22/04/2024 - Edição 540

Campo Grande

Prefeitura lança megaoperação de combate ao mosquito Aedes aegypti

Ações irão percorrer as sete regiões urbanas e distritos do Município. Primeira se estenderá por 10 dias na Região Segredo

Publicado em 06/11/2022 9:23 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande lançou na quinta-feira (03) mais uma edição da Operação Mosquito Zero, contra o mosquito Aedes aegypti – transmissor da dengue, zika, chikungunya e outras doenças como a febre amarela. Mais de 300 pessoas estarão envolvidas nas ações, que irão percorrer as sete regiões urbanas e distritos do Município.

A prefeita Adriane Lopes destacou a importância do trabalho preventivo e da união de esforços, além do envolvimento de toda a sociedade no combate ao mosquito.

“Estamos há dois anos sem enfrentar uma epidemia de dengue no nosso Município e esse trabalho preventivo é fundamental para evitar que haja aumento no número de casos.  Nós estamos atentos e fazendo a nossa parte, mas também gostaria de conclamar a toda a população que some os esforços junto conosco para que a gente possa vencer mais essa batalha”, diz.

A Prefeita enalteceu ainda o trabalho dos agentes de combate às endemias que atuam diretamente no enfrentamento ao Aedes aegypti. “Graças ao empenho destes profissionais valorosos nós temos conseguindo atingir o nosso objetivo, que é manter a nossa cidade e a população protegida”, destaca.

O secretário municipal de Saúde José Mauro Filho lembra da importância da população receber os agentes em suas casas e colaborar com o trabalho preventivo.

“É muito importante que as pessoas atendam os agentes. Todos estarão uniformizados e com crachá do serviço.  A inspeção de casa em casa é uma das formas mais efetivas de se eliminar os focos e evitar assim a proliferação do mosquito. É preciso destacar ainda que 80% dos focos ainda são encontrados dentro das residências”, enfatiza.

A ação tem início pela Região Urbana do Segredo e deve se estender às demais, conforme cronograma pré-estabelecido pela Secretaria Municipal de Saúde (Sesau). O trabalho deve durar 10 dias em cada região urbana.

Além da inspeção e vistoria de imóveis, terrenos baldios, prédios, praças e parques públicos e o recolhimento de materiais inservíveis potenciais criadouros do Aedes aegypti, também devem ser realizadas ações de conscientização envolvendo todas as secretarias municipais.

Ponto de descarte

Em cada região serão instalados pontos para descarte de materiais inservíveis, como sofás, televisores, entre outros móveis e objetos inutilizados, que possam servir de potenciais criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Na Região Segredo os pontos estarão localizados no Vida Nova, ao lado do Ecoponto, localizado na Rua Gilson de Oliveira 219 e no bairro Nova Lima, ao lado da Clínica da Família, Rua Firmo Cristaldo, 587.

Dados epidemiológicos

De 01 de janeiro a 01 de novembro Campo Grande teve 7.799 casos de dengue confirmados e sete óbitos provocados pela doença. No mesmo período, foram confirmados 1 caso de Zika e 29 de Chikungunya. Durante todo o ano de 2021 foram confirmados 5.673 casos de dengue e três óbitos, sete casos de Zika e 13 de Chikungunya.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *