22/02/2024 - Edição 525

Campo Grande

Prefeitura vai implantar Central da Árvore na região do Segredo

Área contará com viveiro, estufa para a produção de mudas, área destinada a galhos, folhas e troncos de árvores que forem podadas ou removidas em toda a cidade por equipes da Prefeitura

Publicado em 25/08/2022 1:49 - Semana On

Divulgação Assessoria PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Referência nacional em cobertura arbórea, Campo Grande contará com um centro operacional de arborização – a Central das Árvores – planejada para uma área de preservação ambiental de 14 mil metros quadrados no Bairro Praia da Urca, região urbana do Segredo. O projeto foi apresentado na quarta-feira (24) pela prefeita Adriane Lopes, em solenidade no Teatro José Octávio Guizzo. A obra será construída com recursos de compensações ambientais e terá uma estrutura de 2.800 metros quadrados.

A Central das Árvores, que será administrada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Gestão Urbana (Semadur), contará com viveiro, estufa para a produção de mudas, área destinada a galhos, folhas e troncos de árvores que forem podadas ou removidas em toda a cidade por equipes da Prefeitura. Será montada uma estrutura para reaproveitamento do material lenhoso remanescente e a trituração de folhas e galhos que poderão ser destinados à compostagem para aproveitamento como adubo em hortas, conforme explicou o Secretário Luís Eduardo.

“Um dos objetivos da Central será a correta destinação e aproveitamento dos resíduos das podas e remoções, com um tratamento mais apurado desses materiais, desenvolvendo inclusive uma cultura diferente em relação aos materiais. E assim demonstrando que Campo Grande segue como exemplo mundial em cuidado com a arborização, uma verdadeira Tree City of the World”.

prefeita Adriane destacou a importância e carinho com que a cidade reconhece suas árvores. “A Central da Árvore que está sendo lançada hoje será mais um instrumento que irá contribuir com o meio ambiente, em especial com a arborização da nossa cidade. Essas parcerias são fundamentais para trabalharmos juntos pelo o desenvolvimento sustentável de Campo Grande. Nossa população merece e nos ajuda na preservação das nossas árvores”.

A Central foi planejada de forma sustentável, com reaproveitamento da água da chuva e instalação de placas fotovoltaicos para aproveitamento da energia solar, e vai agilizar o manejo da arborização, além de oferecer suporte para o trabalho de manutenção das árvores.

Assinatura de Convênio
Durante o lançamento da Central das Árvores, foram assinados dois convênios também voltados à arborização urbana.

 

O primeiro é em parceria com a concessionária Energisa de Mato Grosso do Sul com o objetivo executar o Programa Anual de Manejo na Arborização Urbana de Campo Grande, que estabelece o procedimento de podas em logradouros públicos da área urbana.

Em sua explanação o diretor-presidente da Energisa, Marcelo Vinhaes Monteiro, pontuou a necessidade de harmonia entre a arborização e a fiação. “O convênio tem o objetivo de regulamentar a compensação ambiental em relação às podas que são necessárias para o convívio da rede elétrica com a arborização. Nossos técnicos recebem o treinamento para a realização das podas adequadas. É importante ter o conforto e o desenvolvimento que a energia elétrica traz, mas sem causar impacto ambiental e com todo o cuidado com a arborização de Campo Grande, uma cidade reconhecida mundialmente pelas suas árvores”.

O segundo convênio foi assinado com a Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e Fundação de Apoio à Pesquisa, ao Ensino e a Cultura (Fapec) para a realização do Projeto de Pesquisa “Floresta Urbana de Campo Grande”, um estudo que irá subsidiar a revisão e monitoramento do Plano Diretor de Arborização Urbana (PDAU) que visa o diagnóstico da arborização municipal e a formulação de diretrizes de planejamento e manejo.

Representando a UFMS, o diretor da Agência de Inovação da instituição pontuou a relevância da parceria entre Governo e instituição de ensino. “Estamos felizes em poder contribuir com uma tratativa de conservação e de melhoria no sentido de tornar nossa capital cada vez mais sustentável. Uma oportunidade importante para que o processo de ensino e pesquisa atenda as reais necessidades da sociedade, disponibilizando todo o nosso arcabouço científico e tecnológico produzido pela universidade a serviço da população”.

Canteiro – Avenida Afonso Pena
O secretário Luís Eduardo que realizou a apresentação das futuras instalações da Central das Árvores também apresentou uma série de ações realizadas no canteiro central da Avenida Afonso Pena, com o intuito de realçar o valor histórico, paisagístico e cultural, como forma de celebrar e presentear a população. Uma ação realizada com o apoio da Plaenge Urbanismo.

Para a gerente regional da Plaenge Urbanismo, Daniela Soares, essa é uma oportunidade de participar e contribuir com desenvolvimento sustentável da cidade. “Neste aniversário de 123 anos, abraçamos a revitalização do paisagismo no canteiro central da Avenida Afonso Pena, um dos cartões postais da nossa Capital, bem como contribuir com a Central das Árvores. Ações que tornam a cidade mundialmente reconhecida com títulos e premiações, inclusive internacionais pelo seu cuidado com meio ambiente”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *