13/04/2024 - Edição 540

Campo Grande

Saúde alerta para novas variantes da Covid-19 e importância de vacinação contra a doença

Mesmo com os números reduzidos e os óbito cada vez menos comuns, é preciso ficar atento

Publicado em 10/11/2022 10:47 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Mesmo com os números reduzidos e os óbitos provocados por Covid-19 cada vez menos comuns, a secretaria municipal de saúde de Campo Grande alerta para a necessidade de manter o calendário vacinal contra a infecção atualizado. No país, casos da subvariante da Ômicron já foram confirmados, o que preocupa as autoridades em saúde.

“Não temos ainda nenhum caso suspeito dessa subvariante no município, porém sabemos a rapidez que esse vírus pode se espalhar, a exemplo da própria Ômicron, que fez com que os números de casos positivos subissem substancialmente em Campo Grande no início deste ano”, alerta o secretário municipal de saúde, José Mauro Filho. 

A superintendência de vigilância em saúde, responsável por acompanhar a evolução da doença no município, já percebeu um crescimento no número de pacientes sintomáticos respiratórios na Capital, e alerta para o crescimento no número de testes realizados. Em 07 de novembro, foram realizados 31 RT-PCRs, exame padrão ouro no diagnóstico da Covid-19, na mesma data do mês anterior, foram apenas sete coletas. 

Mesmo sem nenhum caso confirmado das subvariante BQ.1, o serviço de vigilância segue atento e monitorando as coletas visando identificar o caso assim que a mutação do vírus for introduzida em Campo Grande.  

Recomendações à população 

“A vacinação continua sendo nossa maior e mais eficaz ferramenta conta a Covid-19, então, quem se enquadra para tomar o segundo reforço e ainda não foi até uma unidade de saúde, é recomendável que se encaminhe até um posto de vacinação, o mesmo serve para quem ainda tem ainda precisa tomar o primeiro reforço”, explica José Mauro. 

Além da vacinação, o secretário reforça a necessidade do uso de máscaras por pessoas que possuem sintomas respiratórios e a higiene constante das mãos, já que assim é possível evitar o contágio pela Covid-19 através das duas formas mais comuns de transmissão. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *