18/07/2024 - Edição 550

Viver Bem

O açúcar que está escondido nos alimentos

Publicado em 02/10/2014 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O açúcar pode estar "escondido" em tudo o que a gente come – ao comer um pãozinho salgado, por exemplo, o carboidrato pode virar açúcar no nosso corpo, explica a nutricionista Mônica Beyruti. Por não saber disso, muita gente acaba abusando de pães e massas sem imaginar que o excesso pode afetar a saúde e favorecer o ganho de peso, aumentando o risco de diabetes, por exemplo.

O endocrinologista Bruno Halpern alerta que isso acontece porque quando o nível de açúcar aumenta excessivamente no corpo, há uma tendência maior de o organismo armazenar gordura, favorecendo o ganho de peso, que é um dos fatores de risco para a doença.

Além disso, se o açúcar sobe rapidamente no sangue, o pâncreas precisa liberar uma quantidade maior de insulina para normalizar a glicemia – com isso, ele fica sobrecarregado e pode desenvolver a resistência à insulina.

Beyruti alerta, porém, que é possível equilibrar o açúcar no corpo, prestando atenção ao índice glicêmico dos alimentos, que é um indicador da velocidade em que o carboidrato leva para se transformar em glicose no organismo.

O açúcar dos pães, por exemplo, é rapidamente absorvido pelo corpo – para reduzir essa velocidade, a dica é combinar esse pão com uma proteína, por exemplo. Vale ressaltar, no entanto, que esse acréscimo aumenta também as calorias e, por isso, o ideal é sempre consumir com moderação.

Já as frutas, legumes e verduras também têm carboidratos que se transformam em açúcar no nosso corpo, mas são muito mais saudáveis porque têm fibras, que ajudam a reduzir a velocidade da absorção da glicose pelo organismo. Por isso, essas são as escolhas mais recomendadas, como alertou a nutricionista Mônica Beyruti, assim como os carboidratos integrais que também têm fibras e por isso, são absorvidos mais lentamente, além de ajudarem a aumentar a sensação de saciedade.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *