21/04/2024 - Edição 540

Campo Grande

Prefeitura e Agraer capacitam mulheres da Comunidade Quilombola Buriti para produzir panetone no Natal

Prefeita Adriane Lopes busca parcerias internacionais para ativar empreendedorismo feminino

Publicado em 21/11/2022 3:52 - Semana On

Divulgação PMCG

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O queridinho das gôndolas do fim de ano está chegando. É só dar uma caminhada por qualquer mercado, padaria, que lá está ele: o panetone. Tão simbólico como a decoração e as luzes natalinas, o pão que nasceu de um acidente é certeiro na hora de ganhar uma renda extra nesta época do ano.

O pão de Toni, ou mais conhecido como panetone, diz uma das lendas que cerca a iguaria, teria sido criado por um erro de um padeiro que de tão cansado com os preparativos natalinos confundiu as receitas e adicionou uvas passas onde não devia. Para consertar o erro, adicionou frutas cristalizadas na massa e o resultado é o famoso panetone, que desde então é sucesso de vendas no Natal.

E para dar aquela ajudinha para capitalizar, a Prefeitura de Campo Grande e a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), promoveram um curso de panetones e cucas para mulheres da Comunidade Quilombola Buriti. A capacitação foi apenas o primeiro módulo de uma formação ampla sobre as principais técnicas da panificação.

“Esse pequeno curso supriu uma necessidade de momento, dada a proximidade do Natal e do Ano Novo. As mulheres da comunidade têm os equipamentos para começar uma agroindústria nesse ramo. Vamos dar uma formação mais completa na área”, explica a orientadora e extensionista social do escritório local da Agraer, Cleonice Jacomelli.

Agrônoma da Secretaria Municipal de Inovação, Desenvolvimento Econômico e Agronegócio (Sidagro), Letícia Patrícia de Castro Barbosa, explica que o curso foi realizado a pedido das próprias produtoras. “Estamos aqui na Comunidade Quilombola Buriti e a pedido delas desenvolvemos atividades que vão auxiliá-las a iniciar os trabalhos da agroindústria da produção de pães. Hoje estamos fazendo pães diversos e panetones para que elas já possam vender no Natal”, conta.

Projetos Futuros

A ideia da associação das mulheres quilombolas é, futuramente, usar os produtos colhidos na comunidade para fabricar pães enriquecidos e fornecê-los ao Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE).

“Para que elas se organizem e saibam quais vegetais poderão plantar para atingir os objetivos desejados, nessa capacitação serão ensinadas algumas opções de pães de cenoura, batata-doce, beterraba, que são mais coloridos e têm mais nutrientes. É como se fosse uma prévia para se programarem quanto aos cultivos”, explica Cleonice.

Para a presidente da associação de moradores, Lucinéia de Jesus Domingos Gabilão, a capacitação vem ao encontro das necessidades das mulheres da comunidade quilombola. “Esse momento foi focado mais nas festividades de Natal, com esse curso elas poderão aumentar a renda das famílias. E mais para frente vamos começar a trabalhar com panificação de grande porte”, diz Lucinéia de Jesus.

Prefeita busca parcerias internacionais para ativar empreendedorismo feminino

Em Campo Grande membros da BPW Internacional conhecem projetos estratégicos e de desenvolvimento econômico da Capital. As ações foram apresentadas pela chefe do Executivo Municipal Adriane Lopes junto com a secretária de gestão e planejamento estratégico (Sugepe) Catiana Sabadin.

A Prefeita Adriane Lopes destacou as potencialidades das empreendedoras de Campo Grande e apresentou ações de sucesso com as incubadoras municipais, além de listar os caminhos já conquistados para implantar o Parque Tecnológico na cidade.

“Este é no momento de interlocução e apresento nossa cidade com as potencialidades já existente. Queremos construir junto com a BPW um caminho para trocar informações e experiências dando a oportunidade para mulheres de negócios conhecerem e investirem em Campo Grande. Além disso, podemos dar novos horizontes as empreendedoras da capital – com parcerias para capacitação que possa abrir caminhos para as comercializações em nível global”.

Pela primeira vez em Campo Grande, Catherine Bosshart, Presidente Internacional, BPW Suíça ficou admirada com o desenvolvimento da região. “Estou encantada. Percebi que Campo Grande está crescendo muito e de forma saudável. Temos projetos semelhantes na Suíça e o Parque Tecnológico só faz bem para a cidade. Eles criaram startaps, pessoas jovens inovando e adquirindo conhecimento, novos projetos e novas ideias. Na suíça temos muitas universidades e recursos que podem capacitar, treinar e colaborar com a implantação do parque tecnológico, por meio de intercâmbio”.

Na reunião, Paz Martin, Presidente Comitê Permanente, Negócios, Comércios e Tecnologia BPW Internacional, BPW Madri Espanha, elogiou a gestão municipal. “Estou muito impressionada pela força que tem a cidade, força na gestão com uma prefeita jovem, dinâmica e que mira o mundo. Eu tenho a missão de contar e difundir todos esses projetos de Campo Grande para a Europa”.

A reunião aconteceu na Sala Internacional-The Place e recebeu também a Giusepina Seidita, Vice Presidente internacional de Associadas, BPW Itália, Margarida Yassuda presidente BPW Brasil, Maria Helena Bonotto presidente BPW Campo Grande, Iane Milan coordenadora do comitê dos direitos da mulher BPW Brasil, Eliene Amorim vice-presidente BPW Campo Grande, e Danúbia Helmich coordenadora de negócios BPW Campo Grande.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *