15/06/2024 - Edição 540

Vale um Play

Accel World VS Sword Art Online

Publicado em 04/08/2017 12:00 - Rafael Naruto

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Falar de animes e jogos de videogame é sempre uma enorme satisfação e nessa semana preciso comentar sobre um jogo que está suprindo com excelência a minha ansiedade pelo Sonic Forces e Sonic Mania, ambos para agosto desse ano. Para explicar melhor o jogo é preciso comentar um pouco sobre cada um dos animes e o motivo de cruzar os mundos.

Accel World é uma animação futurista em que as pessoas logos nas primeiras fases de sua vida recebem um aparato chamado de Neuro Linker que concede ao usuário enxergar a realidade aumentada sem a necessidade de óculos especiais e ainda a possibilidade de uma conversa neural sem a necessidade da fala.

No mundo acelerado, os complexos de personalidade se transformam em avatares com diversas habilidade especiais. Já em Sword Art Online (SAO), as pessoas por meio do Nerv Gear são conectadas ao servidor do jogo Sword Art Online e acabam ficando presas no mundo virtual que agora para sobreviver necessitam evoluir e confrontar chefes para conquistar a liberdade.

Após essa breve introdução sem muitos spoilers o personagem principal de SAO Kirito percebe o desaparecimento de Yui, um avatar digital que assume o papel de filha do protagonista e para resgatá-la ele precisa desafiar os setes reinos de Accel World. No jogo você consegue realizar ataques combinados incríveis, como diversos efeitos visuais maravilhoso como nos animes.

Eu estava com receio do jogo poder não chegar aqui no Brasil, mas felizmente assim que o ícone apareceu na PSN eu fui obrigado a adquirir o título que está disponível para PS4 e PS Vita. Na minha opinião eu o adquiri na versão Vita por conta das análises mais positivas do jogo. Espero que os interessados se divirtam tanto quanto eu e nos vemos na semana que vem. Um grande abraço.

Leia outros artigos da coluna: Vale um Play

Victor Barone

Jornalista, professor, mestre em Comunicação pela UFMS.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *