25/02/2024 - Edição 525

Palavra do Editor

Delcídio é o novo Roberto Jefferson

Publicado em 03/03/2016 12:00 -

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O senador Delcídio do Amaral (PT-MS) é o novo Roberto Jefferson.

Embora sua assessoria negue, é fato que o petista firmou com a Procuradoria Geral da República (PGR) um acordo de delação premiada em troca de possível redução de pena. Ex-líder do governo Dilma Rousseff, Delcídio deixou a prisão em 19 de fevereiro, por ordem do Supremo Tribunal Federal (STF), após ter ficado 87 dias na cadeia acusado de tentar obstruir as investigações da Operação Lava Jato.

Na delação, Delcídio fez acusações contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a presidente Dilma Rousseff, conforme revelou edição da revista "IstoÉ" que circula nesta quinta-feira (3). Disse, entre outras coisas, que Lula tinha conhecimento do esquema de corrupção na Petrobras e que Dilma agiu para interferir na Lava Jato.

Caberá ao ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no STF, decidir se vai homologar o acordo ou não. Se não for homologado, o acordo perde a validade. A homologação é a validação de que se trata de um acordo que cumpriu todas as normas previstas em lei.

Assim como Roberto Jeferson, ex-deputado federal do PTB que foi o delator do esquema do Mensalão, Delcídio se configura em uma figura chave na maior operação anticorrupção já realizada no país.

Jefferson foi preso em fevereiro de 2014. Em 14 de maio do ano passado, o ministro Luis Roberto Barroso, relator das execuções penais do julgamento do Mensalão, liberou-o para cumprir prisão domiciliar depois de condenado a 7 anos e 14 dias de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O objetivo de Delcídio é o mesmo, atenuar sua dívida com a Justiça.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *