17/07/2024 - Edição 550

Mato Grosso do Sul

Sargento da PM posta vídeo com ameaça a jornalistas e defendendo terroristas bolsonaristas

Sindjor pede providências da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública

Publicado em 11/01/2023 6:00 - Lucia Morel (Campo Grande News)

Divulgação

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Em vídeo público nas redes sociais, a 1º sargento da Polícia Militar, Betânia Kelly Rodrigues da Silva, que atua no CPM (Comando de Policiamento Metropolitano), ameaçou jornalistas e seus familiares de ficarem sem atendimento em “lojas, padarias, supermercados, oficinas”, caso usem o termo “golpistas” contra apoiadores aos atos de destruição em Brasília.

Ela avisa que esses profissionais precisam colocar a “mãozinha na consciência e comece a raciocinar” porque “vai chegar o momento em que vai precisar ir à loja, à padaria, ao supermercado, à oficina. E aí? Se você se deparar lá com os chamados golpistas por vocês. Vocês já pensaram que essas pessoas poderão não querer atendê-los?”.

O vídeo, que foi postado há quase 22 horas, revela a indignação da sargento sobre a cobertura jornalística das manifestações no Distrito Federal ou em frente aos quartéis. “Vocês também têm famílias, têm mães, têm pais, pessoas que precisam da economia do Brasil” e, por isso, “precisam tratar as pessoas no mínimo com educação” e caso isso não ocorra, “vão se deparar com um mundo que não existe e vão ficar sozinhos”.

Ela cita que, ao usar o termo golpistas, os profissionais de imprensa deixam a imparcialidade e colocam a opinião pessoal no lugar, que seria baseada em doutrinação e em militância.

“Vocês estão em um país em que em algum momento da vida, todos nós precisamos uns dos outros”.

Apoiadora do ex-presidente Jair Bolsonaro, Betânia foi candidata nas eleições de 2018, 2020 e 2022, sendo para os cargos de deputada estadual, vereadora e deputada federal, respectivamente.

A reportagem procurou a militar para se posicionar sobre a postagem, mas não obteve retorno até o momento.

O Sindjor (Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Mato Grosso do Sul) também foi procurado e o presidente, Walter Gonçalves, disse que vai enviar ofícios pedindo atuações contra a postagem para o Comando Geral da Polícia Militar, à Corregedoria da corporação, à Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública) e ao Ministério Público. “Ela ataca e ameaça jornalistas. É preciso que a PM tome providências”, sustenta o sindicalista.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

5 respostas para “Sargento da PM posta vídeo com ameaça a jornalistas e defendendo terroristas bolsonaristas”

  1. Dilson disse:

    Pelo que entendi só nessa matéria o jornalista que dígito tá dizendo que a policial ameaçou, mas não é isso que ela diz , pelo que vi ela pergunta o que aconteceria se um desses jornalista encontrasse com os “golpista” na padaria ou no posto de gasolina no condomínio. E aí qual a resposta do jornalista que faz parte do chamado consórcio da imprensa.

  2. Carlos disse:

    Essa sartentonpolitiqueira não ameaça, ela como uma Bolonarista, ainda no clima da politicagem,tenta impedir o uso dos termos terroristas, etc. Com argumentos dignos da inteligência medíocre e politiqueira. São terroristas é ela tem wue engolir o choro e ser punida para aprender que se quer fazer política, saia do cargo de Estado que deve ser neutro.

  3. Carlos disse:

    Essa sargento politiqueira não ameaça, ela como uma Bolonarista, sedwnta por um csrgo politico e regalias, ainda no clima da politicagem, tenta impedir o uso dos termos terroristas, etc. Com argumentos dignos da inteligência medíocre e politiqueira. São terroristas e ela tem que engolir o choro e ser punida para aprender que se quer fazer política, saia do cargo de Estado que deve ser neutro e se dedique a isso. Alias ela é mais uma entre muitos PMs que acham wue podem usar do cargo para se promover.

  4. Almir Farias da Cunha disse:

    Tristes e vergonhosos acontecimentos contra a Democracia brasileira. Mais triste e vergonhoso ainda é ver servidores públicos apoiando a baderna dos terroristas. Esta senhora, como policial, quem tem seu salário pago pelos impostos de todos os sul-mato-grossenses, tem uma atitude totalmente indevida. Espero que a instituição PM apure esse apoio aos crimes que estão sendo praticados pelos bolsonaristas contra o Brasil.

  5. Hébert Dias disse:

    Imprensa cor de fezes! É deu para perceber que vocês concluíram o ensino Paulo freire com louvor. Ela não ameaçou ninguém. Ela simplesmente levantou uma reflexão. Teve especialista em assuntos partidários que disse que o estado deve ser neutro. Gênio! Qualquer agente público tem o direito de ter seu lado político exposto, o que ele não pode fazer é acepção de pessoas por conta de sua visão política. Essa sargento não ameaçou e não recusou ajudar ninguém por questões de visão política. Ela simplesmente levantou uma reflexão. Peço por gentileza que voltem para escola e estudem interpretação textual.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *