13/04/2024 - Edição 540

Campo Grande

Samu atendeu quase 26 mil acidentes de trânsito com vítimas no ano passado

Para alertar, campanha ‘Maio Amarelo’ acontece em diversos pontos da Capital

Publicado em 10/05/2023 9:57 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Criada com o objetivo de conscientizar a população sobre educação no trânsito e prevenir acidentes e óbitos, a campanha “Maio Amarelo”, acontece em diversos pontos da Capital, contudo somente no ano passado, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), atendeu a quase 26 mil ocorrências onde havia pelo menos uma pessoa vítima de colisão entre veículos ou atropelamento.

Apesar de alarmante, o número ainda não representa a totalidade de acidentes na cidade, uma vez que o Corpo de Bombeiros também realiza o socorro dessas pessoas. Ao todo, foram aproximadamente 70 ocorrências de trânsito por dia. 

“O maior volume de atendimento normalmente acontece no horário de almoço e ao final do dia, quando os motoristas normalmente estão indo para casa e o trânsito está mais intenso”, explica o coordenador do serviço, Ricardo Rapassi. 

Para ele, uma direção defensiva e cautelosa seria o essencial para que houvesse a redução no número de acidentes. “Grande parte dos atendimentos envolvem motociclistas que, como têm a possibilidade de se locomover mais rapidamente, acabam sendo as principais vítimas”, conclui. 

Em todo o ano passado, Campo Grande registrou 76 óbitos no trânsito, sejam de pessoas que morreram no local do acidente ou em decorrência de alguma complicação pela mesma causa em até 30 dias após o registro. Somente nos quatro primeiros meses de 2023 já foram registradas 18 mortes no trânsito, 23% do ano anterior. 

De acordo com o levantamento do SAMU, agosto é o mês que mais registrou acidentes com vítimas em 2022, sendo mais de 564 ocorrências nos 31 dias. Outro aumento no número de atendimentos é observado sempre durante o mês de dezembro, que em 2022 registrou 509 acidentes. 

Segundo Rapassi, este aumento em dezembro está associado às festas de final de ano. “População está de férias e, somado ao consumo de álcool, infelizmente observamos um crescimento nas ocorrências neste período também”, completa. 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *