatro dias antes da viagem
– Confira se a aplicação das vacinas e do vermífugo está em dia
– Não deixe o cão seguir você e seus familiares dentro de casa o tempo todo
– Envie ao hotel um pano com o seu cheiro e os brinquedos preferidos do cão
– Exercícios e suplementação alimentar ajudam a combater a depressão
– Evite trocas desnecessárias de hotel
– Controle a ansiedade na despedida do cão.

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *