20/06/2024 - Edição 540

Campo Grande

Programa moderniza eficiência energética da UTI neonatal da Santa Casa

Ações contribuem para MS avançar e se tornar um Estado Carbono Neutro em 2030

Publicado em 29/05/2024 11:25 - Semana On

Divulgação Gov MS

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O PEE (Programa de Eficiência Energética), realizado pela Energisa Mato Grosso do Sul em parceria com o Governo do Estado e demais instituições, lançou na terça-feira (28) o projeto que será implementado nas UTINs (Unidades de Terapia Intensiva Neonatal) da Associação Beneficente Santa Casa de Campo Grande. Com investimento de mais de R$ 1 milhão, o objetivo da parceria é avançar em direção à sustentabilidade e modernizar a infraestrutura energética da instituição.

Serão substituídos projetores, luminárias e lâmpadas convencionais por opções de LED, além da instalação de um sistema de geração de energia solar fotovoltaico de 169,32 kWp. Com a medida, espera-se uma economia de energia de 414,64 MWh/ano.

O vice-governador José Carlos Barbosa, o Barbosinha, ressaltou a contribuição ao Estado, que precisa avançar para se tornar um Estado Carbono Neutro em 2030.

“Além de contribuírem para redução dos custos operacionais, as ações reforçam o compromisso da Energisa e da Santa Casa com práticas ambientalmente responsáveis. Ações estas que estão diretamente ligadas as metas da gestão do governador Eduardo Riedel para a neutralidade de carbono, para zerar a emissão de gases do efeito estufa contra o aquecimento global”, pontuou.

Parcerias com o Governo

A PGE-MS assinou em setembro de 2023 o termo de cooperação e realizou a troca de oito lâmpadas incandescentes e fluorescentes por lâmpadas de LED ,bem como de 59 aparelhos de ares condicionados por aparelhos modelo inverter no prédio sede da instituição. Foram investidos mais de R$ 320 mil pela Energisa.

Em abril de 2024, quando a Energisa completou 10 anos de MS, entregou em parceria com o Governo, a Flor Solar no Parque da Nações. A mini usina fotovoltaica levou quatro meses para ficar pronta e contou com investimento de R$ 600 mil pela Energisa. A estrutura metálica com mais de 5 metros de altura, tem design e tecnologia sustentável. Ela gera até 400 kw/h, sendo responsável pela energia ao redor da escultura, que conta com quatro quiosques a céu aberto com bancos, tomadas e espaço para carregar aparelhos eletrônicos.

O Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo foi um dos primeiros prédios do Governo a aderir ao projeto. Em abril de 2018, por meio do programa recebeu 1.450 luminárias e lâmpadas led e 16 aparelhos de ar condicionado novos de grande porte. O investimento da Energisa foi de cerca de R$ 800 mil.

Em maio de 2022, a Fertel firmou convênio que permitiu a troca de lâmpadas, aparelhos de ar condicionado e iluminação da torre de alvenaria, com investimento da Energisa avaliado em R$ 350 mil.

Parcerias no MS

Antes da Santa Casa, o Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (Humap-UFMS/Ebserh) assinou em julho de 2023 um acordo com a Energisa para Eficiência Energética. A cooperação previu substituição de 320 lâmpadas fluorescentes por lâmpadas de LED, troca de cinco aparelhos de ar condicionado por aparelhos modelo inverter e a instalação de uma estação fotovoltaica para fornecer energia ao Hospital Dia, com investimento de R$ 329 mil.

A parceria também contemplou em setembro de 2023 o Mercadão de Campo Grande – no aniversário de 65 anos, com instalação de novos condicionadores de ar e a implementação de um sistema fotovoltaico para geração de energia elétrica. No local foram investidos pela Energisa R$ 167 mil. Na Capital, o Parque Belmar Fidalgo, a Feira Central, o Camelódromo também são locais públicos contemplados pelo projeto.

Sobre o programa

O PEE (Programa de Eficiência Energética) é regulado e fiscalizado pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). As concessionárias de distribuição são obrigadas a destinar anualmente 0,25% da sua Receita Operacional Líquida (ROL) em projetos de eficiência energética, com o objetivo de estimular o uso racional de energia elétrica. Cada distribuidora determina em quais projetos, desenvolvidos por ela própria ou por terceiros, irá aplicar os recursos previstos no PEE.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *