22/04/2024 - Edição 540

Legislativo

Antirracismo: Deputados da ALEMS debatem o combate à discriminação

Pedro Kemp: ‘Não basta a gente não ser racista, a gente deve ser antirracista’

Publicado em 25/05/2023 11:15 - Semana On

Divulgação ALEMS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) abordou na tribuna nesta manhã (24) o recente caso de racismo ocorrido com o jogador Vinícius Júnior, na Espanha. “Não basta a gente não ser racista, a gente deve ser antirracista. Nossos filhos devem que ser educados desde pequenos a não considerar ninguém inferior, e isso acontecer em todos os lugares. Lutar sempre contra essa cultura racista e escravocrata no País. Devemos ser intolerantes a isso. É  inadmissível o que ocorreu com jogador Vini Jr, na Espanha, quando a torcida do time adversário gritava ‘macaco’ a ele”, relatou.

“O racismo ainda existe no Brasil, e o que é pior, é dissimulado. E as estatísticas mostram que os negros são a maioria dos pobres, são maioria também que sofrem violência, os negros também são a maior população carcerária. Publicarei meu quarto livro que será intitulado ‘Carta de Indignações, uma publicação que nasceu de situação vividas por pessoas em nosso País e cidade, de discriminação, violência, injuria racial contra mulheres, homens, negros, pessoas com deficiência e da comunidade LGBTQIA+. Essas situações que violam os direitos fundamentais das pessoas me causam muita indignação”, declarou.

Pedro Kemp também falou sobre uma declaração do deputado federal Magno Malta (PL-ES) sobre o que aconteceu ao jogador brasileiro. “Ouvindo rádio ontem, fiquei indignado quando ouvi uma fala do senador Magno Malta, sobre o que ocorreu com o jogador brasileiro no fim de semana. O assunto foi mencionado ontem [23] pelos deputados Zeca do PT [PT] e Gerson Claro [PP], presidente da ALEMS [veja aqui]. Ao invés de se solidarizar com o jogador e todos os brasileiros que são vítimas de racismo ou injúria racial, o senador disse: Cadê os defensores dos animais que não defendem os macacos? Ele quebrou o decoro parlamentar e ofendeu a dignidade das pessoas negras. Devia ser cassado”, considerou.

O deputado estadual Junior Mochi (MDB) destacou que o tema é pertinente e deveria ser debatido em todas as casas legislativas do País. “Isso causou perplexão em todo o mundo, com manifestações de dirigentes, entidades, organizações não governamentas. Quantos problemas como esse terão que acontecer para termos atitudes antirracistas? É preciso quantos ‘George Floyds’? É preciso que realmente sejam eles condenados pelas manifestações racistas e discriminatórias para que todos os cidadãos venham a não fazer isso, Esse debate é importantíssimo, essa defesa de política de cotas, não temos um negro na Assembleia, são raros os expoentes que ocupam um cargo e consiga fazer com que tenhamos a participação dos afrodescendentes nos cargos e funções públicas”, avaliou.

A deputada Lia Nogueira (PSDB) reiterou que o tema é oportuno e necessário. “É deplorável ouvirmos uma declaração desta de um senador. Ele foi infeliz na colocação, e isto está incutido provavelmente no que ele realmente pensa. Estamos vivendo uma sociedade doente o ódio impera. Nós, enquanto parlamento Estadual não podemos ficar inertes. Parece que o racismo foi naturalizado, mas não é normal, estamos num País de diversidade em tudo.  Precisamos fazer notas e notas de repúdios, nós não podemos mais admitir vivenciarmos as pessoas serem ofendidas pela cor delas, ressaltou.

O deputado Professor Rinaldo Modesto (Podemos) também concorda que é necessária a repulsa a toda e qualquer forma de discriminação “Eu imaginei que a pandemia ia trazer mais empatia para população. Nós como homens públicos devemos ter cuidado com o que falamos. É preciso que tenhamos esse espírito de empatia e repreendamos qualquer tipo de discriminação. Isso não deve ser admitido de forma alguma. Magno Malta foi realmente infeliz em sua declaração, e é a primeira vez que ouço algo dessa forma dele”, informou.

Por fim, o deputado estadual Antonio Vaz (Republicanos) afirmou que toda discriminação deve ser intolerada na sociedade. “Devemos repudiar todo tipo de racismo. E cresci numa época que a gente não ligava para isso, me precupo em como vai crescer a geração que está vindo aí, que qualquer coisa é Racismo. Parabenizo sua fala porque é verdadeira e necessária e é muito importante para acabar com o racismo e toda discriminação que existe”, destacou.

Conheça a página multimídia “ALEMS Antirracista”, um convite ao combate ao preconceito discriminação racial. Acesse o material produzido pela Secretaria de Comunicação Institucional, clicando aqui, e conheça as iniciativas parlamentares antirracistas.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Uma resposta para “Antirracismo: Deputados da ALEMS debatem o combate à discriminação”

  1. Sylvia Odinei Cesco disse:

    Parabéns a todos os que se colocaram em acordo com o pronunciamento do Dep. Kemp, que penso ter sido a unanimidade. A menos que a ALEMS tenha entre os nossos legisladores alguém tão ignóbil quanto Magno Malta, o que não acredito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *